Renovar com o passado

Tiago R Cardoso - 31.05.2008

E assim se avança para uma nova etapa, Ferreira... perdão, a Doutora Ferreira Leite ganhou, é presidente do PSD.

Santana Lopes e Passo Coelho reconhecem a derrota, Santana Lopes demite-se de líder parlamentar - Publico.

É esta a renovação do PSD, renovar um partido em direcção ao passado, tenta-se agarrar a um passado já longínquo mas para muitos com grande saudade.

Um passado com uma liderança forte e decidida, mas avançar em marcha-atrás, pode não ser o melhor caminho.

Passos Coelho tinha a capacidade de diluir radicalismos entre cento-direita e centro-esquerda, Santana Lopes tinha a capacidade de chatear o pessoal e ao mesmo tempo lembrar como Sócrates, comparado com ele é um bom primeiro-ministro, já a Doutora Manuel Ferreira Leite, cria uma fronteira clara entre diferentes centros.

Mais vai ter a capacidade de fazer regressar toda a esquerda ao PS, Esquerda essa que se andava a dispersar pelo PCP e Bloco, unidos contra um inimigo comum.

Assim, felizes e contentes os militantes optaram por um regresso ao passado, vamos ver se em 2009 os portugueses concordam e vamos ver se o José Sócrates passa a ter uma verdadeira oposição.

Para reflectir

António de Almeida - 31.05.2008

-Há dias escrevi aqui um post em jeito de graçola sobre o prof Bambo e seus problemas com a justiça, cujo link nem me dou ao trabalho de recuperar, mas sobre o qual vale a pena reflectir e retirar algumas conclusões. O episódio começa pela apresentação de queixa por parte duma cliente que se sentiu burlada após gastar cerca de 17 mil euros com o referido personagem, isto após ter procurado auxílio porque o negócio que explorava já tinha vivido melhores dias, sendo depois alertada pelo referido prof para a existência duma amante com quem o marido supostamente se preparava para partir. Contratado um detective particular que não conseguiu reunir provas da traição inexistente, a sra preferiu continuar a confiar no professor, contratando novo detective, só depois se convencendo que estaria a ser burlada. Ora aqui é que a história merece a meu ver mais que comentários jocosos, todos nós podemos ter este ou aquele problema, e quando procuramos e confiamos numa ajuda externa, a verdade é que se nos disserem que não temos problema algum, o mais certo será não acreditarmos e partirmos em busca de novos conselheiros, pelo contrário se nos indicam problemas, podem inclusive conseguir criar cenários inexistentes, passando a vítima a viver uma ilusão alheando-se da realidade.
Será na verdade o prof. Bambo o único conselheiro disposto a inventar problemas aos que buscam o seu auxílio? ou existirão profissionais nas mais diversas áreas que para manterem o cliente serão capazes de práticas no mínimo deontologicamente duvidosas? Afinal o conto do vigário pode apresentar-se sob inúmeros disfarces.

Obrigado, Galp !

Tiago R Cardoso - 31.05.2008

Desculpem, estava a tentar escrever um artigo sério e opinativo sobre a noticia, não consigo parar de rir...

Durante semanas um constante aumento dos preços dos combustíveis, agora a Galp baixou um cêntimo, um cêntimo.

Será que foi para sair da barreira psicológica do 1,5 euros ou foi para ganhar balanço para uma nova escalada ?

Qual é o problema ?

Tiago R Cardoso - 30.05.2008

A esta hora por todo o lado faz-se uma ataque e um bota-abaixo ao governo.

Imagino títulos bombásticos, tipo“Mais uma trapalhada do Governo Sócrates” ou ainda “Mais uma derrota”, o alarido do costume.

Quem acompanha aqui este lugar já leu, que apoiante de Sócrates e do seu governo, com toda a certeza, eu não sou mas no entanto também não vale tudo.

O Tribunal Constitucional chumbou a nova lei orgânica da Polícia Judiciária, depois de o Presidente da República ter remetido o diploma para aquele órgão para a fiscalização preventiva da constitucionalidade de alguns artigos do documento - Publico.

A pergunta vai já, muito bem, qual é o problema ?

Parece perfeitamente normal, que num pais democrático, o governo aprove uma lei e o Tribunal Constitucional não aprove algumas normas, aliás é para isso que ele está lá e faz parte do sistema democrático.

Dizer-se por ai que foi uma derrota, é no mínimo exagero.

Lembro para os distraídos, que com toda a certeza não vão mencionar isso, que os votos, entre os juízes, foi de sete juízes a votaram o chumbo e seis votaram contra o chumbo.

A lei volta para trás, os problemas rectificados e tudo seguirá um processo normal.

Não gostar do governo, aceita-se e é saudável, agora partir para o ataque apenas pelo ataque, é preocupante.

Porta aberta á especulação

António de Almeida - 30.05.2008

-O Presidente da República promulgou decreto-lei sobre zonas ribeirinhas mas apenas nas áreas sem utilização portuária e destituídas de valor ambiental relevante são passíveis de desafectação pontual”, e “não sistemática”, ressalva o documento, “do domínio público hídrico”. O que conhecendo os nossos autarcas, a forma como é financiado o poder local e a imaginação das espécies raras que povoam as nossas costas, nomeadamente tubarões e patos-bravos, atrevo-me a dizer que serão esperadas muitas construções em toda a área litoral de norte a sul do país.

Cigarro, tô fora!

DeniseBC - 30.05.2008

31 de maio - Dia Mundial sem Tabaco

A Organização Mundial da Saúde (OMS) escolheu o tema "Juventude Livre do Tabaco" para celebração do Dia Mundial sem Tabaco 2008. Nesta data, todos os 192 Estados-Membros da OMS desenvolvem atividades sobre o tema escolhido e fortalecem a necessidade do controle do tabagismo em todo o mundo. Cada membro adapta sua campanha à realidade socioeconômica e cultural de seu país, respeitando a peculiaridade de cada povo.

Responsável por 5 milhões de mortes anuais no planeta, o tabagismo é um problema de saúde pública global. No Brasil, onde 200 mil pessoas morrem anualmente vítimas dessa doença, o assunto vem sendo abordado não apenas pelo Ministério da Saúde, mas por outros órgãos governamentais e cada vez mais parcelas da sociedade civil, representadas pelas Organizações Não-Governamentais (ONGs) ligadas à educação, economia, trabalho, justiça, meio ambiente e agricultura.

Infelizmente, a questão do controle do tabaco enfrenta interesses contrários, principalmente da indústria do tabaco. Por este motivo é importante mobilizar a sociedade em prol da saúde da população e contra o lucro desmedido e irresponsável da indústria do tabaco, que visa apenas seus lucros em detrimento de doenças, mortes, invalidez e destruição do meio ambiente.






Estará acontecendo uma blogagem coletiva nesse dia com o tema - "Campanha anti-tabaco", querendo participar, clique aqui e veja as instruções. Boa blogada!


As minhas previsões

António de Almeida 30/05/2008

-Podem os meus amigos ficar tranquilos que não consultei o prof Bambo, nem tão pouco a Maya, vale o que vale, ou seja praticamente nada, mas por ter acompanhado de perto todo o processo eleitoral interno do PSD vou arriscar as minhas previsões de resultados, podem se entenderem deixar as vossas na caixa de comentários, amanhã á noite se saberá quem acertou ou ficou mais próximo:
-Manuela Ferreira Leite - 40%
-Pedro Passos Coelho - 35%
-Pedro Santana Lopes - 20%
-Patinha Antão - 3%
-Brancos e nulos - 2%

Nada de relevante...

Tiago R Cardoso - 29.05.2008

De forma a não ficar atrás dos outros e de forma original, o CDS-PP avança com uma moção de censura ao governo - Publico.

No caso desta moção de censura os motivos são mais concretos, menos que os do Bloco de Esquerda, mas menos abstractos que os do PCP.

Será mais um momento vazio e de troca de acusações, nada diferente dos habituais e normais debates do parlamento, tirando o facto de muitos dos deputados que por ali andam, pelo menos nesse dia tenham de se sentar no seu lugar.

Já se imagina a pintura de negro do CDS e a pintura em tons paradisíacos de Sócrates.

Interessante irá ser a posição dos partidos à esquerda do PS, será que entrarão na boleia e votaram a favor ?

Já no caso do PSD, imagino uma normal abstenção.

Se o ditado diz “há terceira é de vez”, com actual maioria PS, nem que fosse a vigésima terceira.

Resumindo, nada de novo e nada de relevante...

Aviso

António de Almeida 29/05/2008

Balão, voas ou não?

Dalaila 29.05.2008


Imagem: Orhan Yuksel Celik


Um balão voa,
dilata, cresce, empola,
forma-se e sobe!
Voa nos céus,
voa, expande-se,
até que o fio se desprende,
fica sem rumo,
e esvazia-se...
e aí...
as curvas são outras,
há movimento,
a melodia é intensa,
as direcções são alheias,
e cai...
Cai porque voou,
cai porque se desprendeu,
cai porque mudou de rumo,
cai porque não tem ar,
cai porque se tornou pequeno,
cai, cai, cai...
mas não rebenta,
espera que alguém,
pegue nele o leve, e o volte a colocar nos céus,
onde pertence, onde quer bailar, e para onde o vento o levar.

Então e elogios, não há ?

Tiago R Cardoso - 28.05.2008

Fosse o relatório da Amnistia Internacional mau e hoje teríamos para ai barulho até mais não.

Noticia e desenvolvimentos - Publico.

Teríamos uma bota abaixo à antiga, daqueles em que se enterra o José Sócrates, os ministros e as forças de segurança, todos no mesmo buraco.

No entanto o relatório não mostra casos muitos relevantes, tendo sido dado como exemplo um caso que reporta a 2003.

Do ponto de vista do cidadão é muito bom de saber, contrariando por ai algumas vozes alarmistas, que tendem a transformar casos de criminalidade em autentica guerra civil, onde o cidadão não se sente seguro, onde temos roubos todos os dias, as forças de segurança dão um bom exemplo e o exemplo que podem.

Com falta de equipamento, com falta de meios, sem incentivos, atacadas na sua imagem de autoridade, as forças de segurança, na sua maioria, mostram dedicação e sentido de dever.

Termino como comecei, alguém viu por ai a oposição a elogiar a imagem de Portugal neste relatório?

A Madeira já não é o Jardim?

