Ó tempo volta para trás

António de Almeida - 27.04.2008

D.N. - "Ninguém esperava que o PS servisse os poderosos"

-Uma entrevista do "camarada" Jerónimo de Sousa é sempre motivo para umas boas gargalhadas. Segundo Jerónimo, "O Estado deveria controlar 50% da banca", não tendo contudo percebido como gostaria que tal objectivo fosse alcançado, se procurando no mercado adquirir as acções aos seus legítimos proprietários pagando por elas o justo valor, se à boa maneira "estalinista" utilizada em Portugal durante o inenarrável PREC, retirando-as aos seus titulares através dum roubo legalizado ao qual juridicamente chamaram nacionalizações!

2 comentarios:

Tiago R Cardoso disse...

Eu ouvi uma entrevista na TSF ao meio dia, onde se pode ouvir um conjunto de declarações, no mínimo notáveis, do Senhor Jerónimo de Sousa.

Tipo que agora em Cuba existem telemóveis e outros aparelhos electrónicos, não por eles não terem estado proibidos, mas sim por não existir condições económicas para os comprar.

Em resposta se a ETA era uma organização terrorista, avançou que pratica actos reprováveis.

Não concorda que exista boicote ao Jogos Olímpicos, porque não se deve misturar desporto com a politica, mas isso hoje, porque quando os EUA e a URSS fizeram boicotes, era compreensível, mas hoje já não.

Foi bom poder rir um pouco.

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Eu considero que todo Estado quando se torna grande, se torna também grandemente corrupto!
O Estado para ser eficiente tem que proporcionar ao sistema econômico privado, os meios de gerar a riqueza e a renda.
O Estado eficiente é pequeno, pois grande deve ser a economia.
O que deve ser eficiente são os meios de controle e regulação dos sistemas produtivos, para que sejam preservadas as esponsabilidades e os objetivos sociais das atividades econômicas.
O Estado eficiente deve se preocupar com a saúde, a educação básica e a infra-estrutura do país, podendo usar politicas público-privadas, para estes fins, sempre regulando as atividades através de Agencias de Regulação.
Estado grande,transforma os governantes em elementos poderosos, que acabam não resistindo à tentação de se perpetuar no poder.
A classe política no poder acaba não resistindo às tentações do enriquecimento rápido e fácil, gerando dificuldades para vender facilidades.
A classe empresarial acaba sendo altamente coruptora, pois se assim não agir, perderá a chance de grandes negócios!
É a farra do boi da corrupção, todos ganham, menos a nação, cada vez mais pobre!
Isso é o tal de "socialismo", ótimo para as elites no poder, péssimo para o povo!