Hoje há pornocracia!

Ia rua fora pensando que a euforia dos corsos lusos fizera arribar à costa umas pérolas quando, sem que nada o fizesse prever, é literalmente atropelado por um ofegante ser …
Até parece que foges como o cão do Garrett - resmungou.
Não fujo, corro à frente - replicou o outro.
E corres à frente de quê criatura?
Credo! Mas então tu não vês, não sabes? Valha-me a Santa, homem distraído - disse o outro.

E lá se produziu um relato, meio ofegante à conta da respiração, sobre uma senhora queixosa e a outra que decidiu que a moral pública era violentada com umas meninas no ecrã do “Magalhães”. Mais arriba, na terra dos três “pês”, ou Braga, para quem não souber, nova queixa e a autoridade confiscou uns livros ...

Os livros de que te falo tinham na capa uma generosa exibição de … hum … é melhor não dizer - asseverou o outro.
É melhor não dizer o quê?
O nome da coisa, não vá alguém confiscar-te o NOTAS.
Mas, afinal, falas de quê?
Porra, duma pintura duma mulher que exibe os órgãos genitais! - berrou o outro.
E os livros foram confiscados a que propósito?
Porque o tipo achou que eram pornografia!
Ah ... Olha lá, mas então corres à frente de quê? E para quê?
Do polícia que daqui a quinze minutos me aparece ali no quiosque a comprar "A Bola".
Essa agora …
Ai não, com o mostruário que lá tenho de revistas com meninas ladinas ali com quase tudo ao léu, olha o prejuízo se o tipo me confisca o material!

E cada um seguiu seu caminho.
O outro arfando pela salvação das revistas, e este pensando se bonito como é, podia ser considerado pornográfico e sujeito a apreensão?

14 comentarios:

AP disse...

Muito bem visto!
Certamente muitos donos de quiosques de revistas a esta hora fazem contas à vida e ao prejuízo que aí vem...

pedro oliveira disse...

Aconselho a ouvir o João gobern hoje na antena no seu pano para mangas.Já deve estar em podcast.Diz tudo sobre mais este infeliz caso PIDESCO.

António de Almeida disse...

Ao menos o Diácono Remédios era engraçado, estes tipos não têm piada nenhuma. Nem acho o mínimo de piada aquela pintura, mas cada um compra o que entende, começa a instalar-se no país uma cultura de fundamentalismo e intolerância, e alguns "boys" & "girls", não obrigatoriamente políticos, no caso de Braga terá sido alguma chefia intermédia da polícia, procuram agradar não se percebe bem a quem, cometendo actos da maior estupidez. A liberdade é um bem demasiado precioso, o mais importante dos valores, para admitirmos que seja posta em causa por actos de censura, ainda bem que a indignação foi geral, porque uma vez perdida, será dificil recuperarmos a nossa liberdade.

Ferreira-Pinto disse...

Caro António de Almeida as suas palavras podiam e deviam despertar outras interrogações.

Permita apenas que discorde quando diz que "começa a instalar-se no pais uma cultura de fundamentalismo e intolerância", pois, na minha opinião, ela sempre existiu estando ora mais activa, ora ali meio adormecida no fundo da nação. E, assim sendo, este é um daqueles momentos em que vem mais ao de cima!

Costumo dizer que a alguns portugueses (para não dizer à esmagadora maioria) nada como lhes dar um pouco de poder, para logo se revelarem uns tiranetes!
Essa é que é essa. A alguns, desconfio, o simples poder de decidir, de poderem dizer que "SIM" ou que "NÃO" enquanto rapam do carimbo é um gozo rebolado.

Quantos e quantos chefes, balcões, secretárias ou repartições são frequentados por espécimes desta natureza?

Quem não topou já com um? Quanto papel, requerimentos, reclamações e afins se tiveram e têm de fazer neste País para corrigir o erro elementar dum qualquer anormal que, eivado desse espírito do "eu é que sei, eu é que mando", cometeu grossa asneira?

No caso de Braga, ao que julgo saber, alguns transeuntes e frequentadores do espaço sentiram-se beliscados e, como por ali andavam crianças, alguém sentiu-se na obrigação de delatar o tal livro com a reprodução do quadro. Que, aqui entre nós, e conforme diz, nem é nada de especial retirado do contexto histórico em que foi produzido. Tenho dois nus, na forma de serigrafia de José Rodrigues, que são esteticamente bem melhores que aquele …

Em Torres Vedras também foi uma cidadã que se sentiu ofendida.

Se a imagem dos órgãos genitais femininos assim expostos na capa dum livro podem perturbar alguém, já pelos padrões médios lusos não se entende o incómodo que um bocado de papel pode causar e já não o desfilar em peito desnudado num desfile de Carnaval como ainda ontem vi.

Pela lógica das coisas, também iam apreendidos os dois e como não são destacáveis, a dona também!
Ou será que mais um pouco e teremos aí alguém a chamar a polícia porque a vizinha da mesa da frente está com "um decote que nem posso e aqui o meu rapaz não sossega"? Ou por causa das mini-mini-saias?

Blondewithaphd disse...

Ó pá, então eu não aprendi que este é o país dos brandos costumes (whatever that is)?

Carol disse...

É que sem comentários!

Adoa disse...

É tudo inveja...Sabes que eles confiscam essas coisa para ter melhor acesso a elas e ver melhor...

Quanto às revistas nos quiosques, os polícias podem sempre comprá-las quando vestidos à paisana, para quê terem trabalho em confiscar?

indomável disse...

olha meu amigo,
ontem fiquei de boca aberta ao ouvir tal aberração em Braga...
Não me consegui conter e soltei uma sonora gargalhada.
E se alguma mãe mais zelosa se sentiu preocupada pela sua criança, mal não lhe fazia em pegar no assunto e explicar ao menino ou menina, que aquilo é o que ele vê quando a mamã toma banho e para o que serve...
O saber, o saber... ocupa menos lugar que a vasta ignorância que por aí vai grassando...

Joaninha disse...

Desculpa lá pá mas teve piada!

É carnaval, vocês não entenderam nada, era uma piadinha de carnaval!

Este pais as vezes assusta ;)

beijos

mac disse...

Se fosse pela nudez exposta, então muitas revistas teriam de ser apreendidas, como diz o Ferreira Pinto.
Concordo com o Indomável; se algum miúdo sentisse curiosidade por aquela foto, seria uma boa altura para os papás lhe explicar o que é e para que serve. Mas o engraçado é que, provavelmente a maior parte dos miúdos sabe do que a foto se trata. Cá para mim devem te sido mentes conspurcadas e tacanhas que se sentiram incomodadas com a foto, e decidiram por a culpa nos miúdos.

António de Almeida disse...

Caro Ferreira-Pinto

Por sinal até já estive diante do quadro original, e não desperta qualquer interesse, face aos grandes mestres do impressionismo (este é do período imediatamente anterior), com quem compartilha o espaço.

Compadre Alentejano disse...

Ainda ontem, aqui em Faro, um proprietário de um quiosque, se lamentava a pensar nas próximas atitudes pidescas e de costumes da polícia.
Será?
Compadre Alentejano

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Lentamente vão chegando os sinais de retoma... do Estado Novo.

DANTE disse...

Se tenho lido isto há mais tempo hoje tinha vindo de máscara. Preso não sei mas das multas é que tenho medo LOL

Um abraço Ferreira