Hombre, Porqué No Hablas?

O novo bastonário da Ordem dos Advogados, Drº António Marinho Pinto, numa recente entrevista à Antena 1, denunciou alegados casos de corrupção e/ou má gestão.

A grande novidade é que disse que o “fenómeno de corrupção (...) da mais nociva criminalidade para o Estado, para a sociedade...” é cometida por “intocáveis no poder” que “andam aí impunemente...”.

Para além disso, acrescentou que “alguns deles andam por aí a exibir os benefícios e os lucros dessa criminalidade. Alguns, inclusive, ocupam cargos relevantes no Estado português”. Na sua opinião, estas são situações de tal forma gravosas que justificam “um grito de alerta”. Ainda assim, não adiantou nomes ou situações concretas...

As reacções não se fizeram esperar.
José Sócrates esclareceu prontamente que as afirmações não se referiam a nenhum membro do actual Governo.
Pinto Monteiro, Procurador- Geral da República, anunciou de imediato a instauração de um inquérito. Segundo ele, as denúncias serão investigadas, nomeadamente por Cândida Almeida, a procuradora que dirige o Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP).

Marinho Pinto reagiu com indiferença a esta medida do PGR e acrescentou mesmo que Pinto Monteiro devia estar mais preocupado em apresentar "os resultados da operação Furacão”. Acrescentou, ainda, que este assunto deveria ser investigado por uma comissão parlamentar de inquérito.

Como seria de esperar, as declarações do novo bastonário causaram polémica e foram muitos os que se insurgiram contra as mesmas, inclusive no seio de magistrados e advogados.

Entre a classe política o mal-estar também se fez notar.
Vera Jardim criticou o facto dessas declarações “criarem um clima de suspeição generalizada”, referindo que duvida da obtenção de resultados dessas investigações.
Por outro lado, a conselheira de Cavaco Silva, Manuela Ferreira Leite, acrescentou que Marinho Pinto “devia apresentar nomes” e nunca cair no erro de “lançar suspeições para o ar, recaindo sobre a classe política em geral, sabendo que esta já é malvista na sociedade”.

Eu, pela minha parte, não percebo o senhor Bastonário: por um lado, diz que a corrupção grassa em Portugal mas, por outro, considera que as suas denúncias devem ser investigadas por uma comissão parlamentar. Eu é que sou burra? Mas essas comissões parlamentares não são constituídas por políticos, esses supostos criminosos do pior ?!

Outra coisa que me baralha é o facto de haver quem pense e diga que esse senhor praticou, assim, um verdadeiro acto de cidadania ao denunciar os grandes e poderosos meliantes deste país. Mas, desculpem lá, denunciar não é fornecer dados concretos, como os nomes dos visados, os locais do crime, as armas utilizadas? Sei lá, algum elemento a que o CSI português se possa “agarrar” para investigar ?

Olhem, sinceramente já só me apetece telefonar ao Drº Marinho Pinto e dizer-lhe:

“Hombre, porqué no hablas?”.

37 comentarios:

quintarantino disse...

... yo? hablar? pero de quê?

António de Almeida disse...

-As declarações do sr. Bastonário têm de ser vistas em dois momentos distintos. Na tal entrevista á rádio, foi de facto muito vago, critiquei-o por isso, assim ao género do "vocês sabem do que estou a falar". Mas no sábado, já apontou 3 ou 4 casos concretos, dois deles sem margem para dúvidas, a questão dos sobreiros, claramente visando o CDS-PP, e o edifício de Coimbra que pertenceu, julgo aos CTT. Existe agora matéria para apuramento de responsabilidades, caso elas não surjam, para apontar o dedo ao Bastonário por lançar acusações infundadas. Agora passar em branco, é que nunca, ou como diria alguém, jamé!!!

Manuel Rocha disse...

Carol,

Não posso estar mais de acordo.

Esse Senhor tem responsabilidades que sabe ( devia saber ) que não se podem esgotar em grandes rasgos de procura de notoriedade fácil. Sabe ou tem fundadas suspeitas, denuncie junto de quem de direito, que não é a AR, como é óbvio.

