Bons tempos

Belos tempos, estes que vivemos... festa atrás de festa!

Andavam por aí a dizer que estamos em depressão (forma eufemista de dizer que eu próprio passo a vida a dizê-lo) e agora temos de reconhecer que estamos num bom ciclo, alegria e boa disposição.

Tivemos as comemorações dos três anos do governo do PS, perdão... do Governo de José Sócrates, que foi, diga-se, festa bonita com 10.000 pessoas, segundo os dados do nosso primeiro.

Dez mil pessoas naquele espaço é muito bom, a acreditar no Senhor Marcelo Rebelo de Sousa que, puxando dos galões, afirma que para meter tanta gente lá naquele espaço estariam uns em cima dos outros!

Um caso nítido de inveja, ou de falta de conhecimentos. O Sr. Marcelo é que não entende a capacidade de encaixe do PS, já que quem encaixa cem mil numa manifestação sem tirar dali nenhuma conclusão, também consegue encaixar perfeitamente dez mil naquele pavilhão. Dizem que o grande problema foi mais o cheiro ao mofo já que tinha gente que não tirava a bandeira do armário há anos.

Depois o aniversário do PCP, coisa bonita, todos ali juntos a cantar os parabéns ao partido, com o Sr. Jerónimo de Sousa todo sorrisos e de peito inchado. Aliás, tem motivos para se orgulhar pois não é qualquer um que consegue avançar, com a dimensão que tem como partido, que o PCP é um partido de Governo.

Tudo festas de pequena dimensão se comparadas com o maior aniversário do dia… exactamente o de Alberto João Jardim no Governo da Madeira. E que data, meus amigos… 30 anos!

Ontem o País falou dele, quer dizer mais do que costuma falar e o Sr. Jardim ainda falou mais do que costuma, coisa considerada impossível por muitos mas que ele conseguiu.

Para muitos, populista, demagogo, trauliteiro, ditador, manias de dono da razão; para outros um "estadista", um líder, alguém que dinamizou a Madeira e a transformou num jardim ou no Jardim, conforme a opinião.

A frase do dia veio do próprio: "Sinto-me o Astérix, cercado por romanos rectangulares, resisto e ainda arranjo forma de os chatear!"

Então não gosta antes do Obélix ?

Que pena, é que o Obélix tem outro estilo, mais do que resistir aos romanos rectangulares, Obélix gosta é de uma boa zaragata, dar umas chapadas nuns e só depois perguntar o que se passa, não interessa a intenção, se vier vestido de romano leva, está nos seus genes o ser brigão, gostar de porrada.

Sente-se triste quando não é atacado, precisa sempre de acção, alem disso carrega sempre uma madeira... perdão, menir como fosse seu dono e usa-o para vários fins.

Goste-se ou não de Alberto João Jardim, é uma figura incontornável do nosso País; é impossível ser-se indiferente ao homem, mesmo aqueles que dizem que lhes é indiferente, conhecem a personagem.

Gostei particularmente de ver o Sr. Berardo de garrafa e copo na mão, virar-se para a televisão e dizer "Ao meu amigo pessoal Alberto João, parabéns e que venham mais 30 anos de vida politica."

Deste lado do ecrã uns riram-se, outros bateram palmas e outros avançaram com um simples e representativo "Cruz credo!"

31 comentarios:

António de Almeida disse...

-Faltou o BE e o PP organizarem qualquer coisita, e teriamos o pleno do espectro parlamentar. Vou resumir o comentário á festa do dia, ou seja, os 30 anos de A.J.J., goste-se ou não do personagem, e do estilo, a verdade disse-a hoje nua e crua Manuel Alegre, o homem ganhou eleições, não fez nenhum golpe de estado. É uma figura incontornável e bizarra da política portuguesa, que até hoje coleccionou como ninguém ódios de estimação, já o devem ter investigado milhares de vezes, e ainda nunca o vi acusado de peculato ou corrupção. Mas é um populista e demagogo, que estará prestes a perder a validade, se não o provocarem, se ninguém cair na asneira de tentar liquidá-lo politicamente, este será o seu último mandato, mas provoquem-no, e irão aturá-lo ainda mais tempo, ninguém o derrotará nas urnas. Depois dele, sobram outras aves raras cá no continente, com o mesmo estilo, mas com menos dinheiro, logo menos poder, podem os defensores da espécie dormir tranquilos, que a mesma não se encontra em perigo de extinção, quer na sua cor original, o laranja, quer na variante rosa.

joshua disse...

