Modernizar mas com cuidado

Tiago R Cardoso - 15.05.2008

O Presidente da República, Cavaco Silva, afirmou hoje que o país não pode parar o esforço de modernização mas considerou que, neste momento, deve ser dada uma atenção particular às pessoas que estão a ser prejudicadas pela crise económica (fonte Publico).

Quem não concorda faça o favor de dizer.

Evidentemente que a grande maioria concorda, mas por estes lado existe sempre um mas.

Alguns dirão imediatamente, que o Presidente acordou tarde, que descobriu a pólvora, que a situação é grave e que se calhar já estará irreversível, alguns avançaram que os presidente é isto, que o presidente é aquilo.

Da mesma forma que Cavaco esteve bem, no 25 de Abril, ao lembrar o afastamento dos jovens em relação á politica, o PR lembra agora que se deve ter em atenção ás pessoas que estão a ser prejudicadas pelo actual estado da economia.

Desenvolvimento, muito bem; modernização, sim senhor; agora à custa sempre dos mesmos, passando por cima de tudo e de todos, esquecendo-se do cidadão, ai vamos com calma, podem achar que sim mas o povo não se alimenta de estatísticas.

11 comentarios:

O Guardião disse...

O discurso é correcto, mas a magistratura de influência terá que ter resultados, senão as palavras não passam disso mesmo, palavras.
Cumps

quinttarantino disse...

Nada a dizer quanto ao conteúdo do discurso, e até acho bem que haja remoques destes.
Recordo apenas que mudam-se os tempos, mudam-se as ... palavras!

Daniela Major disse...

Cavaco continua a funcionar como a consciência do Governo...

antonio disse...

Olha, meu caro, só tenho uma dúvida fundamental: ele disse isso quando estava a comer bolo rei? É que tudo o resto são palavras de circunstância...

lusitano disse...

Os outros comentários tocam no ponto: São só palavras ou faz tenções de fazer alguma coisa para que tal aconteça.

É que o que se verifica é que em tepos de crise, os bancos por exemplo, ganham ainda mais, para já não falar nas gasolineiras...

Dalaila disse...

Muito bem dito, Tiago, que se acorde mas que se acordem outros, não os mesmos de sempre.

Fa menor disse...

uma especial atenção com aqueles "que são atingidos pela crise, em particular os que perdem o seu emprego e aqueles que têm mais dificuldade para, face ao aumento dos preços dos produtos alimentares, assegurarem uma alimentação condigna".

"Si tu n'existais pas déjà je t'inventerais.
Merci, pas pour moi
Mais tu peux bien les offrir à une autre
qui aime les étoiles sur les dunes
Moi, les mots tendres enrobés de douceur
se posent sur ma bouche mais jamais sur mon cœur
Encore un mot juste une parole
Parole, parole, parole
Ecoute-moi.
Parole, parole, parole
Je t'en prie.
Parole, parole, parole
Je te jure.
Parole, parole, parole, parole, parole
encore des paroles que tu sèmes au vent
Que tu es belle !
Parole, parole, parole
Que tu est belle !
Parole, parole, parole
Que tu es belle !
Parole, parole, parole
Que tu es belle !
Parole, parole, parole, parole, parole
encore des paroles que tu sèmes au vent"

Carol disse...

O sr. Presidente deve ter a memória muito, muito curta...

Compadre Alentejano disse...

O problema é que o PR está muito ligado ao governo, porquê? Porque sócrates está a aplicar as políticas que Cavaco Silva sempre desejou. E, contra isto, batatas...
Abraço
Compadre Alentejano

Miguel Ângelo disse...

I don´t Know how to say, I´m crying, really...What a shame!
Crisis is crisis, you Know!

osátiro disse...

Dentro das competências constitucionais, o PR não pode fazer muito mais.