António de Almeida - 28.05.2008
-Pedro Santana Lopes ficou satisfeito com o apoio de Alberto João Jardim, esperando recolher os votos dos militantes madeirenses. Agora vem Jaime Ramos (foto), apoiar Pedro Passos Coelho seguindo o exemplo de João Cunha e Silva. Para colorir o cenário só faltaria vermos Miguel Albuquerque e Guilherme Silva alinharem com Manuela Ferreira Leite. Mas Alberto João já não tem mão nos seus?

Já não se pode ser bruxo nesta terra

António de Almeida - 28.05.2008

J.N. - Polícia interroga professor Bambo

Resta-nos a consolação de ainda termos a Maya e o prof. Karamba, senão iriamos acreditar em quem?

Combustíveis & Asneiradas, Lda

Quinttarantino – 28.05.2008

A propósito do preço dos combustíveis que aqui têm sido motivo de farta produção literária e onde, invariavelmente, se chega sempre à conclusão que a culpa é do Governo, vou dar mais uma achega a ver se nos entendemos nalgumas matérias!

Em França há protestos, mas não tenho visto cartazes a dizer que a culpa é do Sócrates.
Hoje de manhã, na SIC, canal televisivo que está nitidamente ao serviço do PS, dava-se conta de protestos de pescadores espanhóis pelo preço do gasóleo.
Epá … espera aí, em Espanha? Protestos? Não pode … ah, já sei, a culpa é do PSOE!

Porque a coisa vinda de mim pode ser suspeita, cito agora um socialista de primeira apanha chamado José Manuel Fernandes, director do jornal “Público”: "Ao olharmos para estas listagens podemos encontrar uma das origens do nosso problema: o preço final dos combustíveis coloca Portugal mais perto dos países onde este é mais elevado, o peso da carga fiscal atira-o para o meio da tabela. Conclusão? É só fazer contas de somar e diminuir (…)”

Aliás, para os que cismam que é baixando os impostos que o preço da gasolina desce miraculosamente, aguardemos pela descida da taxa do IVA.
Iremos ver, na altura, como se comporta o mercado pelo lado da oferta.

Já agora, mesmo que se baixasse o ISP e o IVA, onde propunham que se recuperasse a margem orçamental perdida?
É que parte da que existia já se foi com a descida do IVA e com a economia pelo caminho que leva ...
É por isto que até Ferreira Leite afirma que o caminho não é pela descida do ISP e IVA!

Caso ainda não tenham percebido, e seria bom que percebessem, estamos metidos num poço, e começa a não ser só Portugal ... e dali já não saímos mais. Só falta saber se conseguimos, ao menos, subir um pouco mais de modo a que nem os pés estejam dentro de água!

Afinal eu tinha razão

Tiago R. Cardoso - 28.05.2008

“Os conteúdos são o menos importante, independentemente do que se aprende, o importante é como se aprende.” - Doutora Manuela Ferreira Leite, sobre o ensino em Portugal.

Finalmente alguém acertou no ponto certo.

Estão a ver professores de matemática, que sempre me deram negativa, o importante é como se aprende, o conteúdo é o menos importante ?

Eu sempre disse que aprendia bem e era um bom aluno, não entendia nada era do conteúdo do que vocês me ensinavam.

Estão a ver cambada de incompetentes ?

A culpa é dos outros

Tiago R Cardoso - 27.05.2008

Em 40 minutos, José Sócrates despachou vários assuntos e despachou a oposição, em particular o PSD.

Quem quiser ler a noticia faz favor - Publico.

Eu retenho um momento, que diz tudo de um normal exercício de politica Sócratiana.

O primeiro-ministro reconheceu hoje o "momento de dificuldade", que Portugal atravessa, manifestando "total compreensão" pelos problemas que afectam a população, mas recordou a "situação social muito desequilibrada" deixada pelo PSD.

Pelo menos reconheceu que a situação é preocupante, menos mal, ainda teve o capacidade de mostrar total compreensão, agradeço e fico sensibilizado com tamanho gesto.

Permita-me no entanto perguntar, é com a sua compreensão que vai melhorar o estado do país ?

É que sinceramente não me parece isto melhor só com compreensão, não me parece que a economia melhor só com compreensão, não me parece que a compreensão melhor o aspecto interior das carteiras dos portugueses.

O povo não se alimenta, nem trabalha, nem enche os depósitos das viaturas com compreensão.

Concordo com a afirmação, "é justamente nos momentos de dificuldade que é preciso mais firmeza no rumo", atenção senhor primeiro-ministro, firmeza não significa cegueira, firmes sim mas sem atropelar tudo e todos.

Já me ia esquecendo, mas recordou a "situação social muito desequilibrada" deixada pelo PSD, não acha que está na altura de deixar de por as culpas no passado e começar a governar para o futuro.

O passado é pouco recomendável, mas há quanto tempo já é primeiro-ministro ?

O Regresso do Herói

Blondewithaphd - 27 Maio '08

Não se trata de uma questão de recomendar ou não, mas o Indiana Jones regressou!

Para muitos de nós, O Indiana é aquela espécie de herói mítico da nossa adolescência, ou mesmo infância, se atendermos ao facto que em 1981 esta que se assina ainda andava a aprender a ler! Foi com o "Star Wars" e os sucessivos "Indianas" que nasceram os blockbusters. Por isso, algum mérito o filme há-de ter.

Claro que o tempo passa (por cima de uns mais do que por cima de outros e o Harrison Ford ainda aí está para romper umas quantas meias solas) e o que nos parecia um fenómeno cinematográfico aos 15 pode parecer uma comédia de enganos aos 30. Choses de la vie... Enfim, para quem quer embarcar numa de nostalgias até que é bom voltar a ver o herói perdido no meio da selva, perseguido por russos malévolos (e uma Cate Blanchet que vale pelo filme ou vice-versa). Agora, quem quer recordar o Indiana com menos vinte anos, menos efeitos especiais e um guião menos turbinado, então a memória é sempre a memória.

Eu fiquei no limbo: gostei da viagem, mas...

... ah Patinha dum catano!

Quinttarantino - 27.05.2008

Afinal, o Patinha fala e tem ideias.
Coisa notável, especialmente quando a esmagadora maioria do País sempre que ouve falar do Patinha o deve confundir com o Patinhas!

O “Público” - PÚBLICO – noticia que este candidato considera, a propósito do artigo de Mário Soares - e do qual também falo AQUI - que este “acertou no diagnóstico que faz dos problemas do país, mas que não tem soluções, que diz serem do PSD.”
Ficamos ainda a saber de outra coisa que sempre nos escapou e que passa por a defesa das classes médias e a sua prosperidade serem um exclusivo do PSD.
“O PSD tem no seu código genético criar condições para que as classes médias progridam e prosperem”, disse.

Lá está, eu, por exemplo, sou um ingrato e burro … já agora, acrescentem parvo!
Como é possível que tal me tenha escapado?

Aliás, a reforçar esta iluminação tardia que hoje atingi através do Patinha vim a descobrir que, afinal, o PSD é de centro-esquerda e o PS de centro-direita pois o nosso homem assevera que vivemos uma “tecnocracia de centro-direita de cosmética do eng. José Sócrates que conduziu à asfixia” das classes médias!

Depois disto, juro que nunca mais escrevo uma nota que seja sobre política com os mesmos olhos. Aliás, bem vistas as coisas, se calhar ainda um dia vamos descobrir que o Sócrates (que dizem que foi da JSD) sempre foi do PSD e foi assim uma espécie de submarino no PS. Ele faz o que o PSD sempre prometeu e nalguns casos nunca cumpriu e depois o PSD aparece e … zás, ganha as eleições para os próximos 44 anos!

Sidney Pollack

António de Almeida - 27.05.2008



Não o considero dos meus realizadores preferidos, pese embora tenha realizado uma meia dúzia de filmes acima da média, nem tão pouco considero Out of Africa um qualquer marco importante na história do cinema, mas apenas um filme agradavel com uma espantosa fotografia, que me despertou o interesse por Africa, em particular pelo Quénia, que não descansei enquanto não conheci, o que tive a felicidade de poder concretizar no passado Verão.



Em qualquer caso vale a pena ver "Out of Africa", tal como "Tootsie" os seus dois melhores filmes na minha modesta opinião.

Muito bem visto

Tiago R. Cardoso - 27.05.2008

"Só deixando funcionar o mercado reduziremos o desperdício energético. " Sarsfield Cabral.

Brilhante, simplesmente brilhante, faço a vénia a tão grande afirmação.

Se calhar é isso mesmo, Portugal liberaliza, os preços sobem, e o pessoal poupa energia, claro que não tendo dinheiro para pagar temos de poupar e não desperdiçamos energia.

Que o Senhor José Sócrates o ouça, pode aproveitar este argumento para justificar muita coisa, já imagino...

“Os preços estão assim para incentivar os portugueses a poupar.”

Eu é que não tinha visto isto, eu e a maioria dos portugueses, como nós somos estúpidos.

Sócrates, impávido e sereno.

Tiago R Cardoso - 26.05.2008

Enquanto o país atrofia, José Sócrates, mantem-se impávido e sereno.

O primeiro-ministro, José Sócrates, garantiu hoje que o Governo não cederá "à tentação de facilitismo" que levou ao congelamento do preço dos combustíveis no passado.

Facilitismo, Senhor primeiro- ministro ?

Facilitismo é obter a consolidação orçamental por cima dos cidadãos.

Facilitismo é dizer que se baixa 1% no IVA e obtém-se enormes verbas, verbas essas assentes na enorme especulação e concertação de preços, que temos neste momento.

Facilitismo é termos de aturar a demagogia de o senhor dizer, que baixar o imposto sobre os combustíveis não atingiria todos os portugueses, aturar a demagogia de não explicar ou fingir, que directa ou indirectamente o preços dos combustíveis afecta todos os portugueses sem excepção.

Entretanto aguarda-se ansiosamente o tão falado relatório, tantas vezes adiado, sobre a investigação se existe ou não concertação no preço dos combustíveis.

Uma boa razão para apoiar Obama

António de Almeida - 26.05.2008

-Quando é que os nossos políticos aprendem a fazer campanhas com esta qualidade? Tenho a certeza que mesmo os apoiantes de Hillary vão concordar comigo, certo Quint?

Primeiro o défice, se faz favor.

Tiago R Cardoso - 25.05.2008

Que este governo não tem noção da realidade, já todos sabíamos, se não sabíamos desconfiávamos, mas agora perante um atrofiar da economia, perante um ataque ao bolso do cidadão, não fazer nada já começa a ser demais.

O ministro da Economia, Manuel Pinho, admite estar "muito preocupado" com a subida do preço dos combustíveis e garante que o Governo vai tomar todas as medidas que possam melhorar a concorrência e diminuir os efeitos sociais do aumento dos combustíveis, mas sem colocar em causa o processo de redução do défice público dos últimos três anos.

