Vitorino & Fernandes: uma dupla "formidable"!

A forma calma e pachorrenta com que me preparava para encarar o resto do pretérito fim-de-semana foi abalada por dois relatos que tive a infelicidade de apanhar em simultâneo.
Esclareça-se que quando digo "forma calma e pachorrenta" é porque cá nas minhas filosofias até a um cínico se deve admitir o sacrossanto direito aos momentos de não fazer a ponta dum corno … de nada dizer, escrever ou que mais seja.

Feito este parêntesis, estava eu com meio cérebro posto na audição da televisão e a outra metade dedicada à leitura em passo de corrida a uma das revistas semanais quando, sem aviso prévio, levo com duas bem pregadas que, não fossem em sentido figurado, me tinham mandado para o banco da Urgência do hospital cá do burgo.

Topo eu na VISÃO que o seráfico e aparentemente beato António Vitorino é o “guru” de José Sócrates, e na SIC avança-se com uma sinopse de uma reportagem que a Al-Jazeera International dedicou a Portugal e ao José Sá Fernandes.

Eu prometo que regresso já ao baixinho, mas deixem que vos diga que nunca esperei que um canal informativo da qualidade que reconheço à Al-Jazeera International (e atenção, ó amigos de Bush que aqui nos vêm ler, que eu também sou dado a ver a CNN, a BBC World e um pouco menos a SKY NEWS) conseguisse fazer tão fraco trabalho sobre Portugal!

O terem mostrado as fachadas da baixa lisboeta a caírem de podres e terem dito, a propósito, que estas estavam como o País que outrora fora grande e hoje é um dos mais pobres da Europa, ou terem afirmado que a corrupção campeia e é generalizada de alto a baixo na nossa sociedade ainda é o menos … agora, terem apresentado o Sá Fernandes como o paladino da anti-corrupção, o herói dos pobres já é chato mas, ao que sei, mais ninguém teve direito a faladura!

O que nos vale é que o Cristiano Ronaldo marcou um “golaço” de calcanhar ao Aston Villa, senão a esta hora andavam os tipos no Médio Oriente com o Zé para aqui, o Zé para acolá e, pior que isso, todos a presumirem que as nossas fauces são como as do Zé … isto é, que aqui temos todos aquele ar de zangados com o mundo e de cruzados da moralidade ...

Se um qualquer mameluco me ler, fica o aviso que sou muito mais bonito que o Zé!

Quanto ao baixinho que logo à noite nos fará concorrência numa coisa chamada NOTAS SOLTAS, eu só vos digo uma coisa … estivesse eu como o Carlos e Ega no remate final de “Os Maias” e visse o Vitorino a passar na Rampa de Santos e pregava-lhe semelhante cachaporra que o tipo não se endireitava mais.

E nem é por ser lá o tal “guru” do Sócrates, antes por ser um gajo que está sempre pronto a ter penacho de importância razoável sem que, nas horas de aperto, esteja disponível para servir.

Quer dizer, Sua Excelência assim para uma coisa como comissário europeu está disponível, agora quando lhe pediram que regressasse a ministro … ai, coisa e tal … não me dá jeito … mas que bosta é esta?

Não lhe dá jeito e continua a querer ter acesso ao poder?
Passar bem, chefe …

19 comentarios:

Zé Povinho disse...

A política e o jornalismo andam muito por baixo, mesmo. Não sei já quem faz o favor a quem, mas também não importa, porque estão bem uns para os outros.
Consumo muita informação, é um hábito antigo, mas o desconsolo é cada vez maior.
Abraço do Zé

J Francisco Saraiva de Sousa disse...

Não percebo porque ficou tão irritado com esses dois acontecimentos: António Vitorino até é um bom comentador político e o retrato de Portugal feito pela Al-Jazeera não é completamente falso: Portugal está corrompido, Lisboa tem edifícios degradados e há muita pobreza em Portugal, sobretudo de espírito.
Pecou só num aspecto: reduziu Portugal a Lisboa, mas talvez seja conveniente para o resto do país. Se alguém pensar num ataque, concentra-se em Lisboa, a capital.
Meio a brincar digo o que é óbvio! Porém, como diz, são mais dois "relatos": nossa luta deve ser contra a "narrativa"!
Abraço

quintarantino disse...

