Eram quatro à mesa...

Quem se maça a ler-nos, apercebeu-se que me referi assim “en passant” a um jantar.
Não foi nem repasto bem regado, nem momento para “pensar e analisar o estado do país!"
Foi um jantar.
Quatro a uma mesa e sem pensar o estado do país não faz de nós nenhuns párias nem uns belzebus que lautamente se locupletam à custa alheia.

As aulas de escrita criativa do António, os momentos de solidão gélida do Joshua nas noites da Invicta, os tormentos “fisioterapêuticos” do Tiago e as deambulações “jurídico-jornalísticas-assessorísticas-professorísticas” do escriba deste modesto texto dominaram parte do repasto.

Já a noite ia longa e se ouviam pássaros em plena cidade, discorreu-se sobre blogues, tendo o Joshua (o S. João Baptista que um dia me apodou de Tarantino) feito a pergunta fatal: “Que caminho pretendes seguir no teu blogue?”

Conciliar a ficção, a audácia da mordacidade, a realidade e o dia-a-dia? Este espaço quase imenso mar encapelado onde confluem palavras, torrentes de pensamentos de pessoas dispersas pelos quatro cantos da Lusa pátria, e onde em vagas sucessivas arribam pessoas que nos lêem, contradizem, insultam, moralizam, catalogam… será o quê?

Batalhei para que alguém me visse… chegam o António e o Tiago… e depois outros … a todos considero por igual … por todos partilho e distribuo respeito … aos que não suporto, prometo ignorância … neste momento, estou-me capaz de tanto mergulhar mais fundo, como de repente arribar a uma praia …

O desprendimento das coisas nunca me foi estranho, serviu-me de carapaça quando muitos que me incensavam passaram a atravessar o passeio só porque ali vinha um dos novos proscritos aos olhos dos senhores deste quinhão de terra e de coisa nenhuma…

Estou-me, lusitanamente, borrifando… eis o que disse.
Lembras, Joshua?

Sei que àqueles a quem as minhas palavras dizem algo, sempre poderei contar com os seus sinais de estima. De consideração.

Não é sequer caso para pensar que com mais uma garrafinha da Fundação Eugénio de Almeida, clarificava o pensamento… não sou bipolar, nem preciso de opiáceos.

Sei … sou eu … escrevo com prazer … há quem leia com gosto … quem venha para odiar …, descobri-vos… ínfimos grãos de areia no universo … a todos brindei com um copo de “Foral de Évora” …

A todos, mas perdoem-me, especialmente…

Ao Tiago, ao António, ao Joshua
os três mosqueteiros que naquele dia me acompanharam, paladinos de coisa nenhuma que somos nós quatro …
À Vic … porque eu sei que posso contar contigo …
À Lieutenant
À Fada
À Lídia

E muito especialmente a essa amiga loira e fina como um coral com quem partilho gargalhadas infindáveis.

E se falamos de Luís Filipe Menezes, do Sócrates, de Moçambique, de África, de Espanha, da RTP e do José Rodrigues dos Santos foi porque também importa que a chama não se extinga.
E pasme-se até se lobrigaram virtudes onde normalmente se vêem defeitos…

E assim se passou um jantar que acabou eram três da madrugada!

49 comentarios:

quin[tarantino] disse...

Este texto é, obviamente, dedicado (com honrosas excepções) a todos os que diariamente nos lêem e comentam.
Sem eles nada disto seria possível.

Parece que chegamos a um patamar que, embora ainda "rasteiro", já incomoda alguns. Lá sabem...

António de Almeida disse...

Parece que chegamos a um patamar que, embora ainda "rasteiro", já incomoda alguns. Lá sabem...

-Os cães ladram, mas a caravana passa! Espero que continuem a jantar, só um reparo, o vinho, no Porto, parece-me que o jantar foi no Porto, beberam vinho alentejano? É bom, mas sempre que vou aí para essas bandas, não passo sem os vinhos do Douro.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Quint
É importante não perdermos o nosso sentido crítico mas ainda é mais importante não termos só sentido crítico. Por vezes os textos induzem-nos numa direcção que entra em rota de colisão o que, em meu entender, não facilita a compreensão das coisas.
Acho bom que vocês tenham reconhecido virtudes ao Menezes, Sócrates e J.R.dos Santos porque eles as têm. Esta crítica serve para todos inclusive para mim. Cita-me um fulano que se falares dele não se atirem logo em cima a criticar. Um só que seja. E isso é mau. Agora bom são esses momentos de confraternização.