O Senhor Ministro vai-me desculpar, mas a sua preocupação não significa nada para o cidadão, mais ainda, a sua preocupação não melhora a nossa economia, nem tira o povo desta asfixia.

Que o governo vai tomar medidas, não sei se será assim, só vendo, mas tenho a certeza que primeiro bem o défice e a sua famosa consolidação orçamental, ajudada por esta verba, só no fim o resto.

Um pena que um governo prefira arrasar um país, em vez de governar a olhar para o cidadão.

Brasil - O País das Raquetes.

Marcos Santos - 25.05.2008

Hoje, 25 de maio de 2008, Gustavo Kuerten, o Guga, entrou em quadra para a disputa de seu último torneio profissional, o Roland Garros. Em sua homenagem, estou reeditando um post de janeiro de 2008, em que cito parte da realidade do esporte brasileiro.

Obrigado por tudo, Guga!



"O Brasil notabiliza-se por desportistas fenomenais.

Oscar e Hortência no Basquete, Diego Hipólito e Daiane dos Santos na ginástica, Ayrton Senna, que dispensa comentários e mais uma seqüência interminável de desportistas que, individualmente conseguiram se destacar nas diversas modalidades esportivas.
No Futebol e no Voleibol, somos o que há de melhor no mundo.

O interessante é notar uma característica comum entre quase todos esses atletas. O fato de terem conseguido suas vitórias, única e exclusivamente, devido aos seus esforços individuais.

No Brasil, o esporte não é levado a sério por nenhum governante. Logo, é cada um por si.

Na atualidade, um atleta merece destaque. Gustavo Kuerten , o nosso Guga.

Guga, depois de ter colocado o tênis brasileiro no lugar mais alto do pódio, depois de ter trazido tantas alegrias para o povo brasileiro, anunciou para 2008, sua aposentadoria das quadras.
Foram vinte títulos individuais e oito em duplas, num total de 343 vitórias.
Gustavo é um símbolo para o povo brasileiro. E fez quase tudo sozinho.

O estado brasileiro, desleixado como sempre, sequer aproveitou a “Onda Guga”, para difundir a nível educacional, o tênis pelo Brasil. Guga já está pendurando as “chuteiras” e sua semente não germinará numa potência proporcional ao seu talento. Uma pena.

Mas não pensem que o Estado Brasileiro, em todos os níveis, não está patrocinando o uso coletivo das raquetes. Está sim. E está fazendo tudo o que pode. Tudo dentro dos conformes.

Observando as esquinas do Rio de Janeiro, notamos que as raquetes estão na moda. Não as raquetes de tênis convencionais, aquelas que consagraram Guga. Mas uma raquete pega-mosquito.
O medo da população, com os surtos de dengue e mais recentemente de febre amarela, está proporcionando aos ambulantes, a comercialização dessas raquetes elétricas (elas eletrocutam os insetos voadores).

Como vocês podem notar, o Estado Brasileiro está fazendo o que pode e o que não pode, para difundir o uso da “raquete” no Brasil. Nesse caso, uma raquete elétrica, “Made in China”.

É a globalização na carona da incompetência."



Marcos Santos
Rio de Janeiro
25/01/2008

foto marcos santos

Quem paga afinal ?

Tiago R Cardoso - 24.05.2008

Concordo no principio da contestação, que quando o cidadão é atingido deve protestar.

O problema inicial das SUCT foi exactamente a sua construção e pagamento, ou seja fazer-se um auto-estrada paralela a outra, como é aqui no norte, que acompanha a A1, sendo essa via gratuita, ideia que não tem por onde se lhe pegue.

Evidentemente que uma medida deste tipo, onde se concessionava uma via e a factura era mandava ao estado muitos anos depois, tinha um grave problema, que era quando fosse “muitos anos depois” e o estado tivesse de pagar a conta.

Pois estamos nessa altura de pagar e a solução é portajar.

Eu sou adepto do utilizador/pagador, quem utiliza uma via destas tem de pagar, evidentemente se existirem alternativas válidas, reforço, se existirem alternativas válidas.

Não é possível “fechar” uma via destas, enviando o tráfego para vias municipais ou que atravessam zonas bastante densas e complicadas, onde se demora horas a percorrer meia-dúzia de Kms.

Nem tanto ao mar, nem tanto à terra.

Nem tanto ao mar, ao ser tudo gratuito, onde os impostos sirvam para pagar vias do outro lado do país que não usamos, podendo esses impostos serem aplicados noutros lugares.

Nem tanto à terra, onde tudo é pago e uma região inteira é atrofiada, sendo assim impedido os seu desenvolvimento.

Mais uma gaffe de Hillary Clinton

António de Almeida 24.05.2008

-A história conta-se num ápice, Hillary Clinton procurou explicar as razões que a levam a não desistir da candidatura, pois lembrou-se de apontar a possibilidade dum assassinato relembrando Bobby Kennedy, o que levou a uma indignação geral. Mais do que persistir na candidatura a sen Clinton deveria teimar em perceber porque falhou a sua campanha, quando no início parecia destinada a um passeio triunfal. Os erros pagam-se caro!

Aumentar 173 por cento, é obra.

Tiago R Cardoso - 24.05.2008

Portugal afinal queixa-se, eu que escrevi que por cá o pessoal lamenta-se mas não faz nada, afinal alguns fazem e partem para a acção.

O relatório anual da Provedoria de Justiça de 2007, enviado esta semana para a Assembleia da República, regista um aumento do número de queixosos de 22 por cento, relativamente ao ano anterior, totalizando 10.021 participações. Este acréscimo decorreu sobretudo de problemas relacionados com o emprego na administração pública, sobretudo no sector da educação.

Preocupante e revelador do estado que estamos, para uns a modernizar, para outros lento a caminho do parado, para uns tudo sobre rodas, para outros sem rodas.

Preocupante que o crescimento, comparativamente com 2006, mais espectacular sucedeu na área dos direitos fundamentais (173 por cento). Os três principais motivos de queixa foram o acesso ao direito e a documentos administrativos, bem como problemas com o exercício de profissão.

E diz este PS que não recebe lições de esquerda de ninguém, diz este governo que Portugal está a caminho do futuro e que estes relatórios são exagerados.

Como um exemplo aqui fica :

Mariano Gago foi confrontado com um pedido de informação sobre o número e data do ofício a coberto do qual o Ministério da Ciência havia participado o acatamento de uma recomendação, em Julho de 2007, apenas respondido em 29 de Janeiro de 2008 e "após inúmeras diligências".

Com exemplos destes vindos de cima, está tudo explicado.

O que se espera é que nenhum ministro tenha a lata, como foi ontem, vir dizer que este relatório está desactualizado e que agora está tudo corrigido.

O síndroma do tapete

Tiago R Cardoso - 23.05.2008

Já por aqui escrevi que os EUA consideram Portugal, um tapete para limparem os pés quando por aqui passam.

O pior é quando um governo, perdão uma sucessão de governos, PSD/CDS e agora PS, se sentem tapetes e gostam de ajudar na limpeza dos pés.

O ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira, afirmou hoje que o governo português "não tem nada a esconder ou temer" sobre a questão dos voos da CIA para Guantánamo e que sempre prestou todas as informações solicitadas sobre o assunto.

Reconheço que prestou, afirmou sempre que não se passava nada, que estava tudo bem, reptido várias vezes por José Sócrates.

Disse ainda, Pedro silva Pereira : "Não recebemos lições de ninguém em matéria de direitos humanos", qualificando a ideia que se pretende fazer passar de "conivência" do governo português nesta matéria como "insultuosa" e "falsa".

Se calhar a insinuação até é "insultuosa" e "falsa", por que eu acredito que os EUA, com a enorme consideração que têm por Portugal, nem se deram ao trabalho de incomodar os governos nacionais.

Pedro Silva Pereira declarou que se tem "escamoteado o facto de a responsabilidade exclusiva ser dos EUA e não de Portugal", cujo governo disse não ter nenhuma indicação quanto a prisioneiros que tenham sido transportados nesses voos.

Ai está o síndroma do tapete, a responsabilidade é de quem limpa os pés e não do tapete, é claro que nós nunca avisamos que vamos usar o tapete, mas sinceramente o tapete também não se importa, está lá para isso.

E?

António de Almeida 23/05/2008

Governo confirmou passagem por Portugal 56 voos de e para Guantánamo

-Entreguem lá um troféu qualquer a Ana Gomes, pode ser uma daquelas condecorações do 10 de Junho, a ver se não recomeça a gritaria sobre Guantanamo. Já o tinha escrito aqui, na guerra da civilização contra a barbárie, Portugal não poderia ficar neutral, escolheu e bem um lado, com todas as consequências que daí resultam. Lamento que algum inocente possa ter sido por engano encarcerado em Guantanamo, mas escumalha talibã, membros da al-qaeda, terroristas que atentam contra a civilização praticando crimes contra a Humanidade, lamento mas não têm direitos. Direitos deveriam ter tido e não tiveram as vítimas desses animais, no WTC, em Madrid, Londres, Bali, Casablanca e teriam sido muitos mais se a civilização cobardemente ficasse tranquila á espera do arrependimento, Guantanamo foi, é, infelizmente um mal necessário, como os bombardeamentos da Alemanha e Japão na 2ª guerra mundial. Por vezes a Humanidade é obrigada a enfrentar estes dilemas, mas não o fazer, não enfrentar os nossos inimigos seria infinitamente pior.

Não ir à GALP, mas à BP ou REPSOL ajuda em quê?

Quinttarantino - 23.05.2008

Andou por aí um apelo a que os portugueses não fossem às bombas da GALP abastecer.
A mim inundaram-me a caixa de correio. Era apelo atrás de apelo.
Uma estupidez e uma idiotice completa.

O(s) autor(es) da ideia, está-se mesmo a ver, devem ter ruminado a coisa à mesa do café.
E, tal como os "anónimos" que convocam manifestações por SMS, devem estar ufanos pois os jornais já falam em 13 milhões de prejuízo para a GALP.
E porque não apelaram antes ao boicote à BP e à REPSOL?
Não era mais giro?

Mas não, tinha de ser à GALP. E nem é por ser portuguesa, é só porque o Governo tem lá capital.
Ora, quem diz Governo, diz Sócrates. Para eles, um boicote destes é o mesmo que ir ao bolso de Sócrates.
Enfim ...

Saudades de outras musicas.

Tiago R Cardoso - 23.05.2008

Num tom mais ligeiro.

