O sermão da Senhora Doutora de Espinho!

A polémica de Espinho onde a professora Josefa Rocha, que prometia discrição mas já aparece com foto estampada em jornais, é o ciclone principal, devia servir para se discutirem outras coisas para além do aspecto legal da gravação, da truculência dos ditos e de aparentemente a docente estar convencida da sua superioridade moral, cívica e intelectual à conta de um mestrado ou lá que raio é!

Podíamos falar da necessidade da Educação Sexual e de saber em que moldes deve a mesma ser abordada. E a partir de quando.
Podíamos falar das curiosas visitas de estudo obrigatórias em que alunos se vêm na contingência de ter de pagar as mesmas. Ainda recentemente por uma visita a Peniche tive de desembolsar 20,00€ por cada uma das gémeas, mais almoço e lanche. Ora, na turma das minhas filhas existem, pelo menos, duas colegas que têm ambos os pais desempregados.
Pois foi-lhes dito que tinham de ir e de … pagar!
Mas que bosta de país é esta, pergunto eu?

Podíamos falar se uma pessoa que não domina completamente a sua língua materna pode ter um mestrado ou lá que e falar atropelando a mesma? E ser docente? Pelos vistos pode!
Quanto ao resto, aguardemos com serenidade. E não se tome a nuvem por Juno.
A "senhora doutora" Josefa Rocha é apenas uma professora, aquelas mães são apenas aquelas mães e aquela turma aquela turma.
À cautela, se a “senhora doutora” Josefa Rocha ler isto, faz favor de se me dirigir por “senhor doutor” ou, quando muito, "senhor licenciado". E aqui o rapaz é doutor num curso de via larga, aviso já.

8 comentarios:

korrosiva disse...

Quão inferior se deverá sentir, para fazer tanta questão no "Sra DOUTORA".
É preciso ser muito pequeno de espirito para se agarrar com tanta força à escolaridade académica!
Diz ela que estudou muito, pois não parece.. nem pela maneira como fala, nem pela atitude perante aquelas crianças.

A educação sexual deve existir, e pode muito bem ser abordada em mais que uma disciplina.
Mas não foi o que aquela "Sra" fez. Falar à toa de sexo e afins não é educar ninguém nessa matéria!

bjs

Carol disse...

Ó home, tu num sabes com quem te metetstes! Olha ca Josefa, pá, tem um filho que é amiguissimo num sei de quem. Tu num bês ca senhora dôtora é meistre?! Nós é que somos uns incoltos, que num sabemos o que é sexo, nem sabemos falar!
Beneremos a senhora dôtora!
Essa das viagens de estudo serem obrigatórias matou-me! Então, um gajo paga e nem sequer tem direito a decidir se a viagem lhe interessa ou nâo?! Ora, porra!

António de Almeida disse...

Confesso que gostaria ver mais da gravação, e não apenas aqueles 2 minutos descontextualizados, teria de se perceber o início da discussão, para se perceber como chegou aquele ponto. Claro que aquelas conversas não são próprias para alunos com aquela idade, mas estou a escrever sem saber nada sobre a turma. O mais grave em meu entender foi mesmo a refª à mãe da aluna, e pior, a ameaça velada que fez sobre a correção de testes, isso é intolerável.

Daniela Major disse...

1- as tuas filhas tiveram de pagar 20 e o meu pai teve de pagar 50 para uma visita ao Porto. É uma merda realmente.

2- de resto concordo contigo.

mac disse...

Mesmo sabendo de todo o contexto, e mesmo que a professora tenha sido provocada, e os miúdos podem tirar uma pessoa do sério, ela é uma adulta, devendo ter mais cuidado com o que diz, e ainda por cima sendo professora esse cuidado deveria ser redobrado.

Compadre Alentejano disse...

A "senhora doutora" Josefa é apenas um produto das Novas Oportunidades: Passou por lá, disse umas bacoradas, e toma lá o diploma...
Compadre Alentejano

Adoa disse...

Acho muito bem haver aulas de sexualidade, mas esta coisa a quem chamam de professora, devia era ser demitida na hora!

A gravacäo devia ser considerada legal nem que fosse apenas pelo facto de ter sido a única maneira dos alunos de se defenderem e provarem factos ocorridos.

Quanto às viagens, há muitas que se fazem apenas porque sim. Mas nunca ouvi caso algum de alunos a serem obrigados a ir. Com a agravante de os pais estarem ambos desempregados...

pedro oliveira disse...

Caro Ferreira-Pinto,

A nossa escola está doente e fico parvo quando ouço por exemplo o Candidato Vital Moreira dizer que a educação está em revolução, com ar feliz.Que educação é esta com estes principios. O "vais e tens de pagar" mostra bem que durante estes 34 anos não formámos Professores,formámos gentinha mediocre sem valores.
Quanto ao caso de Espinho,vamos ver se a professora não vai ser integrada na mesma escola e na mesa turma.
Bom dia do Vizinho, caro vizinho.