Estou com o António nisto. Acho que o João Jardim é muito bom para a Madeira e nunca nos fez mal nenhum. Momo, palhaço, acutilante, Robin das Moscas, sambista, comentarista. Só lhe falta mesmo a Presidência da República e eu acho que haveria de ser bonito tê-lo como Presidente da República: Marinho Pinto de um lado, Alberto João do outro e haveriam de saltar todos um a um os Gestores Públicos que andam a ganhar sem pudor o que convinha a muitos para melhor sobreviver.

A Democracia participativa pode esperar lá como cá porque a democracia do voto essa já não legitima nada tendo em conta as razões gigantescas de abstenção.

PALAVROSSAVRVS REX

antonio disse...

Tens raz�o meu caro Tiago, uma bela festa! � a retoma...

Gostei da imagem que deste do poder de encaixe do PS, fez-te bem voltares a trabalhar (e deixares de chular os meus imposotos).

Quanto a ser partido de governo, est� mais seguro o Jer�nimo do que o Menezes (aqui do Josh)...

O Alberto? Mais trinta anos e depois, depois a reforma, t�

bluegift disse...

Se cabem 200.000 e 100.000 em manifestações contra o governo em lugares já por si bem recheados de gente, no dia das maifestações realizadas, porque é que não haviam de caber 10.000 na festa do Sócrates? Estamos ou não no reino da democracia da aldrabice?
Os delirantes 200.000 da manifestação anti-tratado de Lisboa são uma barbaridade, nem percebo como é que a comunicação social portuguesa pôde alinhar numa farsa tão flagrante. Perde crédito e depois queixa-se de discriminação, pois, claro... Por isso, e seguindo a mesma linha "aldrabatória" tuga porque não afirmar que estiveram lá uns 20.000? Quem diz 10 diz 20, qual é o problema?
Que me desculpem os madeirenses, mas o Alberto João é o reflexo do povo que o elegeu, senão nunca se teria aguentado todo este tempo. Lógico, não? Por isso, eles têm o que pediram. São um povo que ainda vive numa mentalidade de neo-feudalismo, todo feliz e contente; assim seja.

Fa menor disse...

Sempre em alta, Tiago! Sempre em alta...

Carol disse...

Olha, Tiago, números são números.
Estiveram 100000 professores na manifestação mas muitos, quando interrogados sobre os seus motivos, não souberam responder... Que estavam lá a fazer, pergunto-me?!

Sócrates, goste-se ou não, mantém a preferência do voto dos portugueses...

Alberto João, para mim, não passa de um palhaço, sinceramente! Se o quiseram na Madeira é lá com eles. Voto meu é que nunca teria. E o meu nunca não é um "jamais" como o do outro!

lusitano disse...

É tempo de festa, pois claro!

Quando não há mais nada dá-se-lhes "pão e circo"!

Aqui o pão vai rareando, mas de circo nada estamos muito bem!