Podem achar “foleiro” mas o Festival Eurovisão da Canção faz parte do meu imaginário.

Mais propriamente o “antigo” Festival, aquele que ainda não tinha sido desvirtuado com o “inglês” e o Play-Back.

Na altura era eu um miúdo e ali estava junto com a família, todos sentadinhos, em frente ao televisor, recordo-me da primeira transmissão a cores, exactamente com o festival.

Tudo mudou, o ligeiro a passar os limites do “pimba” e está em grande, hoje todos cantam em inglês, aliás ainda não me recompus da Rússia e da França a cantarem em inglês.

Até a França...

A RTP deu mais um passo em frente, meteu publicidade no meio do festival e não se assistiu a algumas canções, excelente forma de mandar o pessoal, os últimos resistentes, mudarem de canal.

Salvou-se a canção portuguesa que passou à final.

Depois disto vou ouvir aqui uns discos, e quando falo de discos falo de vinil mesmo, onde se ouve grandes canções de outros tempos, onde valia a pena ficar até tarde para ouvir grandes cantores.

Paraíso de Sócrates? Onde ?

Tiago R Cardoso - 22.05.2008

Estou ainda a tentar encontrar o paraíso de Sócrates, cada vez que sinto que estou a encontrá-lo, após um dos debates semanais, onde o PM pinta um paraíso, eis que me surge uma noticia que me manda procurar de novo.

Portugal foi hoje apontado em Bruxelas como o Estado-membro com maior disparidade na repartição dos rendimentos, ultrapassando mesmo os Estados Unidos nos indicadores de desigualdade. O Relatório Sobre a Situação Social na União Europeia (UE) em 2007 conclui, no entanto, que os rendimentos se repartem mais uniformemente nos Estados-membros do que nos Estados Unidos, à excepção de Portugal.

Realmente estamos no bom caminho, estamos à frente dos Estados Unidos, evidentemente que não pelos melhores motivos.

Depois disto só tenho de concordar e ir procurar outra vez.

Brasileiros na Espanha - A saga continua.

Marcos Santos - 22.05.2008

E mais uma vez, brasileiros são barrados e devolvidos sem maiores explicações. Entre eles estava Debora Alves, de 20 anos e com uma gravidez considerada de risco. O fato de ela ser casada com um português não foi levado em consideração, até porque seus documentos sequer foram pedidos para uma conferência.

O engraçado dessa história é que na semana passada(15/05/2008) a vice-primeira ministra espanhola, Maria Teresa Ferandez de la Vega, repreendeu a Itália por tratamentos inapropriados aos imigrantes daquele país. Ou seja, "façam o que eu digo, não façam o que eu faço".

Os brasileiros deveriam largar essa história de "Europa" e passar a investir na previdência social daqui. Deixem que as europeias quebrem, que em seguida eles implorarão por seu retorno.

Enquanto isso, o pessoal do Santander, Telefonica, Bilbao Vizcaya...Entram e saem daqui, na hora que querem.

Noticiado na Agência G1

Marcos Santos
Rio de Janeiro

Sublimes comentadores politicos.

Tiago R Cardoso - 22.05.2008

"Custa imaginar o que seria a actualidade política sem o sublime espectáculo a que o PSD nos habituou" - Constança Cunha e Sá.

É cada afirmação.

A mim não me custa nada imaginar como seria, provavelmente seria tudo muito mais sossegado e seriam poupadas muitas horas de análises.

Temos de considerar que sem o dito espectáculo, a frase da Senhora Constança não teria este destaque.

Aliás, se não fosse todo este espectáculo em que se transformou a politica em geral, provavelmente não teríamos direito a tão "grandes" comentadores, como é o caso da Senhora Cunha e Sá.

Excelente Manchester, excelente Ronaldo.

Tiago R Cardoso - 22.05.2008

Manchester ganhou.

Os grandes jogadores também falham, John Terry, enorme jogador escorregou, Ronaldo marcou o primeiro golo e falhou uma grande penalidade, importante mas algo que não ofusca o facto de ele ser um dos melhores, se não o melhor do mundo.

42 golos numa época é obra, ainda por cima de um extremo, excelente.

Podia ter pendido para os dois lados, mas penso que a taça está bem entregue.

Está na altura de deixarmos de dar tiros nos pés e dizer que tudo o que é estrangeiro é que é bom, seja Ronaldo, Nani, Ricardo Carvalho, são portugueses, são bons e mostram que não somos os coitadinhos da Europa e do mundo.

Sim, mas Ronaldo...

António de Almeida - 21.05.2008

Manchester United bate Chelsea nos penáltis

A próxima vez que os adeptos da pedinchice lusa e do nacionalismo bacoco vierem a terreiro berrar pela coroação de Ronaldo como melhor futebolista do planeta, convém relembrarem o jogo de hoje, eu sei que marcou um belo golo, falhar um penalty acontece aos melhores, mas não nos grandes momentos, nos mais decisivos jogos da época. Ser o melhor do mundo começa em jogos como os de hoje, ou na fase final do europeu.

Questões de subsídios.

Tiago R Cardoso - 21.05.2008

Discordo Senhor José Sócrates, discordo do que se propõe.

No debate quinzenal do Governo, Sócrates disse que serão aumentados os subsídios às empresas de transportes para as compensar pelo congelamento dos preços dos passes.

Não seria mais fácil para todos que o Senhor baixa-se o imposto sobre os combustíveis, não entrando uma de esmolas ?

Eu sei que o Senhor Sócrates faz isso para manter a verba, assim só alguns seram ajudados, só alguns é que não terão de levar com o preço a que estão os combustíveis.

Compreendo que é preferível afogar o país, estagnar a economia a perder aqueles valiosos milhões para a consolidação orçamental.

Pode vir dizer que isso não é bem assim, pode vir dizer que temos de poupar e procurar novas formas energéticas, mas Senhor Primeiro Ministro, eu ouvi o que disse Almeida Santos, embora ele não seja muito de fiar, diz o que pensa e sabe sem ver as consequências, deu a entender que esta manutenção dos valores dos combustíveis ajudam a consolidação orçamental.

Enquanto isso nós por cá continuamos com os depósitos vazios e as carteiras sem nada, isto para aqueles que ainda tem carteiras, pois muitos já nem dela precisam.

"Quo vadis" África do Sul?

Quinttarantino - 21.05.2008

Da distante África do Sul chegam-nos imagens de rara violência.
Perpetrada pelos pobres dos pobres contra os mais pobres dos pobres!
E tudo isto num país que ainda é a economia mais rica de África, numa cidade que está rodeada por algumas das maiores minas de ouro do mundo e que, no seu centro, se assemelha a qualquer urbe ocidental.

Os ecos que nos chegam apontam que as vítimas são principalmente emigrantes (quase todos ilegais) dos vizinhos Zimbabwe, Moçambique e Malawi, qual deles mais o mais pobre.
Contudo, também sul-africanos de outras etnias, que procuram em Joanesburgo uma nova vida, são alvos da fúria das multidões.
O que só pode constituir surpresa a quem andar desatento.
Se fosse segredo seria de polichinelo, mas nos anos do apartheid as forças policiais que eram mistas procuravam colocar os seus elementos de cor sempre em territórios onde predominavam populações e etnias diferentes. Se era Zulu ia para o Transvaal, mas se era Xhosa ou Venda o mais provável era ir para o Natal.
E era ver o arreganho com que eles batiam uns nos outros. Muito raramente as forças policiais brancas assumiam a primeira linha!
É cínico, mas era o aproveitamento dos ódios tribais que pululam por toda a África, não sendo exclusivo sul-africano.

Ademais, o sul-africano não é conhecido pelo seu apego ao que é estrangeiro!
Finalmente, a dita “rainbow nation” que Mandela fundou há catorze anos atrás continua a ter um problema sério com as desigualdades sociais.
Continua a haver um problema com a cor ou com a língua, especialmente com a maioria negra. Esta, por enquanto, ainda não se revolta contra o Governo, revolta-se contra os estrangeiros … por quanto tempo se verá.

Aliás, só esta ausência de revolta contra o Governo explica que caricaturas como Thabo Mbeki ou Jacob Zuma sejam, respectivamente, Presidente da República e dirigente do ANC.
A década na África do Sul tem sido de grande crescimento económico, mas num modelo muito semelhante ao do liberalismo que varre o mundo e que tem contribuído para o agravamento das desigualdades.
É verdade que há uma nova classe média negra, mas a imensa maioria dos africanos que eram pobres ficou mais pobre!

Paralelamente, os serviços fornecidos pelo Governo aos negros dos bairros pobres têm sido desesperadamente desadequados pelo que não deixa de ser verdade que há uma nova classe média negra, mas a desigualdade tem crescido nesses bairros pobres.

Têm ainda surgido ecos que a barbárie estará a ser fomentado, havendo casos de detidos que asseveram que foram pagos para semear o horror. Faltará saber por quem.
No meio disto tudo, e quando nas fronteiras existem patrulhas cívicas que procuram impedir a entrada de mais ilegais, mantém-se o mistério do apoio descarado da potência regional ao regime de Mugabe.
É que o Zimbwawe é um país próspero e rico, e se retomasse o crescimento muitos não necessitariam de rumar a Sul!

Obras públicas

António de Almeida - 21.05.2008

Atravessando hoje de manhã a Ponte Vasco da Gama, numa altura em que o País se prepara para construir a 3ª travessia do Tejo, dei por mim a pensar se já imaginaram o quanto teria sido poupado aos cofres públicos caso tivessem construido a ponte sem a fila da direita?
É que tal fila é mesmo um desperdício, ninguém a utiliza, tem uma relação custo/benefício bastante dispendiosa.
Com tal poupança talvez conseguissem até ter construido outra fila mais à esquerda, estão de acordo?

No minimo ridiculo.

Tiago R Cardoso - 21.05.2008

Eu reproduzo a estupidez da noticia e a sua enorme importância.

O Conselho Superior da Magistratura, ouvido esta tarde no Parlamento, deu o seu apoio global à proposta de lei do Governo que introduz um novo mapa judiciário.

Mas entre os reparos deixados à proposta, ficou o aviso do vice-presidente do Supremo Tribunal de Justiça: a competência atribuída aos juízes-presidentes das comarcas de distribuírem os lugares de estacionamento pode gerar conflitos graves.

“Isto não pode ser resolvido pelo juiz-presidente”
, de cada tribunal, pelo "seu melindre" - defendeu o Juiz Conselheiro Ferreira Girão, invocando a sua "experiência" em estruturas associativa. É que, justificou, “a gestão do parque automóvel” por vezes “desencadeia guerras autênticas”.

