Trovas do inocente

Tiago R Cardoso - 19.07.2008

Agarra que não é ladrão...

Não, não foi corrupção,
não foi por provas,
foi apenas por convicção,
são estas as minhas novas.

Agarra que não é ladrão...

Escutem bem e vão ver,
sim não era eu,
não tem nada de meu,
não tenho nada temer.

Agarra que não é ladrão...

O importante é fazer barulho,
dar entrevistas,
andar no entulho,
aparecer nas revistas.

Agarra que não é ladrão...

Não, não foi corrupção,
foi tudo inocente,
não foi meter a mão,
é apenas a vossa mente.

Agarra que não é ladrão...

(qualquer semelhança entre esta poesia, a realidade ou isto é pura coincidência)

10 comentarios:

mac disse...

O que está a dar é ser desonesto, fazer dos outros parvos e ainda vir-se gabar. E infelizmente não é só no mundo ligado ao futebol. Pelos vistos, Avelino Ferreira Torres irá ser o candidato indigitado pelo CDS-PP à autarquia de Amarante.
A corrupção é o que está a dar...

Fa menor disse...

Não te conhecia a veia poética!!!
Mas olha que tu rimas muito bem, Tiago!

jo ra tone disse...

Agarra,
que é... inofensivo
Dêem-lhe um beijo na testa.

Taty simplesmente disse...

Tomei a liberdade de copias o Trovas do Inocente...quero passar por meus amigos....muito bom..

O Guardião disse...

Corruptos? Não, são apenas meninos do coro, que já na tropa cantavam salmos enquanto a manutenção militar ficava sem uns "excedentes" que rendiam umas massas, para "bem feitorias" claro.
Boa malha
Cumps

Marcos Santos disse...

Pois aqui, meu amigo, o Presidente do Superior Tribunal Federal (a nossa Alta Corte)Antecipou-se a todas as instâncias do judiciário e mandou soltar Daniel Dantas. Milionário corruptor, que foi pego em flagrante tentando subornar um delegado da Polícia Federal.

É assim que funciona...chamem o ladrão para tomar conta do galinheiro.

FB disse...

Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência. Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão.

Fragmentos Culturais disse...

... sempre oportuno e sagaz, Tiago!

Sensibilizada pelo teu olhar 'tranquilo' em 'fragmentos!

Excelente semana!
Um beijo

quinttarantino disse...

Esta poesia tem o seu quê, mas fico sem perceber uma coisa ... a Justiça só é boa quando vem calhar com as nossas premeditações?

lusitano disse...

Concordo com o Quinttarantino, ou seja, que a poesia é muito boa, mas que realmente nas nossas cabeças a justiça só é boa quando coincide com aquilo que nós pensamos ou desejamos.
Ou há provas irrufutáveis ou não há e um juiz só pode julgar perante as provas e não pelas suas convicções, embora de vez em quando aconteça o que está mal.
É muito velho o principio «in dubio pro reo» o que significa mais coisa menos coisa, que mais vale uma data de culpados em liberdade, que um inocente preso.
E se eu fosse esse inocente, gostava muito que este pricipio fosse sempre aplicado!