Antes tarde do que nunca

Tiago R Cardoso - 04.09.2008

Faz-me confusão as reacções ás noticias, mais do que a própria noticia, diga-se que é uma noticia normal de um estado a actuar em defesa da segurança, o governo aprovou hoje o novo regime jurídico das armas, que prevê a aplicabilidade da prisão preventiva em casos de crimes cometidos com detenção ou com recurso a arma proibida.

Quem for contra a medida, levante a mão e faça o favor de dizer.

Não acredito que se deva meter tudo o que é feito, seja de bom ou de mau, no mesmo saco.

Depois temos reacções do tipo extraterrestre, “Uma cedência populista que diz bem da falta de determinação política deste Governo no que diz respeito à segurança. Lamentável...”, um anónimo no Publico.

Cedência populista????

Lamentável???

Senhor anónimo, antes tarde do que nunca.

Evidentemente que não são com medidas avulso que se resolve a questão, quando o que se pretendia era uma intervenção de fundo.

Evidentemente que não é com um “super policia”, que a coisa vai, nem que ele se apresente de capa e tudo.

No entanto se existem medidas correctas, quase de certeza que esta é uma delas, o que se espera é que os tribunais avancem rapidamente com estes processos, senão teremos mais uns homicidas na rua, como o outro senhor, que fez o que fez e de vinte apenas esteve lá dentro três.

8 comentarios:

António de Almeida disse...

-Emendar a mão com a legislação que carecia de regulamento.

Compadre Alentejano disse...

...e o rapaz (o que de 20 anos cumpriu três) ainda quer ir dar aulas!...Aos meus filhos, garanto, que não dava aulas.
Quanto à lei das armas ilegais, está certo, só espero que não me venham buscar a minha pistola de alarme e o punhal de escuteiro...
Compadre Alentejano

O Guardião disse...

É pena que acertem tão poucas vezes e que só agora tenham emendado a mão, mas também é verdade que mais vale tarde do que nunca.
Cumps

lusitano disse...

«o governo aprovou hoje o novo regime jurídico das armas, que prevê a aplicabilidade da prisão preventiva em casos de crimes cometidos com detenção ou com recurso a arma proibida.»

Duas perguntas meio tolas:

Então e se a arma não for proibida?
Então e se o crime for cometido com arma legalizada?

Pata Negra disse...

O mal maior é que, por responderem ao dia a dia com leis, temos tantas leis e "des-leis" que é como se não tivéssemos leis! O estado a que chegámos já não se resolve com leis, nem polícias, nem medidas sociais ou xuxalistas para encaixar em telejornais! O estado a que chegámos exige REVOLUÇÃO!
Enquanto acreditarmos que vamos lá com Cavacos, Sócrates, Portas, câmaras de vigilância, decretos, operações stop,decretos, chips,decretos, reforços policiais, decretos - não vamos lá!
REVOLUÇÃO! AUTORIDADE! DEMOCRACIA! LIBERDADE! EDUCAÇÃO!
Tudo coisas pouco caras ao xuxalismo em que nos afundamos

bigstroke disse...

O lusitano questiona e questiona muito bem

JOY disse...

Não podia estar mais de acordo com o Pata Negra

Joy

Dalaila disse...

eu regresso de férias, e os temas são os mesmo de quando fui, a criminalidade cresce cresce, afinal Portugal tb cresce, nãoi está parado, só é pena que seja só para o mal