É por outras como esta que a credibilidade acaba por morrer sempre solteira.

Entretanto, solta-se a égua da demagogia e toda a gente vai aproveitar a boleia para zurzir em quem lhe apetecer...:)))

Manuel Rocha disse...

Só depois de publicar li o comentário do AA.

Volto para acrescentar que sou dos que preferem 1000 criminos á solta a um inocente preso, a julgamentos na praça pública, ou a prisões preventivas para depois investigar.

Qualquer destas situações é a preversão do Estado de Direito. Os fins não justificam os meios.Há instancias próprias para essas denuncias e não são os jornais !

Carol disse...

Manuel, é exactamente isso que me indiga, esta mania de virem para os meios de comunicação armados em anjinhos, a disparar em todas as direcções!

É certo que, entretanto, já adiantou uns pormenores (muito poucos), mas a suspeição mantém-se. Não acredito que todos os políticos do PP soubessem do que se estava a passar no caso que o António já referiu...

Estou farta de Octávios Machados neste país! Claro que todos que "las hay", mas digam onde, apontem o dedo a quem de direito e, de preferência, nos locais próprios!

Carol disse...

Queria escrever "indigna", mas saiu "indiga"... Sorry, mas deve ser da hora!

Manuel Rocha disse...

Carol,

"Indiga" tem muito mais graça...:)))

Mas volto para uma questão: esse O Machado quem é ?!

( aqui vê-se nenhuma TV...:))

Carol disse...

Mas para uma professora de L. Portuguesa não fica muito bem...

Paulo Vilmar disse...

Carol!
Penso que denúncias, sempre são bem vindas, quando acompanhadas de nomes, provas e feitas no lugar certo. Feitas genéricamente num programa de televisão servem, somente para duas coisas: ou promover o "denunciante" como honrado e corajoso ou para mandar um recado(chantagear)à alguém! Denúncias feitas genéricamente servem para banalizar, criar um circo e depois nada acontecer...
Se um senhor está a denunciar, que cite fatos, nomes e crimes... caso contrário não passa de um ridículo!
Abraços.

antonio disse...

"ocupam cargos relevantes no Estado português"

O homem devia de ter um blog!

Olha por acaso a nova ministra da saúde tem um processo do estado contra ela... por desbaratar dinheiros públicos!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Carol
Infelizmente não seria preciso Marinho Pinto lançar suspeições sobre os políticos para que os portugueses tenham má opinião deles.
Há muitos casos que são falados e nunca foram clarificados de forma convincente. Faria uma longa, e não controversa, lista, infelizmente.
Porém concordo que tem que haver mais acção no combate à corrupção e menos discurso.
Os fumos da corrupção são, muitas vezes, varridos por ventos doutros interesses e nunca se chega à fogueira.
Até há bem pouco tempo só tinham sido condenados 8 indivíduos por corrupção. Mais recentemente este número subiu para 22.
Pode haver quem acredite que Portugal só tem 22 corruptos. Porém, para aqueles que, como eu, não acreditam, credibilidade precisa-se e menos concluios a cerrar fileiras sempre que se pretende investigar.
Beijinhos, Carol.

sniqper ® disse...

Mais um episódio da Novela Sem Fim, O Governo do Desgoverno.
Mais umas palavras atiradas ao vento, de nomes esses ficam nas gavetas, mas mesmo que alguns fossem referidos acabavam no esquecimento, enfim nada de novo a Oeste, é a normalidade.
Portugal no seu melhor, uns saem, outros entram já com cenas para esclarecer, será isto normal!?

lusitano disse...

Basta ouvir os discursos de ontem na inauguração do novo ano judicial.
É como diz o outro:

"Falam, falam...mas não os vejo fazer nada..."

Ainda me hão-de explicar porquê "inauguração"????

Notas Soltas, Ideias Tontas disse...

Parece que a plataforma BLOGGER, está no "bom caminho"...

