Primeiro o défice, se faz favor.

Tiago R Cardoso - 25.05.2008

Que este governo não tem noção da realidade, já todos sabíamos, se não sabíamos desconfiávamos, mas agora perante um atrofiar da economia, perante um ataque ao bolso do cidadão, não fazer nada já começa a ser demais.

O ministro da Economia, Manuel Pinho, admite estar "muito preocupado" com a subida do preço dos combustíveis e garante que o Governo vai tomar todas as medidas que possam melhorar a concorrência e diminuir os efeitos sociais do aumento dos combustíveis, mas sem colocar em causa o processo de redução do défice público dos últimos três anos.

O Senhor Ministro vai-me desculpar, mas a sua preocupação não significa nada para o cidadão, mais ainda, a sua preocupação não melhora a nossa economia, nem tira o povo desta asfixia.

Que o governo vai tomar medidas, não sei se será assim, só vendo, mas tenho a certeza que primeiro bem o défice e a sua famosa consolidação orçamental, ajudada por esta verba, só no fim o resto.

Um pena que um governo prefira arrasar um país, em vez de governar a olhar para o cidadão.

6 comentarios:

Daniela Major disse...

O mais giro é que Sócrates tinha dito no debate quizenal que a culpa da subida dos combustiveis não era culpa dele, e mais! Que não lhe trazia beneficios nenhuns a dita subida.

Pronto, e nós cá andamos

Compadre Alentejano disse...

O resultado disto tudo, e com um governo assim, é o desmoronar da economia.
Desculpem lá, mas o ministro da economia tem cara de parvo. É um lunático, não habita neste planeta...
E eu, lá continuo a ir meter combustível a Espanha...
Um abraço
Compadre Alentejano

Pata Negra disse...

Com estas declarações de só "preocupado" um dia ainda acaba em prediente da república!
Mais engraçado, desculpou-se que a liberalização dos preços era obra do Durão. Chamou-nos parvos. Ora então! Mais Portaria menos portaria, fixem os preços! Eu diria mais - nos tempos que correm isto é obsceno - nacionalizaem as petrolíferas! Está em causa a independência do país! Não lavem as mãos, não se desculpem com a impotência, é para estas ocasiões que existe o Estado!
Se não podem fazer nada para é que nós lhe pagamos? Se privatizam tudo, se o mercado se auto-regula, se é o cada um cuide de si, que não haja governo! Ou estão lá só para se auto-consolarem! Puta que os pariu! Desculpa lá Tiago, mas perco as estribeiras, a prosa e a gramática - é por estas que eu não posso abordar a política!
Não posso com eles! A hipocrisia destes senhores embebeda-me!
Um abraço sem mais

O Guardião disse...

O Pinho só acerta uma quando está calado, coisa que parece não conseguir fazer. Por acaso ele está lá para dizer que está preocupado, ou para resolver os problemas? Nós estamos a pagar-lhe para quê? É tão expedito para facilitar a vida aos empresários, mas quando é para tratar dos problemas da maioria dos portugueses... népias, não pode ser, diz ele!
Cumps

quinttarantino disse...

Vocês desculpem lá, e por aqui já todos sabem o que eu acho do Manuel Pinho, mas isto não soa a demagogia?

Então quando Manuela Ferreira Leite também afirma que não baixaria o ISP, só se ataca por um lado?

Cuidado que eu não estou a defender o Pinho, estou é a ser advogado do diabo ... se o Governo baixasse ao ISP ia perder receita, certo?
Se perdesse receita, tinha de compensar por outro lado, correcto?
Digam lá onde é que cortava, mas pensando que estamos a falar em milhões ...

Compadre Alentejano disse...

É preciso fazer contas, e elas dizem que:
se o combustível aumentar 10 cêntimos, os impostos aumentam 20 cêntimos, sendo o aumento final de 30 cêntimos. Acham bem?
Por outro lado, o (des)governo ainda não disso quando arrecadou com o aumento dos impostos sobre o combustível...
Por estas e por outras é que eu vou meter gasóleo a Ayamonte!
Um abraço
Compadre Alentejano