Ai está, o fundamental no novo mapa judiciário é o lugar de estacionamento.

Fico feliz com tão grande e importante discussão, que irá ajudar e melhorar a nossa justiça.

Chefe da GALP promete descida ...

Quinttarantino – 20.05.2008

Não há nenhuma razão estrutural para que preços dos combustíveis se mantenham nos níveis em que estão, disse algures em Marte o presidente da GALP, um tal de Ferreira de Oliveira.
Já em Júpiter, assegurou que “espera mesmo que os preços desçam e que os seus clientes deixem de ser tão penalizados”.

O resto da treta está aqui em DIÁRIO
O homem é extraterrestre, não é?
Ou então inventa bem ...

Ninguém acima da lei ???

Tiago R Cardoso - 20.05.2008

O Procurador-Geral da República (PGR) advertiu hoje que ninguém goza de impunidade, discordou que haja uma Justiça para ricos e outra para pobres e admitiu que são crimes como os da noite do Porto que geram insegurança nos cidadãos ( Jornal Publico).

"O que não pode haver é pessoas em Portugal que julguem que pelo estatuto que têm não estão ao abrigo da alçada da Justiça. Toda a gente está sujeita às mesmas regras", assegurou o PGR.

Supostamente ninguém deveria gozar de impunidade, nem muito menos se achar a cima da lei.

No entanto tem por ai muita gente que goza com o sistema, com dinheiro e bons advogados raramente são julgados e quando o são não se passa nada.

Alem disso este é um país de arquivamentos, tudo o que é algo de grande muitas vezes lava um arquivo.

Se fosse eu a cometer algum ilicito ou um cidadão comum como eu, eles davam-me o arquivamento e a condicional com termo de residência, ia para trás das grades que era uma beleza, sem direito a conferencia de imprensa nem direito de protestar.

Abrangência

António de Almeida - 20.05.2008

Ninguém mais será capaz de afirmar que a candidatura de Obama não é abrangente. O homem consegue reunir até os apoios mais inesperados.

Não percebo porquê!

António de Almeida - 20.05.2008

Presidente elogia Governo por pedir investigação aos combustíveis

Não sei que necessidade tem o governo de pedir uma investigação quanto a uma eventual cartelização por parte das gasolineiras, acontece que a GALP detém o exclusivo da refinação em Portugal, e também possui a maior quota de mercado, sendo uma empresa participada pelo estado, será que os homens de confiança de Manuel Pinho não lhe entregam relatórios periódicos? Das duas uma, ou escondem uma eventual prática do chefe ou são incompetentes por não perceberem o que se passa na empresa.

Para onde caminha o olhar?

Dalaila - 20.05.2008

Imagem: All Calkins

Para onde caminha o olhar? para onde?
para onde não vamos,
para onde as pernas tremem, o sorriso estampa,
mas para onde não vamos,
para onde os suores são quentes,
a alma é grande,
mas para onde não vamos...
os prados ficam verdes,
as tulipas florescem,
os girassóis giram, giram, giram,
mas para onde não vamos,
as estradas, tornam-se longas avenidas de malmequeres,
o céu passa para brilhar a estrada,
as estrelas encandeiam a noite,
mas para onde não vamos,
a àrvore cresce, as janelas têm pingos, os livros andam,
o chão treme, mexe e salta,
mas para onde não vamos,
os gatos saltam, arranham, ronronam,
mas para onde não vamos,
as luzes das cidades brilham nos edificios,
as cortinas das casas mostram sombras de luzes amarelas no seu interior,
os quadros têm cor, a música é sonante,
mas para onde não vamos,

mas vamos...

o olhar brilha, o coração treme,
a pele estremece, os cabelos voam,
o sorriso aparece, e os lábios ficam vermelhos,
porque não queremos ir, mas vamos...

Nosso Oxigênio?

Marcos Santos - 20.05.2008


Outro dia postei fotos de uma plantação de bananeiras, infiltrada na Mata Atlântica. Mais especificamente no Maciço da Pedra Branca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.
Curiosamente um dos comentários veio da Virginia, Estados Unidos e ele dizia mais ou menos assim: “É muito triste, temos essa grande floresta para sobreviver. Ela é nosso oxigênio.”

Esse comentário me fez refletir sobre o que vem ocorrendo no mundo, nos últimos séculos.

É do conhecimento de todos que o Brasil detém a maior reserva vegetal do mundo. Enquanto vivíamos como aborígines, o mundo queimava todo o seu estoque de madeira, incluindo a Mata Atlântica Brasileira, que se estendia de norte a sul do país, serpenteando o Oceano Atlântico. Os portugueses retiraram daqui, até a beira da extinção, a madeira que deu nome à minha terra, o pau-brasil.
Obviamente também somos responsáveis por boa parte do que foi devastado, mas em número insignificante, se comparado ao que foi feito no hemisfério norte.

Agora, voltando ao Maciço da Pedra Branca, vou fazer algumas considerações que gostaria de dividir com os amigos.

O Rio de Janeiro é uma metrópole com seis milhões de habitantes, sendo que na zona metropolitana (inclui as cidades dormitórios) vivem perto de dez milhões. É muita gente, não acham? Conseguem imaginar uma cidade com tamanha concentração populacional na Europa?
Difícil imaginar.
Ma agora pensem na quantidade de mata existente nas cidades Européias, ou Norte-americanas, principalmente nas metrópoles. O resultado é de uma aridez de impressionar.

O Maciço da Pedra Branca, Maciço da Tijuca e Maciço do Mendanha, estão encravados no coração da cidade do Rio de Janeiro. Eles são as cadeias montanhosas, que formam a bela geografia dessa cidade. Neles encontramos a maior floresta urbana de todo o mundo.
Se estão lá, é porque preservamos, pois como morador de uma metrópole, sei dos grandes desafios que encontramos para morar, trabalhar e ainda conviver com a mata, sem destruí-la.

Não nos enganemos em achar que sabemos mais da grama do jardim do vizinho do que da nossa própria grama.

A amiga da Virgínia, se está preocupada com seu ar, pode começar cuidando do próprio jardim e deixar que cuidemos do nosso, pois isso nós sabemos fazer muito bem.

Marcos Santos
Rio de Janeiro

foto marcos santos

Mas já terminaram as negociações?

António de Almeida - 19.05.2008

O PCP e o seu braço sindical CGTP-in continuam a utilizar práticas inaceitaveis numa democracia. Por um lado negoceiam com o governo e demais parceiros em sede de concertação social, mas já nem procuram manter o decoro, enquanto as negociações ainda decorrem já têm agendadas manifestações e ameaçam com greves. Chama-se a esta prática má-fé, pois o normal numa negociação será todas as partes apresentarem o seu ponto de vista, procurando chegar a um acordo mediante cedências mútuas, mas a CGTP.in está amarrada á agenda comunista, que visa obter na rua o que não consegue nas urnas, Bernardino Soares foi muito claro a esse respeito quando defendeu a moção de censura ao governo. Com tal parceiro do meu ponto de vista o governo nem sequer deveria negociar, porque quem não respeita não pode exigir que o respeitem.

Directas PSD

António de Almeida - 19.05.2008

Patinha Antão atinge as 1500 assinaturas necessárias para formalizar candidatura

Não tendo bola de cristal nem pretensões a prever o futuro, permito-me antecipar que Patinha Antão será bem capaz de ter mais assinaturas que votantes. Isto caso leve a candidatura até final, o que ainda tenho sérias dúvidas que aconteça, uma vez que a disputa está cada vez mais centrada em 3 candidaturas.

Adenda: Mandatários de Patinha Antão mudam-se para a candidatura de P.S.L. segundo o Portugal Diário.

Vai-se uma cobrança, inventa-se nova taxa!

Carol 19.05.08

A 21 de Dezembro de 2007, o Parlamento aprovou uma lei que proibia a cobrança do aluguer dos contadores. Muitos, nos quais eu me incluo (ó alminhas crentes!), esfregaram as mãos de contentamento ao imaginar a ninharia que iam passar a deduzir às habituais contas de água.

No entanto, eis senão quando, as autarquias nacionais revelam todo o seu “jogo de cintura” e criaram uma nova taxa! Isso mesmo: a taxa de disponibilidade de água.

Fernando Campos, vice-presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), considera que esta é uma situação normal, já que “os municípios têm de repercutir nos preços aquilo que lhes custa e fizeram-no adaptando o preço do metro cúbico ou, nalguns casos, através da taxa de disponibilidade de serviço que a lei permite que exista”, como explicou em entrevista à TSF.

Este responsável pela secção de águas e resíduos da ANMP adiantou que a culpa é dos deputados que promulgaram uma lei “demagógica”, porque “criou aos consumidores portugueses a ideia de que iria haver diminuição dos custos na factura”. Para além disso, sugeriu a eliminação do I.V.A. nas contas de água para “ajudar a resolver o problema do custo final da factura dos consumidores portugueses”.

Renato Sampaio (Jornal Publico) , deputado socialista e um dos autores da nova legislação, afirma que “não há nada que justifique que o cidadão tenha de pagar seja aquilo que for para além do serviço que lhe é prestado”. Por seu turno, as associações de consumidores já admitem a hipótese de avançar para os tribunais.

O que é certo é que “estão mexendo no meu bolso” e no seu também!

Que Portugal te ouça Galiza.

Tiago R Cardoso - 19.05.2008

Enquanto por cá fazemos rectificações de acordos ortográficos, onde a polémica é mais que muita, outros, falo mais propriamente da Galiza, gostam do português, não querem o castelhano e defendendo que o galego é o português da Galiza.

Vinte e cinco mil pessoas manifestaram-se hoje em Santiago de Compostela, na Galiza, em defesa da língua galega, criticando a alegada tentativa estatal de impor o uso do castelhano naquela região autónoma espanhola.

“A nossa língua não é regional nem dialectal, mas sim internacional. O galego é o português da Galiza, e o que nós queremos é que o galego se confunda com o português, mantendo, obviamente, as suas especificidades próprias.” - disse, à Lusa, Alexandre Banhos Campo, um dos principais mentores desta manifestação.

Mais afirmou, “No Rio de Janeiro fala-se de uma forma diferente da que se fala em Lisboa, mas ninguém duvida que são as duas português”.

Muitíssimo bem dito, frases e um movimento que se encaixam perfeitamente nos argumentos, que podem ser usados contra o Acordo Ortográfico.

Enquanto uns querem desvirtuar uma língua, alegando que tem de se modernizar, outros querem ser classificados como língua portuguesa, mantendo a especificidade.

