Apoiar Barroso porque ... sim!

Durão Barroso, quando fugiu, deixando a choldra para o bem bom de Bruxelas distinguiu-se de Guterres apenas pelo facto de que foi para Presidente da Comissão Europeia. Mais nada.
Claro que aqui aos ingénuos e crentes disseram que era para nosso bem, que aquilo ia ser prestigiante, que íamos ficar a ganhar.
Tirando o sonoro fiasco do “porreiro pá” do Tratado de Lisboa, não me lembro, assim de repente, em que mais se distinguiu o homem e em que saímos beneficiados.

E, atento o estado em que me encontro, e pese o facto de pensar que a lista que o PS apresenta a sufrágio ao Parlamento Europeu ser pouco melhor que uma diarreia, subscrevo inteiramente o que diz Vital Moreira a propósito do apoio a Durão.
Isto quem ganha, quem tem mais votos é que tem a força para eleger e mais nada.

Andar agora, como anda Sócrates, a dizer que o PS e o Governo estão com Barroso é estultice.
Eu queria ver se por arte do demo, o PSE, mais a esquerda, tivessem a maioria em Estrasburgo em quem votavam os eleitos do PS.
E o argumento usado de que é português? Tenham paciência e arranjem coisa melhor para argumentar.
Por fim, se Sócrates diz que o PS e o Governo estão com Barroso, está já admitir a derrota do PSE. Eu bem sei que a lista do PS é fraca, mas assim tão pouca fé fica mal!

10 comentarios:

joshua disse...

E abluiste-me assim sem mais nem porquê?!

António de Almeida disse...

Há aqui alguns equívocos, ou então o caro Ferreira-Pinto desenvolveu pouco, porque julgo que não lhe passam despercebidas algumas questões. Em primeiro lugar, o Presidente da Comissão não é eleito pelo Parlamento Europeu, apenas ractificado, o que resulta bem diferente. Aliás nenhum desses grupos tem a maioria, ficam ambos entre os 200 e 300 deputados, isto num parlamento com cerca de 750, o que daria pano para mangas, é certo que depois existem os radicais de esquerda, a direita da qual faz parte Le Pen, e quando é necessário institucionalizar, o PPE, PSE, Liberais e Verdes, que em conjunto andarão perto dos 650 deputados, resolvem os problemas. Quem elege o presidente da Comissão são os chefes de Estado e de governo. Acontece que os socialistas têm nomeado os presidentes da comissão, Delors, Prodi, mas em 2004 o PPE exigiu, abrindo talvez um precedente, que o resultado da eleição determinasse a cor política do cargo, foi a primeira vez que tal aconteceu. Fará História? Não sei, mesmo o PS risca pouco dentro do PSE, à semelhança de resto do pouco ou nada que o PSD risca dentro do PPE. As sondagens nos diversos países apontam para uma vitória do PPE, mas há um pormenor que não pode ser descartado, David Cameron vai tirar os tories do PPE, apesar de ter dito que apoia a recondução de Durão Barroso, mas em termos matemáticos, sem os tories o PPE é bem capaz de ser ultrapassado pelo PSE, isto vai ser interessante, porque em rigor ninguém pode afirmar que existe uma tradição, eventualmente existirá sim um precedente, o que vier a acontecer poderá fazer regra para anos vindouros. Em qualquer caso isto é uma questão menor, sou contra o Tratado de Lisboa, e estou-me nas tintas para o Presidente da Comissão, para a Comissão, e para o Parlamento Europeu, que actualmente é uma inutilidade para criar normas de galheteiro e sal no pão, o que importa às nossas vidas continua a ser decidido nas cimeiras de chefes de Estado e governo, a Comissão faz apenas trabalho de secretaria.

pedro oliveira disse...

Meu caro, não esteja assim tão desanimado.
Bom fds e grande abraço

Dalaila disse...

vê a crónica na visão do ricardo araújo pereira, vale a pena
é apoiar barroso porque sim e porque não, e vote no ps para o sim e vote no ps para o não

korrosiva disse...

Nestas coisas não é como no futebol??
Ganha quem mete golos, não quem joga "limpo" ou melhor ;)

Bom fim de semana
Bjs

Carol disse...

Barroso?! Livra!!

P.S.: Vai lá buscar o prémio aqui para o estaminé!

Ferreira-Pinto disse...

antónio de almeida o seu argumentário está correcto, embora não possa descartar um ou outro aspecto que não é de somenos importância.

1 - Se Durão Barroso (ou outro) é ratificado pelo Parlamento Europeu, isso não é o mesmo que rectificar. Ora, assim sendo, quais as consequências da não ractificação? E pode ou não pode o Parlamento Europeu demiti-lo?

2 - Se as respostas a estas duas pergunats forem positivas, e considerando ainda o que disse sobre a exigência do PPE, se, conforme eu escrevi, se o PSE, conjuntamente com as forças de Esquerda quisessem impor outro nome, em que ficaríamos?

3 - E se o tal nome for o de Tony Blair? Colherá votos no PPE ou não?

Independentemente de tudo isto, afirmar que estamos com Barroso só porque é português é bacoco! E a negação do espírito de europeu. E eu era mais por aí que queria ir.

Compadre Alentejano disse...

A lista do PS não é mais que uma lista de recurso, concordo que pouco melhor que uma diarreia...
Quanto a apoiar Barroso, concordo com Vital Moreira. Venham primeiro as eleições e, só depois, vai-se apoiar um candidato.
Compadre Alentejano

Daniel Santos disse...

Eu voto Barroso.

Peter disse...

Acabei agora de ouvir o noticiário das 20h das 6ªFs na TVI, que nunca perco e apreciei, o que nem sempre acontece, a intervenção de Vasco Pulido Valente.

Anteriormente relembraram a juventude política de Durão Barroso no MRPP (na altura chamavam-lhe os Meninos Rabinos Pinta Paredes) com o seu chefe Arnaldo Matos, auto-intitulado: "o grande educador do povo português".

Enfim, memórias de quem já tem muitos anos em cima.