Reflexão a propósito da Quinta da Fonte

António de Almeida - 29.07.2008

-Todos pudemos assistir na reportagem televisiva que mostrava o regresso dum elemento de etnia cigana a sua casa na Quinta da Fonte, o mesmo afirmar que lhe tinham vandalizado a mesma, levando plasma, DVD, playstation e até a televisão do quarto das crianças. Tudo seria normal, se não estivéssemos num bairro social, onde mais de 90% das famílias recebem Rendimento Social de Inserção, e pagam rendas inferiores a 5 Euros mensais, mesmo assim a maioria não honra os compromissos, estando em dívida das mesmas, além de água e luz. Existem rumores que o despoletar da guerra entre negros e ciganos teve origem na luta pelo controlo do narco tráfico, não me admira, mas também não exageremos, não acredito que as 53 famílias ciganas, africanas desconheço quantas serão, estejam ligadas a tal actividade criminosa. Ali, após o início do conflito, veio á superfície o ódio racial existente entre ambas as comunidades, onde o tráfico de armas e droga favorecem a proliferação de armas pelo bairro. Mas se a maior parte daquela gente não se dedica ao crime, então vive do quê? não será o RSI a permitir adquirir todos aqueles bens. São pessoas, na sua maioria feirantes, que vivem de rendimentos não declarados, obtidos na venda de produtos contrafeitos, sejam roupas ou DVD's, uma economia paralela que todos sabemos existir, mas que o estado tem dificuldade em controlar, mesmo com as estrondosas actuações da ASAE. O que já me parece evidente, é que as regras do Rendimento Social de Inserção necessitam ser alteradas, para obter apoio da sociedade, seria legítimo pedir em troca a prestação de serviço cívico a essa mesma sociedade, sob pena de continuarmos a apoiar quem não precisa, em vez de canalizar recursos para os efectivamente carenciados.

4 comentarios:

Márcio disse...

Que vão trabalhar como toda a gente faz, ciganagem do pior!
Quer dizer, vêm para Portugal roubar os nossos empregos, os nossos clientes, e ainda exigem casas acima de qualquer português tem?! Oh, a sério... Ide todos é apanhar batatas (para não dizer outra coisa...).

Maf_ram disse...

Enquanto houver "espertos" quem paga são os "pategos"!

António de Almeida disse...

Quer dizer, vêm para Portugal roubar os nossos empregos
-Em qualquer caso, caro Márcio, convém relembrar que já cá estão há 500 anos. O que não quer dizer que tenhamos de pactuar com a vigarice.

Compadre Alentejano disse...

E eles querem trabalhar decentemente? Palavra de honra que nunca vi um cigano trabalhar sem ser a arrastar as mãos, vulgo roubar. Ou então no narco-tráfico. Aí são especialistas, e ainda levam o RSI. Estes é que são os portugueses de primeira...
Compadre Alentejano