Foi você que pediu um Alegre divórcio no “socratistão”?

Maria Jesús Álava Reyes, psicóloga, dava ontem uma pequena entrevista no “Diário de Notícias” onde a dada altura era abordada a questão do divórcio.
Uma das suas afirmações apontava para o facto de existirem cada vez mais divórcios de pessoas na faixa etária entre os 50 e os 60 anos.
As pessoas, segundo ela, “deixam de trabalhar, têm que estar juntos 24 horas por dia e não se suportam”.

E eu, que lia isto enquanto estava à mesa ao almoço às voltas com uma malga de sopa de nabiças, lembrei-me que, às tantas, às tantas, o nosso Primeiro afinal é um homem informado, mundano e perspicaz.

Tão perspicaz que é nesta pequena afirmação que se encontra a explicação para as alterações na idade da reforma, nas penalizações para quem se reforma antes do tempo e por aí fora.
E nós, que só vemos o cifrão à frente, não vimos logo que, para além da sustentação da Segurança Social, Sócrates, afinal, também estava a apoiar a família.

Lá está.
É assim uma espécie de dois em um, a que ainda se pode juntar o argumento das políticas sociais para calar o Manuel Alegre, agora muito falado como putativo fundador de um novo partido político à Esquerda.

Esse novo partido, a surgir, juntaria a ala esquerda do Partido Socialista e a ala direita do Partido Comunista Português.
Sim, vejam bem.

Manuel Alegre reclama-se como um depositário dos valores da Esquerda e um representante dos valores de esquerda dentro do PS. Certo?
Ora, no PCP os renovadores são vistos como perigosos dissidentes. Manda a verdade que nunca ouvi publicamente falar-se deles como “social fascistas” mas se estão contra a ortodoxia só podem ser a ala direita. Ou não? E esta? Comunistas de direita?

O problema é que Manuel Alegre, embora já tenha há muito ultrapassado a faixa dos 50, ainda não está na fase da loucura extrema em que um dos membros do casal decide mandar tudo às malvas e sair por ali fora.
Dito por outras palavras, parece ainda não estar maduro para se divorciar do PS.
Eu não quero sequer enveredar pela hipótese que o que o impede é o receio de não conseguir regressar à Assembleia da República, antes que ele, Alegre, adivinha que 1.000.000 de votos é um milhão de votos e isso não se repete assim do pé para a mão.

Mais a mais, quando José Sócrates, dando claramente sinais que acha que tem os danos laterais à direita (leia-se PSD) controlados e que precisa de não descurar a ala esquerda, chama para uma pasta crucial uma pessoa próxima de Alegre.

Ana Jorge, de seu nome.
Notem, por favor, que ontem o Bastonário da Ordem dos Médicos, a propósito da colega que “ministeriou”, referia que os portugueses se podiam sentir orgulhosos e que teriam razões de satisfação.
Dêem-lhe um mês.
E mais não digo.

Mas, como hoje me deu para disparatar, e voltando ao início do tema (divórcio, lembram-se?) a dita psicóloga também asseverava que “sexo é importante” (e digo eu, olha a novidade!!!) e que apesar das diferenças, as pessoas podem viver juntas porque se complementam.

Eu aqui fico confuso e não vejo onde Sócrates e Alegre se complementam.
Será porque ainda coincidem no essencial, têm os mesmos valores?
Será que a base comum é gostarem muito da política politiqueira e das suas mordomias?

37 comentarios:

Manuel Rocha disse...

Gostei das analogias !
Hilariantes !

Cebecinha pensadoooooooraaaaaaa!!!

:))

António de Almeida disse...

