Portugal a saque

António de Almeida - 23.08.2008

-Sucedem-se os assaltos, Portugal vive uma onda de criminalidade, como não me recordo algum dia ter existido, ontem foi uma idosa que faleceu, após ter sido espancada durante um assalto. O sindicato de polícia propõe-se a aceitar um serviço suplementar voluntário pago, como forma de colocar mais agentes nas ruas, poderá ser uma contribuição, não sei, mas não resolve o problema. A meu ver é necessário um aumento da repressão sobre os criminosos, nomeadamente através do agravamento das penas de prisão. Para crimes de sangue, sou defensor da prisão perpétua.

3 comentarios:

ana disse...

não concordo com horas extraordináris como forma de combater a insegurança. a solução passa por polícia bem paga e bem preparada física e tecnicamente. Se não tem condições para garantir a segurança dos cidadãos no horário normal, é nas horas extra que vão criar essas condições??
É absurdo!!! por isso e por outras, os comerciantes do bairro alto em Lisboa têm de pagar a segurança privada dos seus estabelecimentos e dos transeuntes que por lá se veraneiam, durante a noite, pois não há polícia nesse período do dia. A segurança individual, um direito de todo o cidadão passou a um bem de luxo, num país dito "de direito", mas cada vez mais longe de ser digno desse epíteto. É triste!!!

Fragmentos Culturais disse...

... esses crimes hediondos, nas nossas vilas e aldeias, contra pessoas frágeis que não podem nem sabem defender-se provocam-me náuseas :(
O ser humano virou pior do que 'bicho'!

Adoa disse...

Notícias dessas já chegou a ser o pao nosso de cada dia em Espanha... Em Portugal estamos apenas atrasados...