Quanto ao Alberto João embora saiba que me vão cair em cima, salvo seja, tenha empatia pelo homem.
Diz aquilo que muitos querem dizer, ou dizem-no à "socapa", e ele não tem medo de dizer.
No meio de muita coisa que diz, diz também muitas verdades incómodas para aqueles que se julgam senhores da nação.
Conseguiu algo que muitos politicos gostavam de conseguir: que a maioria do povo da Madeira o trate por Alberto João, o que revela uma "intimidade" com as pessoas dificil de igualar.
É muito fácil dizer que se lá estivesse outro fazia melhor, mas a verdade é que ele transformou a Madeira e sempre conseguiu para a sua região aquilo que exigia.
O estilo? O estilo é aquele!
Fala muito, usa a demagogia, provoca, gosta de ser provocado e faz tudo isso com grande alarido.
Mas não temos por cá também quem o faça e com muito menos graça e muito mais arrogância?
Se o queria cá a governar? Penso que não, mas estes que por aqui têm passado também deixam muito a desejar!

bluegift disse...

Lusitano,
Também me rio bastante com as "saídas" do Jardim, confesso, não posso é concordar com o baixo nível das intervenções e a má imagem que dá como presidente de uma região autónoma portuguesa. E quanto a ganhos obtidos, ele não fica nem um pouco à frente dos Açores que sempre tiveram pessoas bem mais dignas e polidas na presidência, para uma área e dispersão muito maiores. Por isso, não vale a pena deitar areia para os olhos e dizer que só ele conseguiria tais resultados porque não é verdade. Se olharmos para as Canárias idem aspas. O único grunho nestes arquipélagos e ilhas europeias, entre portugueses, espanhóis, italianos e franceses, é só ele...
Tudo é muito bonito quando não existem outros referênciais, o pior é que eles estão bem aí à vista de todos e de quem os quiser ver e comparar.

lusitano disse...

bluegift

Repara bem que eu não digo que só ele conseguiria obter o que ele obteve, digo que é fácil dizer que se faz melhor quando não se está no poder.
Quanto à comparação com as outras ilhas, devo dizer que a realidade das Canárias não a conheço, mas quanto aos Açores, são mais as "vozes que as nozes".
Não pretendo deitar areia para os olhos de ninguém, nem sou sequer apoiante do Dr. Jardim e se por vezes se excede, não é menos verdade, pelo menos para mim, que não tem medo de "chamar os bois pelos nomes", e não se preocupa muito com o "politicamente correcto".
Prefiro apesar de tudo um "grunho" que mostra que o é, a um que tem uma capa de "educação" e acaba por ser ainda pior.

Manuel Rocha disse...

Caro Tiago,

Acho que o Obelix se sentiria justificadamente ofendido com a comparação e partiria para cima de si com toda a força de quem caiu dentro do caldeirão da poção mágica em pequeno...

Por Toutatis, Tiago !!!

:)))

bluegift disse...

lusitano,
Não estou a dizer que és tu quem atira areia para os olhos, são vários apoiantes e ele próprio quem o afirma. Desculpa não ter sido clara, não me referia a ti. Os Açores estão muito bem relativamente à Madeira, pelo menos regem bem o orçamento, desenvolvem as ilhas, e não estão sempre a reclamar contra o continente, e ninguém vive em clima de ditadura. Estão bem mais avançados a nível intelectual e democrático, mas isso já são outras estórias. Continuo a preferir um não grunho, não mafioso, para representar o país.

Tiago R. Cardoso disse...

António de Almeida,
reconheço que já lhe achei alguma graça, mas tem vindo a diminuir, está naquele caminho onde já não tem nada a perder, ganhou tudo e acha que pode dizer o que lhe apetece, espeero que fique por 2011.

Joshua,
um a presidente e o outro a quê?
Primeiro-Ministro ?
CRUZ CREDO !!!

Democracia participativa ?
Acredito nela, pena que muitos passem cheques em branco e depois reclamem, eu não passo e irei participar.

Tiago R. Cardoso disse...

Antonio,
primeiro, novidade um "criativo" como tu paga impostos, não sabia ?

Segundo, não é não senhor, é pela companhia de seguros.

Terceiro, vês também sei encaixar e responder claro.