Carreira disse...

Quero felicitar-vos, uma vez mais, pelo trabalho que este espaço nos dá a conhecer.
é um dos melhores blogues que conheço.
Ultimamente, não tenho estado muito activo, no que a visitas / comentários, diz respeito.
O início do ano, profissionalmene tem-se revelado bastante atribulado.
A juntar a isso, uma tese para acabar e apresentar até Maio...Ai...Ai...
Mas, não me esqueci do convie que me foi lançado pelo Tiago.
Em breve terão notícias minhas.
Um abraço para todos.
Votos de um bom fim-de-semana.
Abraço
José Carreira

7 Pecados Mortais disse...

Este é um espaço de Notabilização , de Ideias Soltas e por vezes Tontas! Pois Tontas, é assim que o espaço se chama, correcto? Ao dizer isto, não o digo como crítica, mas sim, referir que este espaço existe e é assim mesmo, não pode agradar a Gregos e a Troianos. Gosto do vosso espaço, mas na minha modesta opinião, tem uma tendência para bater sempre na mesma "tecla" e por vezes os sons repetidos tornam-se "aborrecidos". Digo isto, porque tem havido uma certa tendência para a crítica, apenas como tal...Esta mesma, infelizmente, chega a "roçar " a má educação entre os bloguistas comentadores, que a meu ver, em nada favorece este espaço de eleição. Quero reforçar, que não sou nada, nem ninguém para apontar o dedo, pois posso ter quatro virados para mim. Dei a minha modesta opinião. Espero que me leiam em forma construtiva e não destrutiva. Gosto de vos visitar, mas por vezes, em alguns posts é isso mesmo, só visitar. De resto um espaço de eleição e de muito interesse. Agrada-me saber que são todos amigos, não apenas virtuais. Um exemplo, gostei imenso como este post foi redigido...Abraços de um Pecador algo silencioso..

Joshua disse...

A Bloga pode ser uma Carta de Marear até ao cerne autêntico do outro e um jantar somente o pretexto para confirmar esse Íman de Amizade que nos arrebatou, mal nos encontrámos por aqui num longínquo dia e começámos a interagir de modo constante e leal, barra de aço que se desloca para aqui e para ali numa amistosa construção cúmplice.

Certo é que o Oceano das Novas Descobertas que valem é este Aqui-d'el-Blogue. Aqui somos nós as Naus com que se rasgam estas Virtuáguas, com que se corta a escuma rumo às Índias Novas de fazer Amigos ou descobrir Amigos ou reparar que eles existem para nós e nós para eles e é esse o Milagre do Tempo Áspero Presente.

As Tempestades e os Equívocos são um risco, conjunção de ventos e de sentimentos mesquinhos que se abatem sobre nós, mas contra os quais e apesar dos quais há que navegar, singrar, rompidas as velas. A nossa nau tem de seguir. Há um porto acolhedor e aprazível nos que nos são amigos, nos que nos são benévolos, nos que relevaram aqueles pormenores nossos que, de tão nossos, se tornam verdadeiramente especiais para eles. E eram Texto antes de ser Gente.

Não acreditamos em perseguições, em eliminações, em que se possa banir quem quer que seja. É preciso que não se confundam patamares. Buscar a Verdade, tê-la Nua e vivê-la Pura não é andar com a Marreta Moralizadora e Exemplar atrás. É antes um exercício de delicadeza com as pessoas concretas, mas de ousadia e de lucidez com base nos factos que, conhecidos, não lesem a Ética para com elas. A Arte roça os limites, mas é a Arte e satiriza ou hiperboliza porque quer emocionar e gerar contraste, não quer humilhar nem apoucar Gente.

Foi este o Espírito subjacente ao nosso Jantar sem que o convencionássemos. Eis o que somos. Eis em que cremos.

E eu gostei de à mesa de jantar ter junto a mim, na mais agradável Nobreza e Lealdade, o António-Implume, o Tiago-Com-Fixadores e a ti, Tarantino, que és todo Fibra, Acção, Energia, Vivacidade e Experiência de Vida.

És também Lealdade. Quem vier poluir de falsidade o que és, mente! Quem vier atacar de supositórios e estimativas depreciativas o que sejas, mente!

Conversámos de Tudo, é verdade. A Lealdade, a Transparência e, repito-o, a Nobreza, corriam paralelamente às nossas palavras. Não idealizo nada. Falo do que sinto, do que observo, do que estimo, caso o detecte.