Como evidentemente deveria ser, a riqueza está na diversidade, não na uniformização e esta “modernização” que se pretende impor.

A dor de cotovelo é lixada.

Tiago R Cardoso - 18.05.2009

"Manuela Ferreira Leite só seria vencedora destas eleições se tivesse maioria absoluta. E a tal procissão, o tal andor, a tal vaga de fundo, não está a acontecer. Pelo que conheço do partido, prevejo que possa ficar em terceiro lugar" - Luís Filipe Menezes, "Jornal de Notícias", 18-05-2008

Filipe Menezes a caminho do “estadista” e provavelmente futuro comentador televisivo, presumo que “paineleiro”(membro de um painel de comentadores, nada de confusões).

Uma frase carregada de dor de cotovelo, convém lembrar que Menezes demitiu-se e disse que queria ver os críticos avançarem, acusou muitos de trabalharem na sombra mas que não tinham coragem para dar a cara.

Pois os críticos avançaram, Ferreira Leite e outros deram a cara, foram à luta e agora Menezes tenta ver a coisa noutra perspectiva.

Possivelmente se Ferreira Leite obtivesse a maioria absoluta, coisa que não acredito, ele diria que ela só seria vencedora com 100%.

Filipe Menezes conhece o partido ?

Se conhece-se assim tão bem, não se teria deixado afectar pela oposição interna e teria lutado pelas suas ideias, se conhece-se saberia o que iria acontecer e quem avançaria, se conhece-se saberia que o “amigo” Santana Lopes, não ficaria quieto aguardando que o D. Sebastião Menezes se decidi-se.

Atletismo, visitas e humor.

Tiago R Cardoso - 18.05.2008

Temos de reconhecer que o homem tem folgo, pode se criticar mas atleta é ele.

Sócrates visitou a Venezuela, prestou vassalagem a Chavez, deu um saltinho ao Peru, voltou a Portugal a tempo de inaugurar o que faltava da A17, passou pelo hospital, onde tomou um antibiótico e um analgésico, terminando numa numa sessão de explicação sobre as propostas de alteração do Código de Trabalho, que decorreu na sede da Associação Industrial do Minho.

Realmente é só energia, ainda teve tempo, durante a sessão, para despachar o PCP.

Sócrates acusou PCP de "querer condicionar os sindicatos" para que não haja consenso na revisão do Código do Trabalho.

Acompanhou esta declaração com mais umas tiradas de igual efeito, tudo numa tentativa de explicar como são boas as propostas do governo.

No calor da sessão, José Sócrates, ainda teve oportunidade de fazer humor com a questão do fumo.

O PM aproveitou para fazer ironia sobre o caso,ida ao hospital, garantindo que "não se sentiu mal por ter deixado de fumar", o que provocou risos na sala.

Já por aqui escrevi, que o caso do cigarro no avião não é assim tão importante como escreveram e analisaram por ai, o facto de Sócrates não ter sido multado já passou a ser algo de interessante, mesmo assim que se lixe, mas agora ainda gozar com a situação é já começa a ser demais.

Como demais já começa a ser este ar de “estadista” perante os outros, que tudo o que fazem é bem feito e serão estas “reformas” a salvar o país.

Acho que vou tomar um comprimido, está a doer-me o estômago.

Notas Emprestadas

Notas Soltas & Ideias Tontas - 18.05.2008

Mantendo a tradição de cooperação e interacção entre o Notas Soltas e outros autores e blogues, avançamos com mais um autor.
É o segundo texto de autor que já lemos e acompanhamos há muito tempo, aqui num registo diferente mas tocando nas feridas e nos pontos certos, Nuno_R.


"Sem-Abrigo"

Sou mais um "sem-abrigo" na noite.

Um "sem-abrigo" que busca consolo e refúgio da mesquinhez humana andando sem poiso certo. Um dia aqui, outro dia acolá...

As vicissitudes da vida e alguns actos irreflectidos e imponderados à mistura, puseram-me nesta situação.

E agora tenho de viver as consequências desses actos irresponsáveis, da pior maneira possível, na mendicidade.

O ser humano quando quer, consegue ser maquiavélico e frio ao ponto de virar a cara ao seu "irmão" quando ele mais necessita de ajuda ou abrigo.

As pessoas passam e desviam-se, como se o ar que respiro lhes fizesse algum mal.

Tento sobreviver diariamente com o que consigo obter através de biscates ou da caridade amiga, mas mesmo assim isso é muito pouco. Mas antes isso que nada, não é?!

Tento arranjar trabalho, mas quem quererá no seu emprego um sem-abrigo?

Ninguém!

Para comer e vestir, o que me vão dando vai servindo, mas o que me custa mais não ter, é o que o dinheiro não consegue comprar. A felicidade.

E essa não se consegue sozinho e desamparado como estou.

Já procurei auxilio e o que obtive foram portas fechadas.

Vou vendo o tempo passar vagarosamente à minha frente e para me distrair um pouco, vou enchendo a mente com lembranças e memórias de outros tempos. Tempos idos, mas bons; onde uma mesa farta, boas roupas e uma cama decente para dormir me acompanhavam.

Mas o tempo não anda para trás e todos nós temos de viver com as consequências dos nossos actos, seja para o bom como para o mau.

Não sei o que será o meu amanhã ou para onde irei...

Deambulo sem caminho definido e vou para onde as minhas pernas me levarem até o cansaço me vencer.

Deito-me onde calha ou onde me deixam pernoitar e abrigar do frio.

Mas não é o rio da noite que me incomoda mais, é antes o "frio interno" que vai gelando as minhas emoções e sentimentos.

O que de certa forma atenua e anestesia a angústia que sinto em de viver nesta miséria ambulante em que (sobre)vivo.

E assim são os meus dias.

Dias de miséria e sofrimento que tardam em findar...

Galhardetes, peixeirada e doutores.

Tiago R Cardoso - 17.05.2008

A campanha dentro do PSD está boa e recomenda-se.

Está boa para quem tem o gosta de se chatear, para militantes, analistas e para quem quer aprender o como não se deve fazer campanha, recomenda-se para quem não tem cuidado com a sua saude mental.

Depois da troca de galhardetes sobre quem votou em quem, polémica avançada por Santana Lopes, diga-se que algo de extrema importância.

Não satisfeito com a figura que fez, tratou de avançar com umas observações dirigidas a Passo Coelho, relativas à falta de experiência, uma vez mais ficou mal na fotografia, quando teve por resposta de Passo Coelho, que prefere não ter experiência a ter a de Santana Lopes.

Agora Ferreira Leite avança que não tem vocação para actriz, garantindo que, se for eleita, não fará política espectáculo e optará por ser sempre "verdadeira e directa" - (Publico)

"Comigo, não contem para o espectáculo."

Esquece-se a Doutora Ferreira Leite, que participar nesta peixeirada... perdão eleições do PSD, dá-lhe imediatamente lugar no espectáculo e um papel de protagonista.

Sobre as eleições de 31 de Maio, Ferreira Leite alertou que elas "são decisivas" para o PSD e, por isso, aconselhou os militantes a votarem no candidato "que melhor pode aparecer aos olhos dos portugueses como potencial candidato a primeiro-ministro".

Não sou militante, mas vou seguir com atenção o conselho da Doutora Ferreira Leite, ver bem quem é que o PSD vai apresentar em 2009, até agora não vi nada de jeito e os meus olhos estão bons, pelo menos foi o que disse o oftalmologista.

Só quero ver como isto irá acabar

António de Almeida - 17.05.2008

Chamem-me calvinista se assim entenderem, enquanto cidadão dum estado que se afirma livre e republicano não aceito a existência de cidadãos de primeira e de segunda categoria. As leis são para todos, qual a moral que assistirá á condenação dum próximo prevaricador que desrespeite a lei que proibe o fumo a bordo de aviões caso o cidadão José Socrates venha a ficar isento de pagar a respectiva multa, conforme aqui se explica?

Penso que José Sócrates até será o principal interessado do ponto de vista político em resolver rapidamente a questão, o valor da multa não será certamente obstáculo, após já ter pedido desculpa poderá encerrar definitivamente a questão, já os seus subordinados da ASAE e DGS não ficam muito bem a praticarem o jogo do empurra.

O bicho papão ASAE

Tiago R Ccardoso - 17.05.2008

Portugal encontrou um novo inimigo, esse “bicho papão” chama-se ASAE.

Desta vez a Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE) está a aplicar com rigor os regulamentos comunitários de higiene às instituições de solidariedade social: exige que as cozinhas tenham os mesmos requisitos que as de um restaurante, proíbe as instituições de aceitar alimentos dados pelas populações e deita fora toda a comida congelada em arcas normais.

A noticia é dada assim e permite a todos os “fundamentalistas” contra a ASAE avançarem com as criticas já habituais.

Evidentemente que a aplicação cega da lei é pouco recomendável e não pode ser feita por cima de tudo e de todos.

No entanto gostaria de saber se, os mesmos que criticam as actuações da Autoridade, consideram que a ASAE deveria desaparecer ?

Se todas as inspecções feitas, que vieram trazer à tona enumeras irregularidades, atenticos atentados à saúde publica, são más ?

Gostaria de saber quem concorda que aquela cozinha de um secundária com o tecto podre e os exaustores cheios de ferrugem ?

Quem concorda com o voltar a embalar produtos fora do prazo em novas embalagens ?

Quem concorda com o transporte de um pónei na mesma carrinha que se transportava pão?

Pelo que se entende tudo é mau, assim que se acha uma brecha, coloca-se ali uma etiqueta em toda a Autoridade, vivemos de facto num país onde o mau é muito mais importante que tudo o de bom que se faça, mesmo se o bom for em maioria.

No caso em concreto quem ouviu as declarações da presidente do banco alimentar ?

“As instituições de solidariedade tem de acompanhar os tempos”, vou mais longe e sem fundamentalismos pergunto, quem é que se sente menos seguro agora do que quando valia tudo?

Sem senhor, se faz favor.

Tiago R Cardoso - 17.05.2008

"Até muito tarde, as famílias reais da Europa, que se tinham casado entre si durante gerações, não se tratavam pelos títulos, mas pelos nomes; mesmo pelos diminutivos."
- Vasco Pulido Valente.

Estava a pensar na realeza portuguesa, nada de confusões, não falo do D. Duarte pretendente ao trono português, só me falta descobrir onde está o trono.

Estava a pensar mais precisamente nos que têm a mania de realezas e de VIP's.

