Não, obrigado

O Conselho da Shura Mujahedine, organização que reúne vários grupos iraquianos, incluindo o ramo local da al-Qaeda, num comunicado colocado na Internet, ameaça: "O adorador da cruz (Bento XVI) e o Ocidente serão derrotados como acontece no Iraque, Afeganistão e Tchechénia. Vamos quebrar a cruz e derramar o vinho ... Alá permita que os degolemos e faça dos seus descendentes e do seu dinheiro a recompensa dos mujahedines"

Sinto-me directamente ameaçado porque pertenço à Civilização Ocidental, com todos os seus defeitos e virtudes e quero continuar a pertencer a ela e a viver à minha maneira:

- quero continuar a comer umas febras de porco com batatas fritas, acompanhadas duma, várias, imperiais no Verão, ou de um bom tinto alentejano no Inverno, assim como quero continuar a beber os meus whiskies;
- quero continuar a ir para a praia e a ver todo aquele desfile de garotas em bikini, ou monokini;
- não estou interessado em deixar crescer a barba, nem em colocar-me cinco vezes por dia de cu para o ar. E sabem porque eles deixam crescer a barba? Não, não é por questões políticas como fazem muitos dos nossos “parolos” esquerdistas-oportunistas de fresca data, é para combaterem a homossexualidade masculina;
- quero continuar a passear por esta linda Lisboa e a admirar os belos seios que as mulheres generosamente expõem, quando sabem que o podem fazer, porque o que é bom é para se ver. Não quero ver esta cidade povoada de "avejões", cobertos de negro da cabeça aos pés;
- quero gozar livremente a minha vida, sem quaisquer peias, ou restrições e desde que o meu comportamento não colida com os direitos, ou com os sentimentos dos outros.

Como escreveu Fernando Madrinha, num seu Editorial do "Courrier Internacional", de que já não me lembro a data, "a arrogância desses líderes (muçulmanos) que mobilizam a rua, como que pretendendo impor a lei da mordaça ao Ocidente e ao próprio Papa*, é obviamente inaceitável".
------------------------------------------------------------------------------------------------
* Embora o que ele disse, ou deixou de dizer, não me interesse minimamente, admiro a sua coragem e frontalidade, quando vejo responsáveis políticos, e religiosos, que deviam discordar da sanha assassina dos terroristas islâmicos, todos de calças na mão, sem condenarem o terrorismo praticado em nome do Profeta e permitindo assim que chegue até nós ocidentais uma interpretação errada do Corão.

9 comentarios:

António de Almeida disse...

Sinto-me directamente ameaçado porque pertenço à Civilização Ocidental, com todos os seus defeitos e virtudes e quero continuar a pertencer a ela e a viver à minha maneira:


-Também eu, mas por cá existe quem considere os terroristas "pessoas como nós", e muito pudor em dar tratamento adequado a quem o merece. Já deve ter lido sobre pirataria na Somália, o ocidente anda por lá entretido a patrulhar as águas mas a pirataria continua, entretanto a União Indiana que não se preocupa em dialogar com piratas tratou logo de enfiar uma embarcação no fundo, agora vai para lá a China, algo me diz que a pirataria irá diminuir...

Peter disse...

"por cá existe quem considere os terroristas "pessoas como nós", e muito pudor em dar tratamento adequado a quem o merece"

Só desejo que essas pessoas nunca vejam os corpos da mulher e dos filhos despedaçados por acção dessas pessoas às quais não me equiparo.

Ferreira-Pinto disse...

Quanto ao tratamento a dispensar àqueles que, em nome do Islão, praticam os maiores desmandos, apenas e só porque é essa a interpretação que fazem do Corão ou a que mais lhes convém, só conheço um remédio ... chicote em cima, no mínimo!

Compadre Alentejano disse...

Corão para mim é sinónimo de terrorismo, fundamentalismos, burkas, falta de liberdade, política e religiosa, assassinatos, pirataria, desvio de aviões, etc.
É necessário mais?

Peter disse...

Ferreira-Pinto

Fiz uma cadeira anual de opção que se intitulava "História das religiões" e aprendi a apreciar o Corão e a sua mensagem de paz e tolerância, bem como a sua capacidade de viver com outros grupos religiosos e étnicos. Alás foi o que se verificou em Portugal.

Encontramos isto no fundamentalismo islâmico dos talibãs?

Sou contra o fundamentalismo islâmico, como sou contra a Inquisição, ou como fui contra o IRA, como sou contra a ETA, ou contra as minas anti-pessoal, ou contra as bombas de fragmentação...

Mas o terrorismo é mais cobarde porque não veste um uniforme como o soldado que o distingue dos civis, mistura-se no meio destes e mata indiscriminadamente.

Oxalá que essas almas caridosas que os defendem não venham a ser vítimas.

Peter disse...

Compadre Alentejano

Será que as minhas pouco prováveis leitoras deste texto conhecem esta Sura?
"Uma mulher desobediente ao homem, este pode castigá-la. E bater-lhe. Sura IV, 38."

É clara e explícita a posição da mulher : inferior ao homem e dependente do homem. Não vejo referências à presença da mulher no paraíso, a não ser como fonte de prazer para o homem.

joshua disse...

A fraqueza do Ocidente Europeu no seu território é nítida e notória, basta ver algumas leis em vários pontos da Europa [Inglaterra? França?] que representam uma cedência em matéria de costumes ao imigrante muçulmano; o que vale é que aparentemente há uma ampla consensualidade quanto à guerra no Afeganistão e alguma coisa ainda pode ser feita para que se prove que cão que ladra não terá oportunidade de morder mais do que já mordeu.

Abraço ao Peter e votos de Saúde
joshua

Peter disse...

joshua

Faz hoje 20 anos que terroristas líbios fizeram explodir uma bomba a bordo do voo 103 da Pan Am entre Londres e Nova Iorque. O avião despenhou-se sobre a localidade escocesa de Lockerbie, matando 270 pessoas.

"Tadinhos" dos terroristas líbios.

AP disse...

Confesso que apesar dos defeitos a nossa "civilização" é a melhor e a que mais tenta defender os direitos do ser humano!

E abomino quando vejo ocidentais a tentar arranjar desculpas para o que os radicais e extremistas islâmicos fazem, apenas por ser em nome do Profeta ou do Alá, ou de outra qualquer entidade de barbas compridas!

Bom Natal!