China - A celebração das tradições

Marcos Santos - 14.08.2008


A abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim teve, como todos os anteriores, o ingrediente histórico de um povo.

A China, como país milenar, usou e abusou da utilização de sua longa e antiga tradição. Passeamos pelas sedas, pelas grandes conquistas, pelas grandes invenções, chegando aos dias de hoje e, é claro, sua mais nova vocação, que é a alta tecnologia.

Mas o melhor de tudo (ou pior), e não poderia deixar de ser apresentado, estaria por vir...

Faz algum tempo, comprei um binóculo de um ambulante. O distinto me vendeu como sendo uma peça de tecnologia russa, remanescente do período da espionagem soviética e sua KGB. Um genuíno equipamento oriundo da guerra fria. Realmente estava impresso nas lentes de cor laranja, "Made in Russia".

Depois desse dia, perdi a conta de quantas vezes exibi aos meus amigos e parentes, meu "possante" binóculo russo.

Semana passada, mais precisamente no dia 08/08/2008, estava aguardando um cliente na porta de uma loja de conveniências, quando um ambulante gordinho, carregando uma enorme sacola de muambas, veio e ofereceu-me um "lindo" binóculo. Devido a sua insistência, acabei aceitando olhar suas mercadorias. O interessante dessa história é que os binóculos eram idênticos ao meu. Na mesma hora falei com o sujeito.
- Eu tenho um desses, é feito na Russia. O camelô me reprimiu de imediato.
- Na Rússia não senhor, esse aqui é de primeira qualidade, Made in Japan.

Depois dessa informação, não resisti e pedi que pudesse olhar com mais "carinho" ao produto "japonês". Uma rápida olhada e tive que sentenciar.
- Meu amigo, esse binóculo é tão japonês, quanto o meu é russo. Na verdade os dois são chineses, acabei de descobrir a procedência do meu agora mesmo.

O rapaz não se deu por vencido e mostrou-me, meio que desaforadamente, as lentes alaranjadas, constando a seguinte frase, "Made in Japan". Respondi apenas.
- Bom para você, mas não quero, pois já tenho. Virei as costas e fui conversar com meu cliente, que a essa altura, já havia chegado e se divertia com o episódio.

...Mas nesse mesmo dia 08/08/2008, havíamos assistido a festa de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim. Tudo muito lindo, passos de gigantes pela cidade...crianças cantando e encantando bilhões de pessoas ao redor do mundo...uma beleza.
Uma beleza completa, não fosse a principal vocação chinesa dos tempos atuais. A de fabricar muambas vagabundas e falsificações baratas. Tudo à base de muito chumbo e outros metais pesados em suas composições, num total descaso e desrespeito com os consumidores em todo planeta.

Mas nossos amigos da China ainda iriam nos surpreender mais um pouquinho, pois acreditem, parte da festa de abertura dos Jogos foi virtual, e parte foi mímica mesmo (ridículo). Não vou entrar nos detalhes das fraudes ocorridas, pois com certeza estaria sendo injusto com as outras fraudes que ainda estão por vir.

Mas a verdade é que a China especializou-se tanto na arte de falsificar, que chegou ao ponto máximo da falsificação, e como no caso dos binóculos, na capacidade de falsificar o "MADE IN".

Acreditem, até o "MADE IN" chinês é falso.

E o que é pior, a falsificação faz parte de seu plano de governo.

Marcos Santos
Rio de Janeiro

1 comentarios:

António de Almeida disse...

-Falsificaram a cerimónia de abertura, colocando uma menina a cantar em playback, porque a dona da voz não era apresentavel aos olhos do regime.