Bluegift,
a questão não se resume a um aguentem que foram vocês que os elegeram,conheço aqui uma cidade onde está a mesma cor à 19 anos, não valem nada e ganham sempre por maioria, tudo porque eles estam em todo o lado e são o principal empregador do concelho.

Tiago R. Cardoso disse...

Fa menor,
sempre em alta não, agora em alta mas a 50%, tenho de voltar a seguradora está farta de me aturar.

Lusitano,
Como já escrevi, também sentia alguma empatia por ele, no entanto entrou por caminhos que não me agradam, está numa que já ganhou tudo, não tem nada a perder, por isso está no patamar de poder dizer tudo.

Tiago R. Cardoso disse...

Carol,
então, estavam lá a passear e seguir a moda, uma pena que tal intervenção cívica se desvirtuada por meia dúzia que andam só pela festa.

Tens razão todos reclama, protestam mas ele continua à frente nas sondagens.

Manuel Rocha,
reconheço que não tinha visto a coisa, eu que adoro os livros do Astérix, nem me lembrei que assim se calhar estava a insultar o pobre do Obélix, bem visto.

Miguel Ângelo disse...

Na verdade, quer se goste, ou não, da figura de Alberto João Jardim, ele ficará para a história política e autonómica da ilha da Madeira. Apesar de tudo, não sei se outros fariam melhor mesmo aqueles que só criticam por criticar...Mas a minha modesta opinião é o que é, e vale o que vale...
Um abraço, Quintino, e Boas Páscoas.
P.S. - Desta vez já não posso ser irónico, ao ponto de vos chamar fofos, pois alguém cairá em cima de mim.

quintarantino disse...

Ora vamos lá ver uma coisa ... 100.000 onde?
Quando?
Ai naquilo dos professores?

Mas, menino Tiago, reparaste que muitos dos que lá estavam foram precisamente os mesmos que estiveram contra outras medidas que se tomaram para o Ensino?
E viste que alguns estavam lá porque, quando perguntados, só sabiam que estavam contra a avaliação?

Depois, e tendo já aqui deixado bem vincado que, na minha modesta opinião, comemorar três anos de governação é de uma pobreza franciscana, mesmo assim entendo que o PS tem o mesmo direito de se manifestar que os anónimos que, convocados por SMS, o fizeram no Marquês!

Se eram 10.000, 20.000 ou 5.000 que importa?
Nem que fossem 1.000 ... aliás, todos falam mas digam ao povo que não há trasnporte, que não há cantorias e que é para estar à chuva e vão ver quantos juntam!

Quanto ao Alberto João, o homem é malcriado, arrogante, parvo e bem sabemos que tem obra feita muito à custa dos perdões de dívidas mas acaba sempre por ter um argumento incontornável: ganha eleições.

Não sei é se isso chega para limpar os pecadilhos.

Blondewithaphd disse...

Man, o people quer é party!!!

E quanto ao Alberto João, bem... até me divirto. O panorama político vai perder parte da sua boa-disposição quando ele se for embora.

lusitano disse...

Carol
Obrigado pela tua resposta.
Os Açores só se for algo que eu não conheço:
têm sim uma "elite" talvez mais marcante que a Madeira, mas quanto a desenvolvimento é preciso conhecer aqueles meios para ver que não é bem assim.
Quanto à democracia e à ditadura na Madeira tem paciência mas isso é conversa lançada por aqueles que não conseguem ganhar as eleições.
Têm feito de tudo, até leis já tentaram para ver se conseguem apear o homem, mas o "raio do povo" continua a votar nele.
Não tenho procuração do Alberto João mas continuo a dizer que prefiro um politico que eu sei quem é, que mostra quem é, do que outro que mostra uma face mas por trás é outra coisa.
Uma coisa é certa o homem incomoda muita gente e tanto chateia os outros como os do próprio partido.
Fica por aqui a minha apreciação do Dr. Jardim, que garanto não me tira o sono e por vezes tem a coragem de dizer coisas que mais ninguém diz mas pensa.

Tiago R. Cardoso disse...