-O caríssimo pega em 3 ou 4 assuntos, sem ligação entre si, mas lá consegue sempre uma conexão que funcione. Vamos por partes, Manuel Alegre nunca sairá do PS, ainda que existam figuras ou figurões, que por si só nada valem, e queiram empurrar o deputado para tal loucura. Alegre que também já não terá ilusões quanto a uma possivel liderança socialista, parece-me interessado em formar um núcleo, ou um grupo de reflexão, permitido pelos estatutos, ao qual deixará o seu legado na hora de abandonar a política activa, o que talvez venha a suceder em 2009. Em relação a divórcios, ouvi hoje um estudo feito no reino unido, segundo o qual mais de 50% dos casais se divorciavam amanhã, se tivessem condições económicas para tal. Só que neste caso, por condições económicas significa manter um nivel de vida de classe média, ou seja divorciar sem os custos de partilhar, espertos estes britânicos, não? Ala direita do partido comunista? Não conheço, Luisa Mesquita saiu do PCP, tanto poderá ir parar ao BE, como ao PS ou PSD, quer exemplos análogos?

antonio disse...

Uma excelente crónica amigo Quint.

Eu também sempre desconfiei que havia alguma preocupação social nas actuais políticas do governo. Ainda não tinha era descoberto qual...

O final está de arromba... é a complementaridade dos inusitados!

lusitano disse...

Bem, o que é que o bastonário havia de dizer...é uma colega!!!

Se calhar a complementaridade é mais por "clubismo"...

Compadre Alentejano disse...

Um excelente post, parabéns.
Alegre e Sócrates não se divorciam porque precisam um do outro. Alegre, porque quer voltar à Assembleia e Sócrates porque quer continuar a dizer que no PS existe a pluralidade. Para agarrar melhor o Alegre, colocou a sua apoiante Ana Jorge na Saúde, e este hen?!
Já o meu avô dizia: lobo não come lobo!....
Um abraço
Compadre Alentejano

MIMO-TE disse...

Já te li, já sorri, já reflecti e sabes o que te digo!!! Falas e levas-nos à essência, à tua essência.:))

Excelente, volto a sorrir e a reflectir. :)

Vai ao meu blog e leva o Tiago, porque tenho um mimo cheio de essência para vos dar.

Bjo
Mimo-te

indomável disse...

Ó Quint,

Dá um verdadeiro gozo ler uma crónica desta magnitude logo pela manhã...
Dá para acreditar que existe a vida para além do quadro surrealista em que vivemos neste pais. Cesariny pasmaria se fosse vivo!

Confesso ter um amor de estimação por Alegre... Talvez porque o poeta não coloca força apenas nas palavras, também parece colocá-la nas suas convicções.
Mas também não acredito do seu divórcio com o PS...
Sócrates sempre me pareceu um socialista encapuçado... bem me parecia que ele não podia ser só uma cópia reles do Salazar, tinha de existir qualquer coisa de Che ali... embora se veja mais de Fidel...

Blondewithaphd disse...

Quinn, como sempre... You're one of a kind! Jesus, Mary, Joseph, the ideas people have!!! And then there's you to, like a good pundit, to interpret this very awkward reality! Thanks!

Carol disse...

Assim, de repente, até me deixaste apardalada!

Olha, Manuel Alegre, enquanto político, não me diz nada (é agora que me vão começar a bater...). Gosto, enquanto poeta. Se pudesse, dizia-lhe que se dedicasse mais à escrita.

Sócrates é aquela coisa...

Quanto ao divórcio, só reflecte a diminuição do peso da Igreja, a meu ver. Até certa altura, as pessoas mais velhas achavam que, independentemente de tudo, o casamento era para a vida. Hoje perceberam que assim não é...

Tenho pena que já não haja casamentos duradouros (existem, mas em vias de extinção). As pessoas estão mais intolerantes e egoístas. Ninguém quer ceder e uma relação a dois é feita de cedências... Conheço casais que, ao fim de dois/ três meses divorciaram-se... Pergunto-me porque se casaram...

SILÊNCIO CULPADO disse...

