Só quero ver como isto irá acabar

António de Almeida - 17.05.2008

Chamem-me calvinista se assim entenderem, enquanto cidadão dum estado que se afirma livre e republicano não aceito a existência de cidadãos de primeira e de segunda categoria. As leis são para todos, qual a moral que assistirá á condenação dum próximo prevaricador que desrespeite a lei que proibe o fumo a bordo de aviões caso o cidadão José Socrates venha a ficar isento de pagar a respectiva multa, conforme aqui se explica?

Penso que José Sócrates até será o principal interessado do ponto de vista político em resolver rapidamente a questão, o valor da multa não será certamente obstáculo, após já ter pedido desculpa poderá encerrar definitivamente a questão, já os seus subordinados da ASAE e DGS não ficam muito bem a praticarem o jogo do empurra.

3 comentarios:

quinttarantino disse...

Não entendi essa dos calvinistas ... pensei que intolerantes erámos todos ....

Tiago R Cardoso disse...

coitado PM, já reconheceu a culpa e temos de o perdoar, como temos de o perdoar esta governação, mas em 2009 temos a obrigação de lhe dar a respectiva penitencia.

Pata Negra disse...

Estava tudo combinado: o convívio com uma figura polémica como Chavez poderia dar à comunicação social pano para bater - Sócrates e Chavez? Socialismos antagónicos?
Então, estratégia política de escola portuguesa, eles pensaram-na: e que tal se fumássemos um cigarro no avião? A malta fica entretida a discutir o assunto, vai concluir que não é caso para tanto e, no entretanto, a crítica é desviada do folclore de Caracas.
Afinal de contas ninguém criticou Sócrates por embalar com Chavez, ninguém reparou que o grande negócio que se foi travar foi com a GALP! Alguém acredita que com esta viagem vamos ter combustível mais barato?!
Tretas! Ninguém, nem este post, põe o dedo na ferida!A história do cigarro foi pensada, pensam-nas todas, estes senhores percebem de PODER!
Um abraço de quem nunca andou de avião e sempre fumou