Uma tragédia que abalou todos os brasileiros

Luiz Santilli JR - 27.04.2008

Detesto falar da tragédia humana.
Mas a coisa já passou dos limites.
Não sei se a notícia foi veiculada em Portugal?
Há um mês, uma menina de 5 anos de nome Isabella, foi jogada da janela de um apartamento do sexto andar de um edifício residencial, aqui em São Paulo.
No apartamento mora o pai da menina com sua mulher e dois filhos de 1 e 3 anos.
Isabella é filha de uma união anterior do seu pai.
Passava fins de semana com o pai, quinzenalmente.
Há um trauma nacional pela violência e brutalidade que antecederam a queda da menina, que segundo a perícia policial, foi jogada janela abaixo, ainda com vida, embora desfalecida. A morte ocorreu por fraturas múltiplas e hemorragia interna, causadas pela queda.
O pai e a madrasta alegam que o crime foi perpetrado por um invasor, um assassino, que deveria ter as chaves do apartamento pois, a porta não foi arrombada.
O casal e as três crianças haviam saído para um passeio a tarde toda e estavam voltando para casa por volta das onze e meia da noite.
Segundo depoimento do pai, Isabella foi trazida do estacionamento do edifício, em seu colo, pois estava dormindo. Após deixá-la dormindo em sua cama, retornou ao estacionamento para trazer a mulher e os outros dois filhos, que também dormiam.
A perícia policial, com base em dados objetivos, ou seja, o aparelho de GPS do carro, que determina a hora exata em que veículo estacionou, e a hora em que um vizinho chamou o resgate por telefone fixo, calculou em cerca de 7 minutos o tempo que o assassino teria para entrar no apartamento trancado sem arrombar a porta, agredir, sufocar a menina, arranjar um objeto cortante para abrir um buraco na tela de proteção da janela, por onde jogou a menina e sair do local sem ser visto por ninguém, sem nada roubar e sem deixar nenhum vestígio no local do crime.
As perícias técnicas detectaram sangue da menina no carro, em três parte do local de trás, em que deveria estar. Detectaram sangue desde a entrada do apartamento até próximo à janela de que foi jogada, na camisa do pai e no sapato da madrasta.
Encontraram, também, estendidas no varal uma fralda e uma toalha, lavadas com detergente, porém com sangue da menina assassinada.
Há também material da tela de nylon cortada, bem como fuligem da poluição do ar, pois a tela é externa, na camisa do pai. Isto somente poderia acontecer se a camisa fosse fortemente pressionada contra a tela, segundo os peritos que investigam o caso.
Há marcas do chinelão que o pai calçava no dia, no colchão da cama junto à janela em que a criança foi jogada.
Há dezenas de outras evidencias que incriminam o casal e da improbabilidade de ter havido uma terceira pessoa na cena do crime na noite fatídica para Isabella.
O pai e a madrasta juram inocência.
Não há testemunha ocular nem confissão, porém há indícios avassaladores contra o casal, pela barbaridade praticada.
Se forem a julgamento, considerados culpados e condenados, em cinco ou seis anos estarão em liberdade condicional, tal a frouxidão de nosso código penal, profundamente tolerante, pois até a prisão preventiva foi suspensa por liminar, perfeitamente impetrada com base num código de direito anacrônico.
Depois fazem campanha para que se combata a violência à criança!
Nossos intelectuais adoram campanhas!
Que tipo de campanha impede pais de tamanha barbárie?
Dentro de algumas horas será feita a reconstituição do crime, sem a colaboração dos pais.
Deve ser a prova cabal da culpabilidade do casal.
Este crime conseguiu monopolizar a mídia nestes 30 dias, de nada mais se fala por aqui, nem do aumento dos juros pelo Banco Central!

Notas de Luiz Santilli Jr

6 comentarios:

António de Almeida disse...

-Código Penal tolerante é algo que por cá também estamos habituados, apregoam-se direitos, liberdades e garantias que bem analisadas servem como uma luva aos criminosos. Não conheço o caso em análise, como sempre desejo que se faça justiça.

Tiago R Cardoso disse...

Como disse o Antonio, por cá a coisa também é muito suave, por cá que fizesse tal crime, apanharia uma pena até 20/25 anos, se apanhasse, mas lá para metade estaria na rua.

Um sistema lento, pesado e demasiado suave em algum tipo de crime, manda uma má mensagem à sociedade.

Carol disse...

Não tinha qualquer conhecimento do caso em questão, mas é verdadeiramente preocupante a forma como as crianças são tratadas nos dias de hoje! A que desumanidade chegou o Homem?!
E o mais grave é que, aí, tal como cá e noutras partes do globo, a justiça não funciona como deveria...

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Luiz, não tinha conhecimento do caso... Mas seja como for, é completamento desumano, tal crime!
A violência contra crianças, é cada dia maior... Têm que se dar um basta nisto, seja no Brasil, Portugal ou outro País qualquer.
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

quintarantino disse...

Santilli, apenas mais um da barbárie a que a nossa sociedade está a chegar!

Aí no Brasil foi isso, ontem soube-se que na Aústria um brutamontes sequestrou a própria filha durante anos, tendo-a violado de forma persistente ...

Mais um pouco e terei mesmo de concluir que precisamos de uma ditadura!

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Sim amigos,

Estamos nos aproximando de Sodoma!!
Que cada um se cuide, pois as barbaries parecem estar fora de controle do Criador!