Quem paga afinal ?

Tiago R Cardoso - 24.05.2008

Concordo no principio da contestação, que quando o cidadão é atingido deve protestar.

O problema inicial das SUCT foi exactamente a sua construção e pagamento, ou seja fazer-se um auto-estrada paralela a outra, como é aqui no norte, que acompanha a A1, sendo essa via gratuita, ideia que não tem por onde se lhe pegue.

Evidentemente que uma medida deste tipo, onde se concessionava uma via e a factura era mandava ao estado muitos anos depois, tinha um grave problema, que era quando fosse “muitos anos depois” e o estado tivesse de pagar a conta.

Pois estamos nessa altura de pagar e a solução é portajar.

Eu sou adepto do utilizador/pagador, quem utiliza uma via destas tem de pagar, evidentemente se existirem alternativas válidas, reforço, se existirem alternativas válidas.

Não é possível “fechar” uma via destas, enviando o tráfego para vias municipais ou que atravessam zonas bastante densas e complicadas, onde se demora horas a percorrer meia-dúzia de Kms.

Nem tanto ao mar, nem tanto à terra.

Nem tanto ao mar, ao ser tudo gratuito, onde os impostos sirvam para pagar vias do outro lado do país que não usamos, podendo esses impostos serem aplicados noutros lugares.

Nem tanto à terra, onde tudo é pago e uma região inteira é atrofiada, sendo assim impedido os seu desenvolvimento.

3 comentarios:

Politica.pt disse...

É com grande orgulho que vos felicito por este vosso 1º passo, que como curiosos ou amantes da política, repercutir-se-á certamente numa experiência inigualável. A generalidade da população interessada em política carece de meios apropriados de forma haver um expressar eloquente, tanto a nível partidário como dos seus ideias mais intrínsecos.


Desmistifiquemos esta fobia geral que muitos portugueses chamam política, dando-vos as boas vindas ao politica.pt.

É fundamental a sua participação!!

Obrigado

Anónimo disse...

Discordo de portagens em lugares sem alternativas.

joshua disse...

É fundamentalmente pelo que dizes que há protestos, porque a região Norte é a mais deprimida do País, e mais este prego liquidá-la-á.

PALAVROSSAVRVS REX