O pequeno país que queria ser GRANDE

Nada como quinze dias fora aqui do burgo para nos apercebermos de que 10 milhões de habitantes num minúsculo rectângulo atlântico nos transformam (não) necessariamente num país de reduzidíssima dimensão.

Pandemia de gripe. Sim, ok, já se percebeu que há por aí um surto gripal não sazonal que potencialmente até poderá evoluir para algo pandémico. Certo que as coisas ali para os lados do México e dos EUA e do Reino Unido e agora do Japão até nem têm andado famosas. Mas porque é que Portugal se arma (em gigante afectado, para não dizer em parvo)?

Em duas semanas estive em quatro aeroportos fora do país (ok, agora vou eu armar-me em parva): London Heathrow-Terminal 5 três vezes, Glasgow International 2 vezes, Chicago O'Hare 2 vezes, New York-Newark uma vez. Sabem quantas pessoas de máscara eu vi? ZERO! Sabem quantas notícias de gripe eu vi e li no Reino Unido e nos EUA? Pouco acima de ZERO! E sabem o que me fazem na viagem de regresso a Portugal as autoridades deste país? Pedem-me para voluntariamente preencher um formulário indicando se eu tenho gripe! E como era voluntário, sabem quantas pessoas naquele Boeing 757 o preencheram? Exactamente: ZERO!

Pergunto-me quantas pessoas já terão morrido em Portugal devido à Gripe A. Muito este país gosta de sensacionalismo! Muito gostamos de nos armarmos em grandes!

P.S. - Acabei agora, já depois de escrito o belíssimo texto acima, de ver o Jornal das 10 e ia sufocando de riso. Então não é que puseram de quarentena uma miserável qualquer de Seia sob o aparato mais despropositado do que o dos filmes de Hollywood? Aquilo era vê-los fugir da senhora como da peste todos vestidos de astronautas. Ó valha-me Cristo Senhor!

8 comentarios:

André Miguel disse...

Completamente de acordo!
O povo português tem uma mente muito pequenina... E quanto mais viajamos mais nos damos conta desse facto.
Chego a pensar se a inteligência do nosso povo não será proporcional à dimensão do país? Mas depois vejo que o Luxemburgo ou a Suiça também são pequenos e não são tão mesquinhos como nós.
Talvez seja mesmo como dizia Fernando Pessoa: um país de provincianos...

ferreira-pinto disse...

Eu peço desculpa a ambos, e isto independentemente de concordar que em muitos casos somos mesmos uns despenteados mentais e uns mangas de alpaca, mas neste caso a culpa até nem é do povo.

É, isso sim, da bosta de Comunicação Social a que temos direito.
Se tivessem um pingo de decoro, e fossem profissionais de mão cheia como tanto gostam de apregoar, quedavassam-se bem calados quanto a essa porcaria do suspeito internado; desde quando é que internar alguém a propósito da suspeita de estar doente devia ser notícia?

Alías, isso é um facto no sentido noticioso do termo?

Zé Povinho disse...

Só mesmo para encher os telejornais e os noticiários, porque com o sistema de saúde que temos, todo este aparato só pode ser mesmo encenação.
Abraço do Zé

Fada do bosque disse...

Pois é! Concordo! Aliás todos os anos, somos vítimas de manobras de diversão dos Media. Falta pensar, o que é que está
por trás desta palhaçada toda! Os jornalistas da "Velha Guarda", ou não têm tomates para revelar a verdade, ou se têm, vão para o desemprego! Os novitos são paus mandados e pensam que fazem grande coisa. Este rectângulo à beira mar plantado, devia pensar 2 vezes antes de aderir com tanta facilidade à estupidez! Também com casas a possuírem 4 ou 5 TV´s em média, não se pode esperar outra coisa...
Uma pessoa com gripe, notícia?!
Que andarão os manipuladores a tramar?! Realmente é de partir a rir!

André Miguel disse...

Ferreira Pinto concordo em parte consigo, pois todos sabemos o poder de influência que os media têm. Mas caramba, as pessoas têm que começar a pensar por elas próprias!

ferreira-pinto disse...

Meu caro André Miguel, agora é a minha vez de concordar.
O problema é que, se formos a reparar, para a maior parte do povo se deu na televisão, é verdade!

Fada do bosque disse...

Por isso é que o povo é estúpido, caro Ferreira Pinto... Infelizmente

Carol disse...

É a porcaria da imprensa que temos... E a porcaria de povo ignorante e crédulo que somos.