Quando o Dr. Mendes se agiganta, cuidado com ele!

Nada como um político deixar de ter um lugar de relevo para concluir que está na altura de “MUDAR DE VIDA”. Foi o caso de Luís Marques Mendes, o outrora chefe do PSD.
Mudou para umas empresas e mudou-se para escritor opinativo apresentando ideias que, enquanto andou na política, calou lá no seu íntimo.

É um mistério tramado, muio pior que o da estrada de Sintra, este de os nossos políticos enquanto lá estão fazerem precisamente o contrário daquilo que, quando saem, vêm dizer que devia ser feito!
A não ser que a disciplina de voto e partidária explique tudo.
Embora eu ache que a ausência de vergonha e de coluna vertebral também explique algumas coisas.

Uma das ideias que o dito Luís Marques Mendes topou agora é que temos tanta corrupção por causa dos impostos que temos de pagar, dos papéis que temos de assinar, dos “pede deferimento” que humildemente temos de assinar.
Depois de andar por ali a ruminar nesta interessante ideia, o Dr. Marques Mendes pede um Estado reduzido ao essencial e tudo será um mar de rosas, perdão, um laranjal florido!

Nós continuamos é sem saber o que é lá isso do Estado reduzido ao essencial, mas também com os Barrosos e Sócrates que nos calham é o mesmo.
E se for com a Senhora Dona Dama de Ferro lusitana será a mesma coisa …
Mendes ataca ainda a política macroeconómica que tem sido seguida nos últimos anos, sem especificar de quem são as principais responsabilidades.

"A verdade, porém, é que a crise que vivemos é, sobretudo, ditada por razões internas e por factores nacionais. Antes desta crise internacional já Portugal vivia em crise, já não convergia com a Europa, já se atrasava em relação aos seus parceiros europeus, já não criava riqueza suficiente para combater a exclusão social e para promover um desenvolvimento consistente", escreve.

"Os portugueses têm passado os últimos anos a fazer sacrifícios em nome de ajustamentos estruturais que não se concretizam, sem que vislumbrem, por isso mesmo, o retorno económico e social dos sacrifícios realizados. Daí até à perda de confiança vai um passo muito curto", refere ainda.

Esperem lá, este senhor não é o mesmo Luís Marques Mendes que foi ministro uma série de vezes e deputado da Nação?
E se sim, quando lá andou não sabia do que se passava ou está a brincar connosco agora?

17 comentarios:

joshua disse...

Já te tinha dito que sonhei que caminhávamos juntos, tu vestido como um frade, tonsura, cilício e um grande malho das Caldas porventura por baixo do teu Hábito? Pois fois o que me foi filme. Quanto ao malho, quando se sonha não há limites para associações: tinhas tudo o que um frade franciscano tem, sandálias também.

Lado a lado, num percurso florestal, conversando sobre Política me dizias que estavas cansado, que te retiravas franciscanamente da consultadoria jurídica e da Política no seu Todo, que por ti agora seria um sossego aramado da aurea med e da pena de vergastar o mundo e eu te dizia inconformado assim: «Frei Tarantino, longe de ti abandonares a Causa Executiva. A Causa Executiva precisa de ti. Estiveste no meio deles. Conheces os vícios deles. Estás fartinho das manhas deles que, industriado e doutorado, conheces por demais. É a tua vez de liderar sozinho e sem eles.»

Pequeninamente, meneavas a cabeça e não assentias no que te suplicava alvitrador. De repente, passa Frei Marques Mendes e dirige-se-te deferente: «Fratello Tarantino, vim também para a ordem franciscanizar a minha retirância política e a minha liberdade de bitaitar. Como folgo em ver-vos igualmente por cá sem penas e abraçado à pena. «Num braço a espada, no outro a pena», citou, gracejando que, retirados agora do Mundo, a espada de Agir em Prol do Povo também descansaria. Seria só verbo mesmo.»

Nesse ponto, o sonho virou pesadelo porque eu via impotente dois Frades da Política aportuguesarem-se inteiramente, retirando-se da vida activa e executiva para activar somente a bitaitada e a marcação de língua ai-jesus e tal da nossa Política e da nossa fraca Vida de Ideias Nacional.

Pequeninamente, o Marques Mendes também quer vender livros, é mais um, e tu viste, eu vi, as suas perninhas ambientais e enérgico-renováveis bamboleando na cadeira diante da Judite Inquisitorial de olhos de faca, feliz, sereno, ali devolvido à grande paz do descompromisso político activo, ali o símbolo acabado de este Fado de Amuados e de Atados que nos vai definindo como Povo. Mas para todos os efeitos, entre tanto frade franciscano retirante da política, tu ao menos tens um Malho das Caldas por baixo do Hábito e, no meu sonho, não és de barro.

PALAVROSSAVRVS REX

Carol disse...

Ó, pá, que falat de sentido de humor! É claro que o senhor estava a reinar!

Carol disse...