Portugal é um país de títulos, do engenheiro (não é piada a Sócrates), do doutor, do arquitecto, do professor, algo que anda no ridículo.

Um dia destes vi no site de campanha de Ferreira Leite, no topo “Doutora Ferreira Leite”, mas não só, andamos numa que até nos cheques aparece Doutor fulano tal, Engenheiro (eu já disse que isto não é piada ao PM, não disse ?) fulano tal.

Por outro lado temos a realeza Vip, quer dizer, aqueles que umas revistas atribuíram como “importantes”, eles e os seus respectivos diminutivos, alguns a rondar o rasco.

Acredito que em algum lugar normal deste país, se alguém chama-se a outra, Pimpinha, Cinha, e um pouco abonatório Bibá Pitta (cruz credo!!!), sujeitava-se a levar algumas no lombo.

Eles felizes lá andam, com os seus títulos e realezas, outros por ai andam metidos a “eu chamo-me Doutor...”, eu fico-me pelo meu nome e dispenso o senhor, faz-me sentir velho e alem disso não está no meu bilhete de identidade.

Mérito pela ausência

Tiago R Cardoso - 16.05.2008

Sabem quem é Vitor Bento ?

É o presidente da Sedes, a Associação para o Desenvolvimento Económico e Social, e da SIBS, sociedade interbancária de Serviços, que há oito anos está com uma licença sem vencimento, funcionário do Banco de Portugal.

Estava a ver a melhor forma de desmanchar a noticia e dar uns toques de ironia, mas cheguei à conclusão que basta apenas reproduzir o que se passa, que todos ficamos esclarecidos.

O Bloco de Esquerda (BE) pediu hoje esclarecimentos do Banco de Portugal sobre os critérios que ditaram a promoção "por mérito" de Vítor Bento, o presidente da Sedes, a Associação para o Desenvolvimento Económico e Social, e da SIBS, sociedade interbancária de Serviços, que há oito anos está com uma licença sem vencimento.

"Como se pode promover por mérito alguém cujo mérito é não estar no banco", questionou o deputado bloquista Francisco Louçã, em declarações aos jornalistas para justificar o requerimento entregue hoje na Assembleia da República.

A comissão de trabalhadores do Banco de Portugal pergunta, "Como pode haver uma promoção salarial por mérito absoluto se a pessoa não desempenha funções?"

Resumindo, um funcionário não trabalha num banco há oito anos e é promovido por mérito, presume-se que o Banco de Portugal não gosta do Senhor Vitor Bento, pois a promoção só pode ter sido pelo mérito de durante oito anos, ter primado pela ausência.

Quer dizer, de outra forma só em Portugal... Há pois, isto é Portugal.

Habituem-se, é o que temos

Tiago R Cardoso - 16.05.2008

O ministro das Finanças recusou hoje, em Bruxelas, ceder à reivindicação dos taxistas que ameaçam realizar um protesto nacional em Lisboa, em data a definir, caso o Governo não ceda até finais de Junho às suas reivindicações.

“O Governo tem uma linha clara. Não vejo porque é que todos os contribuintes têm de subsidiar uma actividade em particular", disse Fernando Teixeira dos Santos

Sou obrigado a concordar com o Senhor Ministro, não devem ser os contribuintes a subsidiar qualquer actividade.

Se seguirmos a lógica dos taxistas, qualquer actividade dependente de combustíveis teria de ser subsidiada.

"Reduzir o ISP não deve ser a forma como nos devemos ajustar ao encarecimento da energia", disse o ministro das Finanças, acrescentando que "há uma realidade que veio para ficar" e todos têm de se ajustar a essa "nova realidade".

Seria interessante que o Senhor Ministro explica-se como se resolve o problema, que não afecta só os taxistas, como afecta toda a economia nacional.

Se não é reduzindo o ISP, então é como ?

Que é uma nova realidade, Teixeira dos Santos, tem razão, é uma nova realidade que temos de enfrentar, um governo que prefere desfazer a economia de uma país em vez de abdicar de parte de um imposto, desafogando assim sectores económicos e a maioria dos cidadãos que já nem sabem o que fazer à vida.

O silêncio dos encantos

Dalaila 16.05.08


Fotografia: Königssee Lago na Bavaria , Alemanha

A beleza do silêncio que nos veste por dentro, há lugares infindáveis de beleza interior, que ainda hoje se ouvem.

Modernizar mas com cuidado

Tiago R Cardoso - 15.05.2008

O Presidente da República, Cavaco Silva, afirmou hoje que o país não pode parar o esforço de modernização mas considerou que, neste momento, deve ser dada uma atenção particular às pessoas que estão a ser prejudicadas pela crise económica (fonte Publico).

Quem não concorda faça o favor de dizer.

Evidentemente que a grande maioria concorda, mas por estes lado existe sempre um mas.

Alguns dirão imediatamente, que o Presidente acordou tarde, que descobriu a pólvora, que a situação é grave e que se calhar já estará irreversível, alguns avançaram que os presidente é isto, que o presidente é aquilo.

Da mesma forma que Cavaco esteve bem, no 25 de Abril, ao lembrar o afastamento dos jovens em relação á politica, o PR lembra agora que se deve ter em atenção ás pessoas que estão a ser prejudicadas pelo actual estado da economia.

Desenvolvimento, muito bem; modernização, sim senhor; agora à custa sempre dos mesmos, passando por cima de tudo e de todos, esquecendo-se do cidadão, ai vamos com calma, podem achar que sim mas o povo não se alimenta de estatísticas.

Dúvidas políticas existenciais.

António de Almeida - 15.05.2008

Já escrevi várias vezes, não sou militante do PSD, embora tenha votado neste partido em mais de 90% dos actos eleitorais que ocorreram desde 1985, a primeira vez que votei, logo não posso ficar de forma alguma indiferente ás eleições directas que se avizinham.

Sendo certo que não votaria PSD nas eleições legislativas com a anterior liderança de Menezes, tal como não votei em 2005 quando se apresentou com Santana Lopes, voltaria a não votar caso os militantes escolhessem o retorno aos inenarráveis tempos do menino guerreiro.

Também hesito entre a preferência por Manuela Ferreira Leite ou Passos Coelho, com a primeira temos credibilidade e coerência política é certo, mas não consigo vislumbrar grandes diferenças entre a senhora do défice e José Socrates, ambos são demasiado agarrados a lógicas aparelhistico-partidárias para desmantelarem o peso excessivo da sociedade, o que faz pender a minha inclinação para o discurso liberal de Passos Coelho, mas olhando com um pouco mais de atenção os apoios que tem recebido de Marco António, Barreiras Duarte e Agostinho Branquinho entre muitos outros Menezistas, e lendo um pouco melhor os seus discursos onde diz defender a saída do Estado da economia de forma gradual durante 10 anos mas mantendo a Saúde, Educação e não se comprometendo com qualquer reforma da administração, onde muitos dos seus novos apoiantes costumam parasitar a meias com outros parasitas cuja única diferença é possuirem cartão rosa e não laranja, tenho dúvidas se o liberalismo andará longe duma meretriz, sempre pronto a ser usado mas não recompensado.

É preciso ser muito grunho!

Carol 15.05.08

Ontem houve muito boa gente preocupada com os cigarros que Sócrates fumou na ida para a Venezuela. Também houve quem perdesse tempo a perceber se Jardim se candidatava à liderança do PSD e, caso não o fizesse, quem seria a vítima do seu apoio.

A mim, valha a verdade, nenhum destes dois assuntos me preocupou sobremaneira. Na verdade, fiquei mais indignada e preocupada com as declarações de Marinho Pinto durante uma audição na Comissão de Assuntos Constitucionais, no Parlamento. Não sabem? Então, eu explico!

O bastonário da Ordem dos Advogados defendeu que o crime de violência doméstica não devia ser um crime público, ou seja, não devia poder ser denunciado por um qualquer cidadão consciencioso mas, apenas, pelas próprias vítimas. Aliás, Marinho Pinto afirmou mesmo que “há um certo fundamentalismo na violência doméstica como crime público” e justificou o seu ponto de vista afirmando que a desistência de um processo deste tipo não podia ser viabilizada mesmo a pedido da própria vítima. Para além disso, apontou um "feminismo entranhado" nas leis portuguesas.

Como seria de esperar e, apesar do pouco eco que tiveram, já houve reacções a esta tomada de posição, nomeadamente pela União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR). Este movimento manifestou hoje, em comunicado, o seu repúdio por afirmações que “primam pelo absurdo e constituem um retrocesso na luta pelos direitos humanos e na evolução das mentalidades”.

A UMAR acrescentou, ainda, que o bastonário se baseou num pressuposto erróneo, pois o Código do Processo Penal actualmente já prevê que a vítima possa desistir do processo, mesmo que a situação tenha sido denunciada por outrem.

Enfim, o sr. Marinho Pinto parece que anda distraído... Anda tão distraído que parece não saber que, só em 2008, já morreram dezassete (17!) mulheres vítimas de violência doméstica e que já foram registados 11 casos de tentativa de homicídio.

Num mundo que conhece casos como os de Natasha Kampusch ou o do “Monstro” austríaco, como é possível que alguém defenda que a violência doméstica só possa ser denunciada pelas próprias vítimas?!

Governo muda números ou não?

Quintarantino - 15.05.2008

É curioso como os peritos económicos normalmente andam ao retardador face àquilo que o mais comum dos mortais sente e antecipa!
Hoje fazem-se parangonas com o facto de possivelmente a economia portuguesa ter abrandado nos primeiros três meses deste ano – por exemplo, o jornal “Público” usa um prudente “deverá ter abrandado”.
Economia portuguesa recua no primeiro trimestre

O PIB nacional terá, durante o primeiro trimestre, recuado face aos dois por cento verificados na fase final de 2007.
Aliás, instituições financeiras como o BPI e o Santander decidiram já alterar as suas projecções e apontar para um crescimento de 1,6% para 2008 e já não de 1,8%.
Vítor Constâncio também já disse que o Banco de Portugal iria corrigir a sua estimativa de dois por cento de crescimento para 2008.

Ou seja, o Governo fez uma previsão (2,2%) completamente irrealista.
Tinha a obrigação de fazer uma bem diversa aquando da realização do Orçamento de Estado?
Tinha.
Já vai sendo tempo de entre nós se pensar que o rigor e a verdade não são palavras vãs.

Apoios destes, não obrigado.

Tiago R Cardoso - 14.05.2008

Sem apoios... perdão, com tantos adversários, Alberto João Jardim não se candidata, segundo o próprio não se quer envolver "no estado em que o PSD está mergulhado”.

