É mesmo só para chatear!

Quinttarantino - 18.06.2008

Na Europa dos nossos dias insiste-se, e muito, na preservação das liberdades, garantias e direitos individuais.
Mas ultimamente tenho dado por mim a pensar que a insistência é feita de forma perfeitamente casuística, ao sabor das vozes de uma Comunicação Social cada vez menos incisiva, cada vez menos praticante do jornalismo de investigação e muito dada a oscilações de humor perfeitamente nítidas nas suas relações com o poder.

Pense-se que por questões por vezes de “lana caprina” arma-se um escarcéu digno de figurar numa qualquer produção teatral daquelas que estão em cena nos palcos londrinos durante anos.
Por exemplo, aquando da última exibição pública de força ordenada pelo patronato no sector dos transportes, ergueram-se bastas vozes entre nós a clamar que o Governo havia adoptado uma postura demasiado permissiva ante tão evidente e flagrantes violações da Lei.

Contudo, também aposto milhares de sestércios em como se as polícias tivessem recebido ordem para repor a ordem, recorrendo às medidas que se revelassem pertinentes, muitos dos que pediam forças de segurança na rua iriam bradar contra a ameaça totalitária que o Governo da Nação representa!

E assim andamos.

2 comentarios:

Tiago R Cardoso disse...

Nem duvides, tem por ai muita gente que até avançou que a greve dos "patrões" era inconstitucional mas se a policia avançasse já eram uns mártires.

é o que temos...

Rui Caetano disse...

Uma excelente refexão. Concordo consigo.