Velhos do Restelo

Parece que o Governo quer fechar o Tribunal da Boa-Hora e trasladar os serviços para o Campus da Justiça na Expo. Eu julgaria que se trataria de uma medida positiva que ia ter o colectivo de magistrados, advogados e juízes a aplaudir de pé.
Enganei-me!

Passamos a vida a ouvir como os tribunais estão degradados. Como não há condições de trabalho. Como as instalações estão velhas e desadequadas das reais necessidades. Enfim, o coro constante das lamentações. Agora que se vai mudar o Tribunal da Boa-Hora para um local mais bem apetrechado e mais consonante com o séc. XXI, logo se levantam as vozes dos velhos do Restelo que não senhora, que se vai fechar um edifício com uma história centenar, um marco patrimonial da cidade e eu sei lá que mais. Pensa-se transformar o edifício num hotel de charme ou num museu dedicado à Justiça. Que não, que hotéis de charme há muitos, que o museu não faz falta. Até petições do estilo "Salvem a Boa-Hora" circulam já por aí.

Pobre país este: quando se faz algo, está mal; quando não se faz nada, mal está.
Alguém percebe?
Eu não, mas isso não é novidade.

11 comentarios:

o que me vier à real gana disse...

Olá, boa noite!

...Ora, não é novidade. Por cá (claro, por toda a ecúmena!): "eu só estou bem onde não estou".

PS eles k se preocupem isso sim, com a aplicação da justiça; com o carácter dogmático da ordem jurídica; com a aplicação efectiva da sua 1ª linha; com o alertar o legislador para as baralhadas que, passando pelo fraco crivo da presidência da República (desta e doutras), são publicadas no "Diário da República"... enfim - tanto k haveria a dizer -, com a equidade.

Fiquem bem!

AP disse...

Foi por estas e por outras que o General Servius Galba escreveu ao imperador romano a dizer que "lá nos confins da Lusitânia existe um povo que não se governa nem se deixa governar"...

pedro oliveira disse...

Nem mais AP.

indomável disse...

Sabes minha blondie,
começo a acreditar cada vez mais que "great minds think alike", ahahah!

Agora a sério, ia eu ontem no meu veículo a motor que se assemelha levemente a um automóvel, não fosse pelo facto de começar a falhar em todas as suas características automóveis, quando uma ideia começou a formar-se-me no espírito - então não parece mesmo que os portugueses, como povo, só estão bem a queixar-se e a lamentar-se.
O facto é que somos um povo com grande poder argumentativo, gostamos da retórica por demais, argumentamos a favor e logo a seguir somos capazes de arranjar argumentos contra com a mesma facilidade. se preciso for, até usamos argumentos que já usámos anteriormente a favor, para argumentar contra, numa rotatividade de argumentos que envergonharia o melhor de Sócrates...

Sim, é verdade, não gostamos muito de aprofundar as questões e resolver os assuntos com um planeamento bem feito, mas argumentamos como mais ninguém no mundo. Somos o povo da superfície, isso que ninguém tenha dúvidas!

Ou isso, ou então estou a ficar deprimida...

António de Almeida disse...

São questões distintas, quanto à transladação da Boa-Hora para a Expo, de acordo, ou para qualquer outro lugar onde existem melhores condições de trabalho. Quanto à questão do Hotel de charme, aguardo para ver o projecto.

DANTE disse...

'Tá mal Blonde... ;P

Jokas :)

Carol disse...

Estou bem onde eu não estou e eu só quero ir, aonde não vou.... Lembras-te? Tem tudo a ver com o povinho luso...

Joaninha disse...

"num museu dedicado à justiça"

Blonde tu tens em sentido de humor refinadissimo.

Museu dedicado à justiça, hahahahaha, fartei-me de rir.

Hotelzinho de charme, acho que sim e porque não, afinal de contas muda pouca coisa ;)

beijos

Ferreira-Pinto disse...

Hum ... a história do Velho, o Petiz e o Burro aplicar-se-á a este caso?

Ou será que Charles Darwin encontra aqui eco da justeza das suas posições com uma nova subespécie denominável de "homus velhus restelus"?

Blondewithaphd disse...

Quinn, qual é essa do velho, o petiz e o burro?

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A história do "Velho, o rapaz e o burro" explica (quase) tudo.