Criticas às políticas migratórias dos países europeus

Marcos Santos - 20.07.2008

"Nós os recebemos com a alma e eles fazem parte do nosso povo. Queremos que o tratamento que eles dão aos latinos seja o mesmo que eles receberam aqui. No passado, eles eram tão pobres como alguns países da América do Sul."

Quem falou foi ele,...

...não eu. Embora concorde (como me doi, concordar).

Foto Globo Online.

6 comentarios:

António de Almeida disse...

-Presumo que Lula se esteja a referir á politica da U.E. em particular á mal compreendida directiva de retorno. Nada contra a imigração, estamos mesmo a precisar receber imigrantes dado o envelhecimento da população, mas não pode ser abrindo totalmente as fronteiras. O fluxo terá de vir á medida da capacidade em absorver. Já quanto aos ilegais, aí o caso muda, não se pode exigir que uns cumpram as regras, e depois aceitar que aqueles que as não cumpriram sejam beneficiados. Até porque muitas vezes existe um negócio mafioso na origem.

Marcos Santos disse...

Na verdade, o Lula (e olha que não gosto desse traste) refere-se ao tratamento dispensado aos extrangeiros. Os excessos aplicados aos Latinos, não condizem com o tratamento que os Europeus receberam e continuam recebendo por aqui.

António de Almeida disse...

-Não sei se serão muitos ou poucos, mas desde que Portugal aplica a nova lei já legalizou perto de 12 mil imigrantes, na sua esmagadora maioria brasileiros. Não temos por cá felizmente grandes problemas de xenofobia, embora exista um ou outro acto isolado, afinal a estupidez acompanha sempre o ser humano.

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1336019&idCanal=62

Marcos Santos disse...

Portugal tem sido realmente uma exceção dentro da UE. Mas a comunidade tem pressionado.

No Brasil já existe a preocupação de, em caso de reciprocidade, estudar a forma de tratar os portugueses. Todos sabem de nossos laços e da quantidade enorme de lusitanos e descendentes (inclusive eu) residentes aqui.

A verdade é que, provavelmente, Portugal merecerá sempre um tratamento diferenciado.

Vamos torcer para que tudo se resolva bem.

quinttarantino disse...

Lamento contraria a linha dominante, mas estabelecer limites à legalização ou à entrada de emigrantes não pode ser visto como um acto de xenofobia.

Quanto ao tratamento recíproco, por mim tudo bem conquanto os que aqui são recebidos acrescentem valor à sociedade. Os que eu conheço são assim, mas temos de admitir que nessas levas vem e entra muito meliante ...

Adoa disse...

Concordo contigo. Mas nao posso deixar passar a oportunidade de dizer que também nao se pode aceitar que toda a gente entre por aí adentro sem regras algumas.
Os emigrantes devem ser bem tratados sim, mas deves ver que eles também tem de pensar que na Europa já está em cada canto pessoal de África, Leste, América do Sul... Ásia.
Há um limite também para o que pode ser sustentável em termos de trabalho, seguranca social etc...

Já agora, no outro dia mostrou aqui na Alemanha que há muitas pessoas da Polónia que emigram para aqui e nao buscam trabalho, depois andam à procura dos subsídios, sao uns coitadinhos... Esta pressao social nao é positiva para quem quer que seja...

Eu já fui vítima de xenofobia e sou emigrante, em Espanha sendo eu Portuguesa... por isso sei do que falo...