Entregues à bicharada!

Interrogo-me sobre a utilidade dalgumas autoridades que para aí temos? Coisas chamadas ANACOM, ERSE, da Concorrência e quejandos.
Vá, não exagerem nem embarquem no óbvio ... quem respondeu que servem “para ter uns lugares mais ou menos bem pagos para dar ao amigo de uma amiga, ó burro”, faz favor de desconsiderar a resposta.
É que dar lugares aos amigos de uma amiga sucede sempre que uns perdem e os outros ganham.
É no Governo, é nas câmaras … digamos que é uma tradição que vem de longe, tal como aquele Constantino em forma de brandy vinha de longe!
E que diligentemente se quer manter.
Mas voltando às tais autoridades, ando desconfiado que quem lá está ou ganha tão mal que tem de ter outro trabalho, e é por isso que dorme na forma, ou está tão bem instalado naqueles gabinetes que aquilo dá-lhes uma soneira que só visto! Mas no fundo, sono não lhes falta.

Há dias a malta dos telemóveis actualizou os tarifários e que aconteceu?
Só agora é que a sujeita com nome a lembrar jibóia vai ver o que se passa.
Os tipos da BP mexem no preço e logo vêm os da GALP ou da REPSOL dizer que vão fazer o mesmo e sempre no mesmo sentido.
E os da Concorrência, coitados, a ver os navios a passar!
Ao menos os da ERSE são pragmáticos e práticos, pois quando abrem a goela é para se mostrarem paladinos da EDP!
Se, em certos domínios, estamos entregues à bicharada, então o melhor é acabar lá com as tais autoridades. Afinal, elas funcionar, não funcionam … Nem elas, nem nada.
Basta ver que a malta dos “pitróis” está obrigada a publicitar os preços que pratica e andamos de adiamento em adiamento há uns tempos.
Aposto que quando aparecerem com os painéis, aquilo vai ser para aí do tamanho desta crónica!

11 comentarios:

António de Almeida disse...

É que dar lugares aos amigos de uma amiga sucede sempre que uns perdem e os outros ganham.

-Os políticos são apenas um espelho da sociedade, quando alguém é multado procura logo lembrar-se quem é o polícia amigo que o pode safar, se tem um problema nas finanças pergunta ao primo se não era ele que conhecia lá o chefe da repartição, na escola pede-se ao vizinho que é professor ou auxiliar para dar um olhinho pela criança, para arranjar emprego pede-se ao amigo que trabalha na empresa desejada para dar uma palavrinha ao director. Claro que tudo isto já foi bem pior, mas o factor C continua bem enraízado na sociedade portuguesa, ora os políticos são recrutados nessa mesma sociedade...

manuel gouveia disse...

Eu sei que o paradigma da sociedade perfeita seria ter a esmagadora maioria dos portugueses sentados em tapetes a coser sapatos, como na India e com o ordenado indiano, isto desde que nós não fossemos um deles... e o vosso posto de trabalho, para que serve?

korrosiva disse...

Qual é o serviço ou entidade do Estado que funciona bem?
Já vi muita alminha em repartições publicas a "quase que ia jurar" que isso não é da nossa competencia... enfim...


Bom fim de semana

Ferreira-Pinto disse...

antónio de almeida o tal suplemento vitamínico de que fala nem era a principal das preocupações que eu para ali espelhava ... de qualquer forma, esse suplmento é apenas uma das faces das nossas públicas virtudes, vícios privados!

manuel gouveia o meu posto de trabalho? ora deixa cá ver ... minutas e lançamento de todo o procedimento concursal de parcerias público-privadas; minutas e lançamento de todo o procedimento concursal de concessões de serviços públicos; pareceres juridicos na área administrativa e do urbanismo; processos disciplinares; elaboração de peças processuais a apresentar em tribunal administrativo ... é mais ou menos por aí ...

korrosiva ora bem, eu, que trabalho numa, tenho aquele princípio quando me perguntam se faço muito, logo respondo para o que ganho ... e quando me perguntam se ganho muito, logo replico para o que faço!
seja como for, nem tanto ao mar, nem tanto à terra!

DANTE disse...

Eu também trabalho numa instituição pública , e custa dizer que realmente podia funcionar melhor , mas é a verdade.
Tachos por aqui também os há , mas o que mais aborrece e satura são as almas que lá porque têm trinta e tal anos de casa acham que já têm o direito de não fazer nada. Alguns até já se sentem como 'donos'do sector em que laboram e tratam os funcionarios por 'o meu empregado'.E quanto mais alto é o cargo , pior!
O mesmo acontece com essas entidades de que falas Ferreira. Não existem para fazer mas sim para mandar fazer , e na melhor das hipoteses ir fazendo!

Um abraço e vamos lá mas é atestar o depósito que cheira-me a que esse relatório ainda nos vêm mas é ao bolso...

DANTE disse...

errata: "...ainda nos 'vem' mas é ao bolso..."

Joaninha disse...

É numa dessas comissões que me vais arranjar uma cadeirinha é? É que ouvi dizer que se faz menos que nos ministérios e ganha-se quase o mesmo :)

beijos

Peter disse...

No Carnaval fui ao Algarve. Ao longo da A2 os paineis tinham todos o indicativo: "preços dos combustíveis a fixar oportunamente".

Não sei se já os fixaram...

Zé Povinho disse...

As gaiolas já têm demasiados poleiros, tantos que os passarões já nem voam.
Bom fim-de-semana
Abraço do Zé

Compadre Alentejano disse...

Há muito que,no Papa Açordas, venho reclamando contra os tais "reguladores" que, afinal, nada regulam.
Os reguladores quando tomam posse, já sabem o que os espera e, é só ajustar o cuzinho na cadeira. Comportam-se bem, recebem o ordenado, mais umas massinhas por debaixo da mesa (corrupção) e, são mais uns aninhos para uma reforma confortável...
É só chulagem...
Abraço
Compadre Alentejano

Bastet Ailuros disse...

O melhor é não usar gasolina, nem gasóleo, nem ou outros combustíveis fósseis.
Não são renováveis, são poluentes, e contribuem para o aumento de poder dos poderosos do "oil business" enquanto os nossos bolsos se vão esvaziando e o planeta ficando doente.
O melhor é usar transportes públicos (se os houver), de preferência movidos a electricidade, andar de bicicleta ou mesmo ir a pé.
Pelo menos, se forem alternativa viável.
Saudações ecológicas