Com divórcios ou sem eles, penso que o mais importante é viver em plenitude com dignidade, afectos e segurança.
Os sujeitos individuais que passam por divórcios, como é o meu caso, podem disfrutar dos atributos que atrás refiro.
Já ao nível da política são outros os interesses que ditam os casamentos e as uniões de facto bem como a sua dissolução.
Actualmente o meu desencanto é pleno perante a política e as figuras que a encarnam. Sinto-me de todo desmotivada para discutir, faits divers relacionados com o quotidiano politiqueiro. Olho à minha volta e não vejo o país que queria. E pior ainda vejo muita coisa que não queria e que se reflecte inclusivé no relacionamento entre as pessoas.
Estamos num fim de ciclo fracturante e vamos ver o que acontece.
Relativamente a Manuel Alegre ele será sempre uma referência para as pessoas da minha geração pela sua capacidade de luta antifacista, pelo grande poeta que ele é, e pelo resto de credibilidade política e humana que ainda encarna.

quintarantino disse...

Manuel Rocha, tal como o amigo defende, um homem tem de dar uso ao cérbero sob pena de ele enferrujar.

António Almeida, a gente às vezes anda ali às voltas à procura de tema e de repente acaba por ser como um electricista das ideias, liga aquilo tudo ao quadro e sai uma coisa assim.
Os ingleses sempre se deram ares, como ssabe.

António se até qualquer calhau tem o seu lado bom, não haveria um qualquer Governo de fazer uma ou outra coisa acertada? Nós é que somos uns distraídos.

quintarantino disse...

Lusitano .... clubismo? ah, "varismo" ... quer dizer, benfiquismo.
Seja bem aparecido por aqui. Continue.

Compadre Alentejano, eles sabem-na é toda. Um e o outro. E nós é que nos quedamos com os amargos de boca.

Mimo-te sempre por aí a ler-nos e sempre gentil. És uma visitante muito apreciada, apesar de escassa de palavras.

quintarantino disse...

Indomável também eu respeito Alegre pelo que foi e ainda representa, mas há momentos em que me parece ser demasiado agarrado às sinecuras e excessivamente emproado.
Mas a amiga é sempre acutilante nas palavras. Gosto disso.

BlondewithaPhd please don´t make me blush. Not here!

Carol ... lá está, "sis", entre um Alegre e um Sócrates escolhe-se o quê?
Ainda há por aí uns casamentos desses, mas...

Lídia Dignidade, afectos e segurança? Obviamente que sim. E sempre. A todos. A qualquer ser humano.

No mais, não posso crer que uma pessoa com a tua fibra não encontre aí uma motivação suplementar para a própria política. Que, como sabes, é uma arte nobre desde que feita por pessoas honradas.

Maria P. disse...

Mas o assunto não era sopa de nabiças?!!....


Abraço!***

quintarantino disse...

Maria P, ora cá está uma intervenção oportuna e a fazer aquilo que se chama de "Ponto de Ordem à Mesa"!

Cati disse...

Ora aqui está um ponto de vista que me fez rir! Isso é que eu gostava de ver, Manuel Alegre divorciado do PS... acho que não viveremos para ver isso...

As analogias com o tema sexo... hilariantes!

Quanto à nova ministra da saúde... é mais do mesmo, ou não?!? Diz que a senhora deu uma entrevista à visão que vai contra as políticas que agora terá de por em prática... confuso?!? Pois... política em Portugal!

Beijoca!

PS - Quanto ao convite para escrever aqui... fiquei muito feliz e honrada, só não sei se consigo escrever algo que seja digno deste espaço!

quintarantino disse...

Cati ... ó menina, isso é que é pessimismo, mal corre se o Alegre ou o PS não se finam antes de um de nós. Para lá com isso...
Quanto ao convite, estás a ver ali aquele endereço de correio electrónico? Estás? Então, pronto... quando tiveres, manda!

Carol disse...