Sorry... Eu queria escrever "falta de sentido", mas são duas da matina e estou a trabalhar desde as 7 da manhã... Dá-me um desconto!

pedro oliveira disse...

Concordando com a contradição de Marques Mendes Politico e Marques mendes Administrador de empresas(será que vem daí o conhecimento do mundo real?), também não deixa de ser verdade que foi ele que não apoiou Valentim loureiro e isaltino(por exemplo),mas sim o POVO.
PO
vilaforte

Ferreira-Pinto disse...

FREI JOSHUA, Irmão Rex, é verdade que lado a lado, num percurso florestal, íamos conversando sobre Política ... e não é menos verdade que te dizia estar cansado, que admitia uma retirada franciscana ...

Enganai-vos, porém, no que tange aos frades que da política se retiraram e se aportuguesaram inteiramente ... é que um, por muito que o não queira, tem de vergar a mola pois tem de meter pão e mais alguma coisa portas adentro que a sua condição de amancebado o exige (sim, amancebado pois cousa inaudita seria ver-se um frade casado! e com gêmeas!) ... já o outro, para além de generosos sestércios que lhe caíram da mama republicana pública, ainda os recebe da mamas privadas ... como vêdes, há diferenças ... e outra ainda ... eu bitaito porque me incomoda que se viva assim, que se minta descaradamente, que se diga hoje que somos amigos dos pobres e amanhã nos transformemos em amantes dos ricos ... eu bitaito porque penso que o meu coração bate do lado dos visonários que sonham com uma sociedade, pelo menos, um pouco mais recta, e o de Frei Marques não tenho bem a certeza que bata!

De qualquer modo, não Vos iludeis, Frei Joshua, meu retiro é meramente táctico, embora a minha acidez do bitaite seja permanente ... tivesseis Vós tido a oportunidade de ler as minhas escorrências apelidadas "Disto & Daquilo" quando era efectivamente um Frade mais importante e Frei Guterres mandava, logo verias que a mim dificilmente me escaziam de pensamento!

António de Almeida disse...

-Nada como alguém sair da política para aparecerem antigos adversários, do interior do próprio partido e do partido rival, isto não um exclusivo do PSD obviamente, João Cravinho nunca foi tão admirado à direita como agora, por exemplo.

Peter disse...

Como é que é aquele ditado?
"Faz como eu digo, não faças como eu faço"?
MM nunca me convenceu, uma fraca figura, sem carisma, incapaz de arrastar multidões.
Lá teremos que continuar a gramar o Sócrates, agora sem maioria absoluta. Sim porque não são os "cacos" do PSD que podem constituir um opositor credível.

lusitano disse...

Do alto do meu metro e noventa não sei, não vi, onde é que foi???

Não estou a gozar com a altura do senhor, estou apenas a dizer que podia muito bem ter esplanado as suas ideias quando esteve na ribalta e sobretudo lutado mais por elas.

Mas eu cá "na" sou ninguém e se escrevesse um livro não ia lá tanta gente à apresentação!!!

Blondewithaphd disse...

"Muda de Vida" não era do António Variações? Só conheço a versão dos Humanos e é bué gira:)

Maria disse...

Provavelmente já ouviram dizer e nos casos que conheço é verdade: politicos são criaturas fantásticas (brilhantes mesmo) até ao dia em que tocam no poder. Ai, solta-se o Mr Hyde que habita neles e fica logo tudo estragado. Quanto a esta febre do escrever livros (desde alternadeiras, apresentadeiras e outros espécimes), são alimentados por quem compra. È como a audiência dos programas sub-sub-muito sub-prime das novas TV’s

Daniela Major disse...

Marques Mendes já percebeu que não vai voltar a ser Presidente do PSD e por isso quer obviamente os seus últimos minutos de fama. É com uma estrela medíocre que escreve as suas memórias.

Compadre Alentejano disse...

Marques Mendes está a preparar o regresso, e como o PSD está, não me admira nada que haja um novo congresso, o homem se agigante e ganhe...
Todo o político é demagogo. Quando está fora do poder tem um discurso, quando está no poder, é mentiroso, porque não cumpre nada do que prometeu...
É a vida...

Tony Madureira disse...

Olá,

Passei para deixar um beijinho e bom fim de semana.

Ferreira-Pinto disse...

Tony Madureira, eu os votos de bom fim de semana aceito, agora lá o beijinho vai ter de ser para o sector feminino.

Tiago R Cardoso disse...

Gostei do beijinho, diga-se que merecido.

este senhor de que falas não parecia nos marretas, na tribuna do publico a mandar bocas ?

Zé Povinho disse...

A memória dos políticos é tão curta que me pergunto se não têm problemas de amnésia. Hoje está bem com a vida, diz ele, ou bem de vida, digo eu, por isso resolveu abrir a boca, mas sempre com o cuidado de frisar que não está na vida partidária activa. Pois é, estar bem com Deus e com o Diabo, não vá este tecê-las.
Abraço do Zé

Adoa disse...

Tenho um convite para vós em http://damiel-an-angels-diary.blogspot.com/