Indignada... por tudo e por nada

Ora cá estou eu mais uma vez, nova terça-feira, nova semana em que tenho de vos trazer um pouco mais do que os meus dois neurónios solitários são capazes, no seu melhor...
... mas a questão é que estes dois neurónios estão no limite da dignidade e da capacidade!

A indignação tem um limite ténue, quando penso que estou esgotada da dose diária de indignação, lá vem ela mais uma vez para me atormentar e com agressividade redobrada.
A chuva, meus amigos, tem o condão de me deixar indignada, sobretudo quando vem numa altura em que o meu corpo e o meu cérebro cansado de tanta indignação já aspiram por tempos mais solarengos e primaveris.

A minha indignação reporta-se agora ao facto de ter passado um fim de semana inteiro a desarrumar o roupeiro, a esventrá-lo de todas as suas roupas quentes e invernis, para o rechear novamente com roupas mais frescas, primaveris.

Porquê, perguntais-me vós, porque é que eu faria algo do género quando todos sabemos que "Abril águas mil" e já todos os boletins meteorológicos tinham avisado que dias cinzentos estariam para vir.
É que, respondo eu, na semana passada resolvi aproveitar as férias escolares dos miudos e levá-los a dar um passeio pela costa algarvia mais perto de casa, o que é sempre algo muito bem vindo nesta época do ano, porque a praia está sempre vazia de banhistas e o tempo já está agradável o suficiente para se molhar os pézinhos na água do mar...
Acontece, meus amigos, que chegados ao local, apesar do fresco do ar, apesar do vento incomodativo, apesar do gelo da água... a praia estava coberta de banhistas em pleno acto, o que equivale a dizer que estavam no banho propriamente dito!
Não quisemos acreditar, eu e o rebentos, aventamos até a hipótese de estarmos enganados, redondamente enganados e connosco o resto do país. Só podiamos estar em pleno início de Verão, com o país escoado para as praias algarvias e nem um único espaço vazio entre toalhas...

Lá fomos nós, seres estranhos vestidos com calças e camisolas, a saltitar entre corpos despidos e toalhas vazias cujos donos se espojavam sem pudor e sem frio nas águas geladas do Atlântico, indignado ele também, por o enfrentarem tão fora de estação...

Foi então que decidi fazer a mudança da roupa do armário, o Verão tinha chegado e eu não queria ser diferente do resto do país!

Hoje acordei e o que vejo eu à porta de casa, em pleno Algarve de Verão chegado antes do tempo?
CHUVA!

E ainda me perguntam porque estou eu indignada?

Ah! Se calhar pensavam que era por em plena crise se tirarem mini férias?
Ou se calhar por se descobrirem trafulhices sem fim por parte dos nossos tão estimados políticos?
Ou talvez por haver ainda uma grande parte da nossa população aventar a possibilidade de dar o voto ao PS nas eleições que se aproximam, não?

5 comentarios:

Carol disse...

Crise? Qual crise? O Algarve esteve repleto, a serra da Estrela, idem, os hipermercados e centros comerciais também...


Quanto a votar no PS, sinceramente a única alternativa que vejo é a de votar em branco...

indomável disse...

Ahahah! Ó minha querida Carol, votar em branco? Pois, também eu já pensei no assunto, acho que pelo menos manifestamos o descontentamento para com a classe política em geral!
Sim, acho que vai ser mesmo isso...

Ferreira-Pinto disse...

Eh pá, vocês são terríveis ... ou optimistas em demasia!
Então não era expectável que ainda viessem uns dias de frio?
Arrumar assim a roupa a correr, para quê?

Quanto ao votar PS ou não votar PS, o melhor é ter calma ... uma coisa de cada vez, se faz favor.
Ou bem que falamos de chuva, ou bem que falamos de ... desgraças!

Blondewithaphd disse...

Amiguita, tu ainda tens DOIS neurónios, que dirá quem só tem UM? :)

mac disse...

Como eu te compreendo...também eu já tinha guardado os casacos, e agora toca a ir buscá-los...
Isto de estar a chover até ajuda à economia: é da maneira que o povo passa o fim de semana nos shoppings.