Pois entre um e outro, não quero nenhum. Já votei Sócrates, mas não vou cometer o mesmo erro duas vezes. Alegre, esse, nunca contará com o meu voto.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Quint
Não consigo acreditar na política.Penso que o mal não será só português mas em Portugal tem sido particularmente doloroso.
Prefiro uma cidadania activa não condicionada por forças partidárias ainda que, nos modelos sociais em que acredite, estejam implícitas opções políticas. Mas não esta política formatada e ferida de morte em termos de credibilidade.

Tiago R. Cardoso disse...

Sinceramente não acredito no sr. Manuel Alegre, politicamente está na terra de ninguém, está ali entalado entre a sua definição de socialismo e aquilo que hoje o PS representa.

Não acredito que um raio cia duas vezes no mesmo sitio, por isso não acredito que ele consiga outra vez tantos votos.

Movimentos de cidadania ainda colam, porque não definem rumos nem ideologias, juntam pessoas de diferentes sectores em torno de um objectivo comum, quando colocadas entre as barreiras de um partido rapidamente desaparecem.

Acredito que em breve vamos ter direito ao divorcio destes senhores, coisa que já devia ter acontecido à muito, não se pode manter um casamento de fachada...

quintarantino disse...

Tiago, andas a fazer o tirocínio para analista político. Andas, andas.

Dalaila disse...

eu de nabiças acho que percebo mais do que de Alegres e Socrates, acho que até lá chegarem são pessoas interessantes, depois, batem todos no mesmo, o que eu digo é que flata-lhe tudo, objectivos, criticas, e principalmente a nossa política de esquerda tem coragem de fazer coisas que até à direita espanta

quintarantino disse...

Dalaila, minha cara e prezada amiga, conhecendo os teus gostos cinéfilos, não duvido que os gastronómicos sejam a acompanhar. E diz lá, uma sopita de nabiços até marcha, não?
No resto, tens razão... a malta, seja ela qual for, depois de se apanhar no poleiro, muda!

Metamorfose disse...

Eles divorciam-se o voltam-se a juntar conforme lhes dá jeito, como alguém um dia disse, casa, descasa... na política tudo serve para os manter mais um pouco na cadeira do poder ou na tentativa de lá se sentarem, por isso eu prefiro uma sopita de nabiças. Beijos amigo.

quintarantino disse...

Metamorfose, olá, então a amiga como tem passado? Eu, que sou mais materialista, alinho na sopa mas se puder ser sentado na cadeira do poder, melhor ainda!

Zé Povinho disse...

O divórcio evidente é entre o Sócrates e o povinho, tudo o resto são nuances. O sexo é muito impostante, mas isso ele não deve perceber, veja-se que quer ainda aumentar os horários de trabalho. Como é que há tempo para tudo neste Tuguistão?
A sério, o Alegre lá conseguiu meter uma apoiante no governo, mas disposta a obedecer ao outro.
Abraço do Zé

sol poente disse...

O Sol Poente agradece ao Notas Soltas os links para a entrevista com o proprietário do SIDADANIA com quem acaba de estabelecer parceria no seguimento daquilo que é a vocação do espaço.
Para servir todos, e contando com todos para essa missão, deseja felicidades ao Notas Soltas e Ideias Tontas com votos que a informação produzida ajude a combater as injustiças e a desumanidade que dão corpo aos posts que constituem o SOL POENTE.

adrianeites disse...

tb n vejo onde é que eles se complementam!

essa das pessoas deixarem de trabalhar entre os 50 e 60 é mesmo tanga da psicologa... então e a idade da reforma...lol

Notas Soltas, Ideias Tontas disse...

Sol Poente o NOTAS SOLTAS está sempre disponível para ajudar e participar em campanhas que considere justas.
È o caso desta, o que explica o link.
Sempre disponíveis para colaborar com qualquer campanha ou blogue.

Joshua disse...