ZÉ POVINHO, na verdade penso que em muitos casos o que existe é desinformação, intoxicação e pouco cuidado na elaboração do trabalho de casa.

Hoje é frequente recorrer-se muito ao "diz-se", "alegadamente", "provavelmente", "estaria a ..." e demais fórmulas genéricas que permitem dizer toda e qualquer alarvidade a coberto da capa da notícia.

J FRANCISCO SARAIVA DE SOUSA, meu caro, reconheço a António Vitorino as qualidades e atributos necessários e que ele tem, mas nele o que me irrita solenemente é ser (embora seja mais um) daqueles que preza muito estar com um pé na política e outro nos negócios.
Para bom entendendor ...

Quanto à "Al Jazeera", nem é a questão de terem circunscrito a reportagem a Lisboa e muito menos eu não querer reconhecer que a pobreza nos assalta e a corrupção pode campear (embora, se calhar, seja exagero o que se diz que é tudo corrupto).
O interlocutor é que podia ser outro ... como já deve ter percebido eu até sou um tipo à esquerda, mas não gramo alguns dos gajos do Bloco de Esquerda nem com o carago!

lusitano disse...

Primeiro acho sempre "edificante" que um "politico" coloque o seu país nas ruas da amargura numa qualquer televisão estrangeira, ainda por cima permitindo que façam dele aquilo que ele não é!
Lisboa está a pagra uma factura muito alta e parte dela segundo parece devido ao protagonismo desse individuo.
O Vitorino é assim:
Fala, fala, fala, mas não o vejo a fazer nada,...a não ser para ele.
Não sei se se julga um d. "sabastião", mas esse também já deu o que tinha a dar.
Mas lá que é um sujeito inteligente, disso não há dúvidas.

Carol disse...

Obrigadinho por me teres dado cabo do post que tinha planeado! Ai, isto vai-te sair tão caro!!

Quant0o a Vitorino, compreendo a tua irritação. Mas reconheço que o homem tem mérito e que é inteligente. A sua postura na política é como a da maior parte: primeiro ele e, depois, logo se vê.

Quanto à dita reportagem, de facto não ficámos bem na fotografia, mas poucos parecem incomodados com o facto... Porque será?

Carol disse...

E sim, eu confirmo, que és bem mais interessante (leia-se bonito) queo Zé do Berloque! ;)

quintarantino disse...

LUSITANO meu caro, venham daí esses ossos ... estamos os dois em sintonia quanto ao execesso de protagonismo do Sá Fernandes e a sua pesporrência nalgumas matérias.

O outro é um entre iguais, com a desvantagem de ser tido como um imprescindível.

Ainda ontem, vendo o "JON STEWART DAILY SHOW", alguém dizia que em Washington estão representados três partidos políticos: Democratas, Republicanos e Aproveitadores.
Por cá, o que mais há é Aproveitadores!

CAROL desculpa ... o Vitorino é como dizes, por isso que se f ...!

O outro, ainda por cima, é feio ...

Blondewithaphd disse...

Ó Quinn, tu tem lá dó! Admirares-te que a Al-Jazeera tenha publicado uma fraquíssima reportagem daquelas?! Uma coisa que me dá um gozo bestial (até em termos profissionais) é ler a imprensa dos países árabes! E depois comparar com as nossas referências na Time, na Newsweek e por aí fora. So much for impartiality on both sides of the fence!!
Achei uma escandaleira que nem merece comentário essa reportagem. Acho até que a vou recomendar aos meus alunos como "case study", a sério! O perfeito exemplo de mau uso das fontes, parcialidade jornalística, reducionismo informativo e etc.

António de Almeida disse...

-Respeito e aprecio António Vitorino, um dos socialistas mais lúcidos do país, surpreende-me que nunca esteja disponível para nada, desde aquele episódio de Almodovar, quanto ao Zé, embirro com o tipo. Gostava mesmo de o ver envolvido numa qualquer trama, mas por cá não temos tradição de certo tipo de jornalismo, e provavelmente, ainda bem...

quintarantino disse...

BLONDEWITHAPhD, eu, sinceramente, admirei-me porque costumo ver uns debates que eles normalmente têm e, francamente, nalguns temos de reconhecer a imparcialidade e oportunidade que dâo a várias tendências.

Não sei, no caso presente, que lhes deu ou quem era o correspondente ...