Miguel Ângelo,
uma opinião de que sabe e sempre bem vinda.
O Miguel pode estar à vontade, quanto ao tratamento, pelo menos para mim está tudo bem.

Quintarantino,
pelo menos esses ainda conseguiram arranjar um motivo para irem lá, outros acredito que gostaram foi do passeio e da festa.

Há que reconhecer que esses não foram os únicos a receber sms, deve ter estado muita gente lá dentro do pavilhão que perguntou no fim, então onde é o lanche ?

Ganha e de forma esmagadora.

Não é o único, tem certos regimes em que se ganha, com uns noventa e tal por cento.

Tiago R. Cardoso disse...

londewithaphd,
pois existem alturas que temos de rir para não chorar, perante tamanhas figuras nacionais.

Lusitano,
mas não fique, amigo lusitano, força, que é para isto que cá estamos, trocar ideias e conversar.

Compadre Alentejano disse...

O Kim Jardim conseguiu fazer da Madeira, uma "mamadeira" para alguns, especialmente para o vendedor de sifões Jaime Ramos e Cª.
O Kim Sócrates vai no seu encalce, faltam "só" 27 anos para o apanhar...
As avós destes espantalhos nunca deviam ter nascido...
Um abraço
Compadre Alentejano

Sniqper ® disse...

Realmente falar de Alberto João Jardim é de facto importante, por várias razões, tantas quanto as suas atitudes de má educação e prepotência, mas enfim.
Quanto a essa ilha fantástica que come dinheiro ao continente, a solução é bem fácil, aliás como tudo quando se quer resolver, vende-se em praça pública e quem ficar com ela que leve com a fauna, a flora e claro o Alberto.
Porque isto de andar a sacar dos bolsos dos continentais e não ver retorno é negócio de burros, mas quem sabe se ser burro hoje em dia não é a solução!

quintarantino disse...

Mais tu est folle, mademoiselle BLUEGIFT?
Vender o quê e a quem?
E lá achas que alguém pega na Madeira em sistema de dois em um?
Se fosse só a ilha, vá que não vá ... eles ainda pegavam ... agora assim! Nã...

bluegift disse...

Eh pá, pois é! Grande ideia sniqper! E se vendessemos a Madeira aos espanhóis? Depois é que havia de ser uma risota pegada ver o Juan Carlos na televisão a responder às grunhices do Jardim : ¿Por qué no te callas, coño?

bluegift disse...

Quint,
Desculpa lá, tive que apagar e voltar a publicar.
Mas pois, realmente, voltando à venda da Madeira+Jardim, e se fizermos um desconto ? ;)

quintarantino disse...

BLUEGIFT, nã ... os "hombres" não vão nessa.
Acho eu ...

Tiago R. Cardoso disse...

Compadre Alentejano,
mais 27 anos ???

Foge, muito obrigado mas não, esperemos que seja travado rapidamente, embora o amigo tenha de reconhecer que não se vê ninguém como alternativa.

Sniqper,
reconheço que se fala em demasia do Sr. Jardim, temos de reconhecer que é um excelente caso de estudo, representa tudo aquilo que não deve ser um politico, representa também o populismo e a demagogia, serve pelo menos para se tirar lições.
Quem é que estaria interessado na Madeira, sabendo que tinha de levar o jardim como oferta ?

O Guardião disse...

Ao ler sobre o Obelix pensei logo no Jorge Coelho e na sua frase, "quem se mete com o PS,leva". Não tem a mesma graça que o gaulês, mas por vezes também julga que caiu no caldeirão da poção mágica.
Cumps

Pata Negra disse...

Mal por mal, suporto melhor o Jardim na Madeira do que o Cuvilhã no Continente!
Um abraço Modelo

lusitano disse...

Lá em cima num comentário, só agora reparei, "respondo" à Bluegift, mas acabei por colocar Carol.

Peço desculpa, a "idade não perdoa"...eheheh