Tarantino, Manuel Alegre é um Marido desajeitado e enjeitado e desde que os militantes o rejeitaram para a liderança do partido que não andava feliz. É muito tempo de convivência. Depois um milhão de votos nas Presidenciais não é coisa desprezível, ao ponto de podermos pensar que um dia a cadeira será dele.

Agora, com a saída do ministro da Saúde e o seu estilo brutal correia-de-campesinato, seu amigo mas não a sua política, o Velho Pateta-Poeta militante-Marido de Sócrates-Esposa pode dizer aos seus que ainda tem influência e faz a diferença, ao intervir publicamente, dando voz ao Povo Anónimo que não compreendia.

A saída de Correia de Campos era quase inevitável, (eu, não gostando nada dele, antipatizando mesmo, sempre achei que uma legislatura ministerial deve ser exercida até ao fim, conteste-se o que se contestar, salvo no caso da Maria de Lurdes Rodrigues, que é um portento de hostilização deliberada, nunca vista em Portugal, a tal que tu dizes de grande competência técnica, mas cujos despachos colidem com outros despachos, prensando Conselhos Executivos, Conselhos Pedagógicos e naturalmente os Professores) o próprio ministro terá colocado o lugar à disposição na sequência da mensagem de Ano Novo de Cavaco Silva, mas ao ser substituído por alguém com quem Alegre simpatiza, o primeiro-ministro comportou-se como a Esposa Obediente que nunca fora até aí, porque obediente só se for de essa vez, a ver se o Marido não a embaraça e enfraquece nesta recta final até à magnífica plástica eleitoral de 2009.

Só não sei se se vai deixar de se falar do novo partido patrocinado por Manuel Alegre. Talvez não vá.

Até que a morte os separe? Tarde de mais. As Políticas e o Tom é que semparam. Isto é muito tempo!

PALAVROSSAVRVS REX

Joshua disse...

O sexo é importante, mas Sócrates e Alegre já não gostam de se tocar, quanto mais dar as mãos.

PALAVROSSAVRVS REX

bluegift disse...

Só nos faltava agora um divórcio entre esses dois... Eu creio que o Alegre sente necessidade de credibilizar publicamente a sua "pureza" política sobrepondo essa necessidade à importância do jogo político. É uma forma de autismo e imaturidade que podem sair caras ao partido.

quintarantino disse...

Zé Povinho, o divórcio evidente entre o Sócrates e o povinho?
Não sei se já lá chegaram. A avaliar pelas sondagens estão apenas na fase terminal do "vai-te f...!" (não posso contar aqui a anedota toda).
A do sexo é bem vista. Nunca tinha pensado na coisa assim.

Adrianeites, sê bem regressado ao mundo dos vivos... olha que há tipos mais novos que já se reformaram!

Joshua, um complemento em beleza ao que eu para ali debitei. Gostei. E essa de já não darem as mãos...

Bluegift, tenho para mim que Alegre é um "pipi", um tipo que se acha maior que o mundo!

jo ra tone disse...

50-60?
Ao chegar a esta idade, se chegar, então tenho que me pôr a pau! Sempre ouço dizer que o divórcio está mais caro que o casamento...

"Juntos 24 horas sem trabalho..."
E com tanto por fazer!!!
Que se dediquem à pesca for exemplo, cada um na sua margem...do rio , do lago ou da vala." Apoiar a família"? Não estou a ver onde e como!
Muito me devem estes governos!

...Conclusão:
Faço das interrogações do final do texto, as minhas palavras.

quintarantino disse...

Jo ra tone, amigo, faça como eu, aposte no casamento!

Fragmentos Culturais disse...

Muito sensibilizada pelos teus olhares sempre atentos e amistosos em 'fragmentos'!

Há momentos de silêncios... muitos!

Um abraço

Pata Negra disse...

O Alegre fala bem mas não me alegra. Quem nos sode é Fócrates!
Um abraço anti-PS