ANTÓNIO DE ALMEIDA o grande senão do Vitorino é, precisamente, o nunca estar disponível para nada ... e, muito sinceramente, o País precisa de disponíveis e não de reservas morais.

O Zé é como o Louçã, muito moralismo ...

antonio disse...

Sempre tive uma certa simpatia por pinguins, por isso estranho o facto de não gostar do Vitorino.

Já o Sá Fernandes como o grande ídolo nacional... al porra que sito está cada vez pior!

Compadre Alentejano disse...

Ao Vitorino não lhe interessa o cargo de ministro, porquê? Porque é presidente da Assembleia Geral do Banco Totta Santander, donde lhe "pinga" cerca de 30 mil euros/mês. Para além de consultor, advogado e... de muitas outras empresas. Ainda vou fazer um estudo sobre esta personagem...
Quanto ao Zé do BE, acomodou-se ao Costa...
Um abraço
Compadre Alentejano

Tiago R. Cardoso disse...

Em relação ao Sr. Sá Fernandes, pouco a dizer, tirando que aquela do defensor dos pobres tem a sua piada.

Também vi a reportagem de que falas, estava a pensar, eles também tem o direito de nos pintar daquela forma.

Todos os dias nos telejornais pintamos os árabes como terroristas, metemos todos no mesmo saco, ainda não vi nenhuma reportagem ultimamente que mostre um local árabe que não sejas um monte de escombros.

O sr. Vitorino, o tópico estadista que opina sobre tudo e sobre todos, quando é chamado a fazer algo, toca assobiar para o lado, é o Marcelo Rebelo de Sousa em versão mais pequena e um mais à esquerda.

bluegift disse...

Ninguém te manda andar a ver a Al-Jazeera.
Fica a saber que os países arabes adoram denegrir os países ocidentais, e quando lhes cheira a país que está mais perto na escala da hierarquia internacional, tipo "vizinho", ainda pior! Garanto-te que se não forem os portugueses a defenderem o seu país ninguém o fará como oferta. As barbaridades que ouço sobre o nosso país, estilo relato sobre uma aldeola esquecida de trás-os-montes, são absolutamente delirantes. A ignorância e a necessidade em assumir um posicionamento superior, infelizmente, dominam uma boa parte da informação internacional sobre o nosso país.

quintarantino disse...

ANTÓNIO pinguins? E o Vitorino lá é pinguim? O menino tem cada ideia ...

COMPADRE ALENTEJANO, dessa dos 30 mil é que eu não sabia ...

quintarantino disse...

TIAGO R. CARDOSO, nós? Eu não e que eu saiba tu também não ... por isso que nos respeitem ...

BLUEGIFT e tu que queres? São vícios que me ficaram dos tempos de jornalista, de assessor e de adjunto ...

JOY disse...

Amigo Quint
Relativamente á reportagem da Al-jazeera faço das palavras do Tiago as minhas.
Também não sou simpatizante do Zé, não lhe vi ainda obra que justifique tanto destaque ,a não ser fazer com que o Tunel do Marquês derrapasse mais uns milhões devido á sua providência Cautelar, a história da Bragaparque ainda está por explicar. O Vitorino como bom politico que é ,afina pelo mesmo diapasão do Marcelo, correm por fora sem se comprometerem deixam a aura de que de tudo sabem mas responsabilidades e desponibilidade não é com eles.

Um abraço
Joy

Um Momento disse...

Bem... foi realmente uma "fotografia" completamente "desfocada"
Mas fazer o quê Quint?...
Hoje em dia anda tudo "desfocado"...

(*)

Pata Negra disse...

Muito provavelmente a desfocagem com que somos vistos por esse longínquo canal televisico é de grau semelhante aquele com que olhamos esse longe através de uma informção de contornos baratos e duvidosos: a vaidosa ignorância dos americanos não é suficiente para podermos concluir que conhecemos alguma coisa das arábias, sabemos o que a TV diz e pouco mais!...
Esse Vitorino tem uma coisa que outros seus pares não têm, sabe que é um produto da TV e por isso, honra lhe seja feita, não se sujeita ao enxovalho das suas (in)verdades palavrosas se tranformarem em actos de vergonha nacional. Está com o poder e isso basta-lhe!
Um abraço algures na arábia saudita