No texto de ontem desapareceram vários comentários, EVIDENTEMENTE não foi da nossa responsabilidade, mas problemas técnicos do Blogger.

Mesmo não sendo responsável o NOTAS SOLTAS, pede desculpa a todos os nossos leitores e comentadores, a quem foram apagados os comentários.

Compadre Alentejano disse...

Mas o que é que o Dr. Marinho Pinto disse de novo.Em linguagem judicial diz-se: aos costume disse nada.
Então vejamos: todos aqueles casos que ele salientou, há muito que são do conhecimento dos portugueses, inclusive das chamadas autoridades.
Ainda há pouco tempo, o ex-secretário de Estado dos Assuntos Fiscais. Amaral Tomás, disse práticamente a mesma coisa e ninguém, NINGUÉM, lhe pediu para identificar os casos. É como o Bastonário diz, as autoridades, deputados e quejandos comportam-se como virgens num lupanar...
Um abraço
Papa Açordas

Carol disse...

Mais uma chaga para a fogueira (salvo seja): lembram-se de uma entrevista de Cravinho em que este dizia ser muito difícil lutar contra a corrupção em Portugal? Ele tinha chegado há conclusão que os próprios processos burocráticos dificultavam muuuuito as investigações...

Blondewithaphd disse...

Eles "andarem" por aí...

Carol disse...

Ai, "andem, andem", Blondie, my dearest!

Zé Povinho disse...

Compreendo a confusão, mas tudo ficaria um pouco mais claro se o projecto do Cravinho tivesse seguido em frente e se houvessem os meios necessários para investigar o enriquecimento não justificado, que é precisamente por onde se podem arranjar as provas para se indicarem os nomes.
Parece uma explicação ínvia, mas é a explicação racional e lógica para este assunto. De que é que têm medo os políticos? A clareza é a melhor defesa que têm para afastar as suspeições, e essas são muitas.
Abraço do Zé

Carol disse...

Compadre, parece-me que o polvo tem muitos e grandes tentáculos. Se calhar, foi por isso que Cravinho não teve os meios necessários... Mas isto sou só eu a falar...

Mariano Feio disse...

Ao que foi dito só acrescento que se cada um de nós não olhasse para o lado de cada vez que a corrupção lhe passa à frente, nem tinhamos assunto. Já a tinhamos agarrado!Mas nós homens somos seres imperfeitos, como já dizia o outro senhor, Eheheh...

Carol disse...

O problema, Mariano, é que, mesmo quando fazemos algo, muitas vezes somos nós que saímos a perder e não os envolvidos na corrupção. E, como diz o povo, "Quem tem cú, tem medo"...

Sei que existes disse...

Também não entendi porque é que ele não disse logo nomes e situações concretas!...
Beijocas grandes

Mariano Feio disse...

Ehehe...pois tem razão, minha amiga, mas olhe então que há quem o tenha muito grande, talvez porque muito gordo à conta das comissõezinhas nas trafulhas!
Fica mal dizer isto mas as grandes vigarices têm sempre pequenos lacaios a deixá-las passar por entre as pernas. Há por aí um blogue duns rapazes bancários que soltam assim umas pontas duns véus, mas então porque não as entregam aos sindicatos para lhes dar o devido andamento ? Será só pelo gosto da má lingua, como parece ser o caso deste senhor advogado ? Ehehe...

Tiago R. Cardoso disse...

Pelos vistos foram ditas algumas evidencias, apresentou-se alguns casos que muitos conhecem, em relação a nomes, nenhum.

Por muito que se grite alto que existe corrupção, é preciso que quem sabe de alguma coisa avance e aponte as caras, disparar tiros para o ar é que não é recomendável, mostra pouca credibilidade quem anda sempre aos tiros sem dizer quem é o alvo...

quintarantino disse...

O Bastonário da Ordem dos Advogados teve, certamente, a mais meritória das intenções mas limitar as afirmações a um conjunto de casos que já são do conhecimento público não parece ser muito curial.
Nem grande ajuda.