“Neste momento da minha vida não preciso de uma candidatura”, continuou Jardim, que manifestou publicamente o seu apoio à candidatura do líder da bancada parlamentar social-democrata. "Pessoalmente no quadro a que chegámos prefiro Santana Lopes", defendeu.

Interessante, muito interessante este efeito de contorcionismo politico.

Anteriormente Jardim chegou a dizer que avançaria se tivesse certeza que ganhava, se os outros candidatos desistissem e todos o apoiassem.

Agora avança que não se quer envolver, que não precisa de uma candidatura, todo dito como se nada se passa-se.

Afinal tudo por questões pessoais e por questões estadistas, longe de mim pensar que foi por não ter apoios, ver que iria perder e perder por muitos.

Santana Lopes já veio a publico a agradecer o apoio, sinceramente no lugar de Santana não agradecia, com um apoio destes ficaria é bastante preocupado.

A voz do dono.

António de Almeida - 14.05.2008

Para todos aqueles, e já li alguns, que desvalorizam o facto de Sócrates ter fumado a bordo dum voo charter. Afinal o "Público" é que levantou a questão, já se sabe o tipo de jornalismo que se pratica às ordens do engº Belmiro, vinganças pelo falhanço da OPA sobre a PT; convém também relembrar que António Monteiro, relações públicas da TAP emitiu aquele comunicado onde se afirma ser normal fumar neste tipo de voos.
Ah, já me esquecia, a TAP é uma empresa de capitais exclusivamente públicos, terá António Monteiro obedecido á voz do dono?

As fumaças de Sócrates e as virgens impolutas!!!!

Quintarantino - 14.05.2008

O nosso Primeiro, decididamente, gosta de andar nas bocas do mundo!
Desta feita, meteu-se a fumar no avião que o transportava, mais à real comitiva, para a Venezuela.
Os constitucionalistas não têm dúvidas … violou a Lei do Tabaco!
Eu não preciso dos constitucionalistas para saber que violou a Lei, assim como tenho a certeza que se fosse eu levava logo.

O que eu gostei mesmo de ver foi um cavalheiro da TAP estranhar o alegado desconforto da tripulação do voo ante a fumarada.
De acordo com o jornal “Público” - AS FUMAÇAS DO SÓCRATES -, a TAP considerou todos estes casos normais em serviços especiais fretados.
Casos?
CASOS?

Ah, pois … é que não é só com o Sócrates.
Parece que quando Cavaco viaja a maralha que o acompanha também fuma.
Mas aí não conta.
Não conta porque o seu assessor diz que Cavaco não fuma, e como ele não fuma está resolvido; para os nossos analistas da praça e da blogosfera também não há problema porque é a comitiva do Cavaco!
Eu acho que o nosso Primeiro fez mal, pois quem aprova leis dá o exemplo e, aqui à semelhança lá da sua licenciatura, insisto que me parece que o que está em causa é o carácter. Sócrates parece conviver bem com a esperteza típica do chico-esperto …
Mas também adoro, ADORO mesmo, a coerência dos gajos que sendo o Sócrates matam e esfolam, mas em sendo o Cavaco logo vêm com a que ele não fuma.
Pois não, só come bolo rei!

Escândalo x 15 nos combustíveis!!!

Quintarantino - 14.05.2008

Pronto, está feito: assim terá pensado lá o gajo que manda na GALP e que nem sei o nome.
O está feito é a negociata dos combustíveis.
Se as previsões se tiverem confirmado, a esta hora já o gasóleo e a gasolina estão 3 cêntimos mais caros.
Desde o dia 1 de Janeiro de 2008 aumentaram 15 vezes!
Castiço é que nem a Maya prevê estas coisas, nem o meu ordenado aumentou 15 vezes!

Segundo o presidente da ANAREC, Augusto Cymbron, o preço do gasóleo passa para 1,369 euros e a gasolina sem chumbo 95 para 1,479 euros.
A coisa não tem muito que saber e mesmo aldrabando na equivalência é ver que estamos a pagar o litro a cerca de 274$00 e a 296$00.
Barato, não?

Entretanto, e para nos sossegar, o camafeu que se intitula ministro da Economia ri, o mono que se diz Primeiro-Ministro assobia e ninguém nos vale.
Parece que pediram à Autoridade da Concorrência para que analise, com urgência, a formação do preço de combustíveis em Portugal.
Impecável.

Eu, por acaso, tenho aqui um dicionário de sinónimos à mão de semear e tem lá muitos epítetos para roubo, ladrões, vigaristas, aldrabões, estupores, escândalo e afins …

Ora agora multas tu, ora agora multo eu...

Carol - 13.05.08

O Conselho Nacional de Ética da Ordem dos Médicos quer que os doentes sejam penalizados em caso de não-comparência, sem aviso prévio, a consultas e outros actos médicos.

Assim, o paciente, no acto de marcação, teria que efectuar o pagamento de um sinal (nunca superior a 20% do valor total do acto médico), que lhe seria restituído após se verificar a sua comparência.

Contra isto nada. Na verdade, considero que esta será, até, uma atitude plausível já que 20% dos pacientes faltam aos actos médicos agendados, no Serviço Nacional de Saúde.

A única questão que me apetece colocar é a seguinte: qual a penalização proposta por este Conselho para os médicos e técnicos que se atrasam ou, simplesmente, não comparecem aos serviços médicos marcados sem aviso prévio?

Questões de fumo

Tiago R Cardoso - 13.05.2008

Ora ai está algo de relevante e fundamental para o país.

“O primeiro-ministro, José Sócrates, o ministro da Economia e Inovação, Manuel Pinho, e vários membros do gabinete do chefe do Governo violaram a proibição de fumar no voo fretado da TAP que ligou Portugal e Venezula e que chegou às cinco horas da manhã de ontem.”

Fundamental saber que José Sócrates deu uma passas durante o voo de cinco horas de regresso a Portugal e escondido atrás de uma cortina.

Tão importante, que existem centenas de blogues, alguns de topo, a mencionarem o assunto, nós por aqui limitamos-nos a constatar tão importante assunto.

Embora me pareça quem faz uma lei e não a cumpra, dá realmente um mau exemplo, acredito que todos os que neste momento estão a lançar pedras e acusações, nunca prevaricaram em nada e sempre foram cidadãos super consciencioso.

Penso e tenho a certeza que este país só irá para a frente discutindo assuntos tão importantes como quem fumou e onde, eu pelo menos nem vou dormir por estar tão incomodado o assunto.

Já ontem não preguei olho a pensar em quem Ferreira Leite votou em 2005, os próximos dias vão ser difíceis de tanta preocupação com o fumo de Sócrates.

Portugal discute cigarros, cigarrilha e charutos, ainda bem que não perde tempo com economia, preços, desemprego, ainda bem...

Nota solta : já que se discute pormenores, “Venezula” não é erro aqui do Tiago, é a copia exacta da noticia, uma pequena curiosidade.

Sócrates em Caracas à cata do Eldorado!

Quintarantino – 13.05.2008

O Primeiro-Ministro desloca-se à Venezuela na demanda de um Eldorado que não existe.
Leva consigo Luís Amado e os inefáveis, Mário Lino e Manuel Pinho PÚBLICO.
Com comitiva de tal peso ficam confortados os 600 mil portugueses que vivem naquele país latino-americano.

Aos nossos compatriotas ali radicados importaria sobremaneira que Sócrates arrancasse a Chávez mais que generalidades no que concerne à insegurança (a taxa de criminalidade é das mais altas do mundo, segundo revelam diversas instituições internacionais) e os ataques que o Estado está a fazer ameaçando com nacionalizações e imposição de preços.

Havia outro assunto, mas para esse já obtiveram resposta: não temos dinheiro para promover o ensino do Português!
O governo de Chávez incluiu a língua portuguesa como disciplina opcional no currículo oficial do próximo ano lectivo, mas o nosso Governo já disse que não há dinheiro.
Consta que o Brasil já se ofereceu.
É esta a vil e apagada tristeza a que estamos reduzidos.
Por muito que muitos (e não são só os políticos) queiram dourar a pílula, já somos uns pobretanas e quando se nos acabar a mamadeira dos fundos comunitários passaremos a indigentes!

Ops …. ia-me esquecendo.
Vão-nos trazer petróleo a granel e vão-nos dizer que é um excelente negócio, mas não nos vão dizer que o que virá da Venezuela é uma gota no oceano e, ainda por cima, implica mais custos de produção.
Não sei se sabem o que isto quer dizer …

Não se sabe ainda, mas devemos ter direito a mais uma corrida socrática para o mundo ver!

Futebol Clube Scolari e Amigos!!!!!

Quintarantino - 13.05.2008

Aquele que dizem ser o nosso seleccionador volta a mostrar que, nalguns domínios, é mais teimoso que uma mula e menos clarividente que um néscio.
Na sua convocatória para o EURO 2008 não foi capaz de um golpe de asa, um momento de emoção e repete nomes que só se forem para animar a malta naquelas alturas em que é preciso assobiar alguém!

Na baliza, tirando Rui Patrício, chamou Quim e Ricardo e a coisa já se sabe como é.
Mesmo não jogando nos últimos tempos a baliza é de Ricardo, mesmo que seja inquestionável que o guarda-redes do Benfica está em muito melhor forma.
E se é no aspecto da nabice, os dois a saírem dos postes são um desastre. Por isso, devia jogar Quim.
E Hilário não serve a Scolari porquê?

Na defesa, depois da lesão de Jorge Andrade, pouco se poderia aduzir. Talvez que Caneira merecia muito mais que Jorge Ribeiro …

No meio campo, onde Portugal nitidamente se encontra debilitado, leva dois talentos que já nada acrescentam apoquentados por lesões e a idade (Petit), e boémia e lesões (Deco).
Vaticinou-se Paulo Assunção que, tirando lá essas coisas de brasileiros a jogar por Portugal, bem podia ter ido no lugar do Petit.

No ataque Quaresma tanto pode ser um génio como um lastro, mas na Selecção deve haver um psicólogo de serviço.
O que não se entende de todo é a teimosia, a birra nos inarráveis, e por ordem decrescente de importância, Hugo Almeida, Nuno Gomes e Hélder Postiga!
Três cepos que, juntos, não fazem uma amostra de avançado.
Por mim poderia ter optado por Hugo Almeida, Pele (joga no Inter de Milão) e Boa Morte. Ou o Liedson.

De qualquer forma será bom que nos preparemos para uma desilusão!
Já agora, um critério que podia ser seguido era que qualquer um que não soubesse entoar o hino pátrio … rua!