Agora, apreender o carro é ... "simplex"!

Quintarantino - 29.04.2008

Já lhe aconteceu entregar um carro em retoma num “stand” de vendas automóveis, esse mesmo carro ser vendido a um terceiro e você, passados anos, vir a saber que o veículo ainda está em seu nome?

É bem provável que sim pois é do nosso timbre facilitar, confiar e não ter muita paciência para as burocracias.

Durante anos foi um deixar andar dos proprietários, de facto e de direito, e das próprias Finanças. Por desorganização e porque a Lei assim o permitia.
Vieram as alterações ao dito “selo do carro” e foi um vê se te avias!

A começar aqui pelo autor que tendo estreado este ano o sistema de pagamento electrónico acabou por descobrir que um veículo que entregara num concessionário de marca há mais de seis anos ainda lhe pertencia!

Confesso-vos que só para descobrir o proprietário actual foi preciso uma “cunha”. Depois, e contactado o homem, que o carro não circulava, tinha tido um acidente, estava ao abandono num terreno seu e só lhe servia para tirar peças. E andamos nisto desde o início do ano. Nem o cavalheiro se resolve a proceder aos registos, nem eu lhe conseguia “sacar” os documentos ou uma assinatura … Um conselho, antes de deitarem fora papéis velhos que julgam não ter já qualquer mister, certifiquem-se!

Pois bem, o Governo (que também acerta nalgumas medidas) deu mais uma ajuda aos que andam atrapalhados, pois deverá permitir que a partir de hoje esteja operacional um serviço em linha que permitirá efectuar através da Internet os pedidos de apreensão de veículos.

O “Público” noticia (APREENSÃO ONLINE) que, “para pedir a apreensão do veículo basta que o ex-proprietário, que ainda tem o veículo registado em seu nome, ou o seu representante, aceda ao referido site, preencha um formulário electrónico muito simples e submeta o pedido sem quaisquer encargos. O ex-proprietário poder optar entre a autenticação com a assinatura electrónica através do Cartão de Cidadão ou, em alternativa, usar o seu NIF (Número de Identificação Fiscal) e a senha de acesso ao site das declarações electrónicas do Ministério das Finanças."

Afinal, e como se comprova, o dito SIMPLEX existe, está em marcha e, por muito que alguns velhos do Restelo e carpideiras de antanho contra ele grasnem, rosnem e afins, ainda há-de ser louvado daqui a uns anos.

Para mais informações, vá a
www.automovelonline.mj.pt.

6 comentarios:

Carol disse...

Como sabes, conheço relativamente bem os meandros das vendas de automóveis. Garanto-te que anda por aí muita gente que nem imagina a quantidade de carros que possui!
Esta foi, de facto, uma medida muito bem tomada!

António de Almeida disse...

-Já me aconteceu vender um carro no stand (retoma) em Dez 06, e ser confrontado pela Via Verde com passagens sem pagamento em Jan e Fev 07. Também é verdade que tinha cópias da declaração de venda que lhes facultei, e até á data não mais fui incomodado.

Compadre Alentejano disse...

Quando se comprava um carro novo com entrega do velho, pensava que o stand onde se entregava o carro velho, geralmente representantes da nova marca, quando fosse vender o carro velho também procedesse de forma legal, mas não. O carro velho podia ficar "ad eternum" em nosso nome.
Pelo menos, agora podemos mandar proceder à apreensão do automóvel, mas havia de haver uma penalização para os actuais donos que não colaboram...
Um abraço
Compadre Alentejano

Tiago R Cardoso disse...

Boa medida sim senhor, o problema é saber a capacidade de resposta do sistema e o tempo para se fazer a apreensão.

NuNo_R disse...

Já me aconteceu a mim. Tinha uma multa para pagar ao fim de ter vendido o carro 3 anos antes.
Que absurdo.
e depois lá tive eu de andar a perder o meu tempo para provar que a multa não era minha e que o carro já não era meu. E tudo se passou num stand de uma marca premium bastante conhecido.
Por isso nunca fiando... ;)

abr...prof...

jo ra tone disse...

Vou já lá!
Tenho um a dar-me dores de cabeça há vários anos... comprado por um [advogado] ao stand, onde o troquei por outro!