Aguardemos que aquando das declarações na Procuradoria-Geral da República avance com dados mais concretos.

DS disse...

A corrupção é um problema insolúvel. É preciso mãos de ferro para separar o trigo do joio.
Não é fácil!
Bjos!

bluegift disse...

Carol, assim ele não vai lá. À espanhola tem que ser a sério, só lá vai com um
¿por qué no hablas, coño?

bluegift disse...

Os comentários andam a sair em duplicado, deve ser para compensar a míngua de ontem... o blogger anda mesmo avariado.

Compadre Alentejano disse...

Resultado: não há VONTADE POLÍTICA para atacar a corrupção...
Lembrem-se que a corrupção dá de comer a metade da classe política...
Compadre Alentejanp dixit

Tchivinguiro: onde nasci. disse...

Bueno, a lo mejor, para que la corrupción no se haga más corrupta. Hay, me parece, un proceso de averiguación en marcha. A ver lo que asienta y si se ubica cobro a este espécimen de escenarios o situaciones, que se sabe, por lo que nos llega a través de comunicación social, ser reales.

Un abrazo.

Francisco Castelo Branco disse...

Em Portugal, há a mania de lançar a suspeita e depois não fazer mais nada.
O novo bastonário parece contrariar este estigma....
Espero eu
Mas agora que falou, tem que concretizar aquilo que disse.
Já chega de folclore judicial.
Se sabe de alguma coisa, que se dirija aos orgãos competentes para o efeito.....
Espero que desta vez não passe só pelas palavras, se não do mais o mesmo....
Falam, falam, falam

Joshua disse...

Não concordo contigo, Carol: sempre que alguém vem a público ou «se alguém vier a público denunciar que há, por esse país fora, casos graves de corrupção que se mantêm impunes, virá logo um conjunto de pessoas, muito nervosas, a esgrimir com a seguinte argumentação:
«Se denuncia, é porque sabe; se sabe, tem de concretizar e provar; se não concretizar nem provar, está a ofender todos; se ofende todos, afinal o malandro é ele!».

Por essa lógica, se alguém disser que «há carteiristas no Metro», tem de estar preparado para ouvir uns tantos utentes a proclamar que, «se não concretizar nem provar o que diz, estará a chamar gatunos a todos os passageiros».

Claro que isso não teria pés nem cabeça, mas poderia servir para alguma coisa: pelo menos eu, se fosse polícia, começava logo por dar atenção - precisamente! - a "esses tais utentes" mais nervosos...» Não te parece?

PALAVROSSAVRVS REX

Carol disse...

Joshua, eu sou adepta do"Quem não se sente, não é filho de boa gente", mas não é isso que está em causa.

O que aqui quis salientar é o facto de se fazerem denúncias e nunca se concretizar nada.

Já toda a gente sabe que há corrupção. Na política, no desporto, na sociedade em geral ela existe. Isso não é notícia para mim e julgo que para ninguém.

Na minha opinião, se o srº em questão tem provas que as apresente a quem de direito e, então sim, que venha dizer que sabe mais do que simples rumores e que entregou as provas às autoridades competentes. Se vir que nada se faz, que entregue as provas aos meios de comunicação!

Pata Negra disse...

É claro que um bastonário não serve para dizer aquilo que toda a gente diz e toda a gente sabe mas não deixa de ser estranho que lhe caiam em cima exigindo casos e provas concretas. Vão gozar com outro:
- Somos corruptos e espertos, roubamos mas ninguém consegue provar!
Viva o bastonário! Abaixo o PS/D!

Carol disse...

O Bastonário não tem que dizer mais porque inguém consegue provar?!
Então, afinal a Carolina Salgado é que devia ser Bastonária... Pelo menos, já conseguiu levar alguém a fazer alguma coisa... (Oh, Jorge Nuno, pá, desculpa lá! Nem sei como é que isto me passou pela cabeça...).

adrianeites disse...

ele n tem papas na lingua...

boa semana!