Misturar Kuahajoki com Bush para quê?

Será possível que se encontre explicação absoluta para o que sucedeu ontem em Kuahajoki, Finlândia?
Ou antes em Columbine, Estados Unidos?
E será que Portugal está longe de tão infausto acontecimento vir a suceder entre nós?

Tirando esta interrogações, às quais não sei de resposta certa, sei de quem tenha aproveitado para a partir do sucedeu em Kuahajoki, pela mão de Matti Juhani Saari, de apenas 22 anos de idade, fazer uma diatribe contra os que, na sua visão, são os trastes que só sabem falar de Columbine e do alegado laxismo de George W. Bush quanto à posse de armas nos EUA.
Defender que se o massacre tivesse sido nos EUA já muitos estariam a vociferar contra Bush, é dum oportunismo atroz e duma demagogia do mais rasteiro que existe.

Desde logo, porque a aparentemente pacífica Finlândia, além da NOKIA, de uma vodka jeitosa, das renas, das saunas e dos ases do volante, também se particulariza por ser um dos países do mundo com uma das maiores taxas de posse de armas. Quer dizer, está ao nível dos EUA e do Iémen.
Em segundo lugar, porque por muito canastrão que George W. Bush seja, a permissividade ao poderoso sector dos amantes das armas nos EUA não é um exclusivo republicano e muito menos deste Presidente.
Em terceiro lugar porque nestas horas não existem nem sistemas políticos ou sociais bons ou maus, antes buracos negros na mente humana e falhar comuns à sociedade.

Embora haja quem assevere que tudo isto resulta do laxismo de hoje, da ausência de autoridade do Estado e das instituições, da desagregação da família, eu sei lá que mais, quantos casos há em que se escuta o “era tão boa pessoa, nunca se metia em problemas e agora isto …”.
Ainda ontem li que em Cascais, um jovem de 14 anos, aluno de um colégio religioso não foi de modas e esfaqueou os progenitores mandando os dois para o hospital.
Sou agnóstico, mas nem por isso taxativamente afirmo que aquilo é fruto de uma educação clerical repressiva.

Por isso, àqueles que são sempre pelas certezas absolutas aconselho moderação e prudência.
A sua sanha pode-se virar contra eles!

Escrevi isto na maior das calmas, ae som de “Suicide & Redemption”, do recente “Death Magnetic” dos Metallica. E não me deu vontade de matar ninguém!
O aviso é só para os que explicam estas coisas pela música que se ouve.

18 comentarios:

salvoconduto disse...

Fico mais sossegado com a nota final, isto porque não tenho a certeza de que se possa matar via internet.

lusitano disse...

Tudo serve para dar porrada no Bush...

O homem paga pelo que fez e pelo que não fez...

Blondewithaphd disse...

Ninguém é inocente nestas coisas. Os países nórdicos são pacíficos mas assassinaram o Olof Palme e também raptam crianças. Só que falamos de países com pouca densidade populacional e nos EUA as coisas são mais visíveis porque: a) a América é a grande potência ocidental, b) eles são 200 e tal milhões!

António de Almeida disse...

-Ah mas não tenha dúvidas que se tivesse ocorrido nos EUA, Rui Tavares, Daniel Oliveira, Mário Soares, Ana Gomes entre muitos outros estariam a vociferar insultos a George W. Bush, e agora de modo mais conveniente à gov. Palin, eu até apoio Obama. A questão das armas poderemos discuti-la seriamente, preferencialmente noutro contexto. Afirmo que por cá, nomeadamente em zonas rurais como o Alentejo, existem milhares de caçadores, logo muitas armas, volta e meia são usadas na resolução de disputas de vizinhança, mas felizmente nunca aconteceu que me recorde um massacre destas proporções, espero que nunca venha a ocorrer, mas não estamos a salvo, ninguém está, nos EUA, na Finlândia, em Portugal ou em qualquer parte do mundo. Quanto aos Metallica, excelente gosto!

pedro oliveira disse...

Pois é meu caro, passei a minha juventude a ouvir metálica,Iron Maiden e Hallowen, tive uma educação católica apostólica Romana e nunca matei ninguém, serei normal?

PO
vilaforte

DANTE disse...

Realmente ao som do 'death magnetic' não dá vontade de matar ninguem mas... ao do 'load' e do 'reload' já não sei não...

E pronto...lá tou eu com brincadeiras...

DANTE disse...

Ah e já agora...isso na finlândia é o 'pão nosso de cada dia' comparado ao resto de casos iguais pelo mundo fora.
Deve ser do 'death metal'
Bolas...outra vez na reinação.
I'll be quiet from now on...que em português quer dizer: 'aldra'
lololololol

Ferreira-Pinto disse...

Mister DANTE don't you even dare to be quite from now on!

Carol disse...

É como em Portugal: tudo serve para desancar o Sócrates, mas ninguém se lembra das responsabilidades dos restantes partidos que estiveram no poder...

Quanto a estes actos tresloucados, acho que nada os pode explicar.

João Castanhinha disse...

Bom, o "Suicide and Redemption" ainda não me chegou à estereofonia, mas tambem com as baladas que esses meninos agora fazem tambem não me parece caso para desatar aos tiros, agora com ABBA...isso sim, dá-me ganas de desatar aos tiros a malta nórdica vestida de hippy, vai na volta o miudo filândes foi ver o Mama mia.:)

Ferreira-Pinto disse...

CASTANHINHA no que o amigo se mete, olhe que se aqui a nossa loira de serviço lê isto ...

... mas o "Death Magnetic" recomenda-se!

Peter disse...

Este texto fez-me pensar, não sei a quem atribuir as culpas, mas será que recuando 100 anos não se nos deparam situações semelhantes, embora menos difundidas, por insufuciência de meios?

A pacífica Finlândia é a 2ª no ranking armamento/população, com quarenta e tal por cento, enquanto os EUA têm cinquenta e tal.

Este acontecimento fez-me lembrar um comentáro ouvido há 2 anos quando andei pela Península Escandinávia:
Um sueco, quando lhe disse que acabara de visitar a Finlândia referiu-se a eles como "os nossos primos esquisitos".

Tiago R Cardoso disse...

A violência não é exclusiva de alguns, sejam os EUA ou qualquer outro...

É de uma sociedade onde se perde valores, onde o plástico abunda e a vida tem cada vez menos valores.

Compadre Alentejano disse...

Há Sociedades em que os jovens têm de tudo, até armas...

André Couto disse...

Perdoem-me o humor negro...
Mas esta nota final foi:
"Tiro e queda".

Saudações.

DANTE disse...

Quanto ao 'dare' não há crise , que eu nao tou tou aqui pa dar(e) nada a ninguém....Faz-me tudo falta.
lololol

Um abraço

Maria disse...

"mesmo a calhar", a resposta á 3ª pergunta, está hoje nos jornais: "Jovens barricam-se no Centro Educativo da Bela Vista "

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

E o país exemplar do modelo socrático mostra que também tem as suas debilidades. Para mim era impensável que isso acontecesse!