Ainda bem que se pode celebrar uma coisa Bela e Perene, como gostar das pessoas de quem gostamos por elas mesmas e pronto. Porque gostarmos delas está para além das razões, embora acumulando-as intermináveis.

PALAVROSSAVRVS REX

quin[tarantino] disse...

António de Almeida, grande amigo, de facto estar no Norte e beber vinho alentejano soa a algo estranho. Mas a decisão, após intensa prospecção na carta de vinhos, foi tomada pot unanimidade.
O amigo já nos conhece, temos esta tendência para, estando num lado, ter sempre algo do outro lado... nem que seja o dedo mindinho.

quin[tarantino] disse...

Lídia, tens razão quando afirmas que é importante não perdermos o sentido crítico. Eu diria que isso e o norte.
Confesso que quando escrevo procuro fazê-lo após reflectir sobre o assunto.
E gostaria que após leitura do mesmo, surgissem opiniões múltiplas.
Genericamente, penso que o conseguimos. Especialmente tu.

quin[tarantino] disse...

Carreira, amigo da primeira hora, seja bem aparecido. Fico satisfeito por ver que anda atarefado profissionalmente. Grato pelas palavras e espero que não esqueça que tem aqui um porto sempre à espera que aqui acoste!

O Guardião disse...

A liberdade na escrita e na escolha dos temas é o que de mais interessante existe na blogosfera. Uns escreverão melhor do que outros, é normal, mas o que verdadeiramente interessa é sentir o que pensam aqueles que se dão ao trabalho de se expressar.
O vinho foi obviamente uma boa escolha, e digo isso apesar de ser um apreciador e defensor do vinho do Dão.
Cumps

quin[tarantino] disse...

Sete Pecados Mortais Este é, de facto, um espaço de NOTAS SOLTAS e IDEIAS TONTAS. Quando o baptizei tinha em mente um ou dois parágrafos e um remate meio tonto... isto, entretanto, evoluiu.

Quando parti à busca de novos colaboradores foi no sentido de trazer novos pontos de vista.
Penso que a crítica que fazes pode ser justa em relação a mim (que devo ser o mais temperamental), mas já a Lídia e a Blonde, deves admitir, são espelhos de moderação e reflexão.

Aqui, especialmente a ti, nunca se viram dedos às pessoas que vêm por bem e sem "snobismo". É o teu caso.

quin[tarantino] disse...

Joshua, meu Rex Palavrossaurus, soubesse tu, meu caro, o quanto aprecio tua escrita densa, cerrada... abraço.

quin[tarantino] disse...

GuardiãoOutro ilustre visitador. Permita que lhe diga que são sempre apreciadas as suas palavras. Sucintas, objectivas e sinceras. Tem razão... o Dão não é mau...

sniqper ® disse...

Era uma vez...

As luzes de sexta-feira apagam-se, as pessoas regressam de mais uma semana de trabalho, umas cansadas, outras tristes e algumas sem nada a não ser a esmola do fundo de desemprego.
Uns em silêncio pensam no que o dia seguinte lhes irá trazer de novo, talvez outro dia igual, vazio.
Outros, felizes pelo dever cumprido, juntam-se em amenas conversas, onde horas a fio debatem problemas sociais, enterrando vivos os que ocupam lugares, os que os controlam, quem sabe na esperança de um dia ocuparem a cadeira do poder!

Fim

Nota:
Li neste texto uma frase brilhante: "… não sou bipolar, nem preciso de opiáceos.
"
, ainda bem que tais maleitas não o atacam, mas no caso de poder ser contemplado com uma ou ambas tenha sempre em conta o seguinte: Bipolar. Como se trata?
O lítio é a medicação de primeira escolha, mas não é necessariamente a melhor para todos os casos. Freqüentemente é necessário acrescentar os anticonvulsivantes como o tegretol, o trileptal, o depakene, o depakote, o topamax.
Nas fases mais intensas de mania pode se usar de forma temporária os antipsicóticos. Quando há sintomas psicóticos é quase obrigatório o uso de antipsicóticos. Nas depressões resistentes pode-se usar com muita cautela antidepressivos.


Espero do fundo do coração, acredite que tal nunca invada a sua vida, muito menos que entre na equipa dos opiáceos, são caminhos que conduzem a uma estrada de ideias tontas e onde se soltam notas sem parar.
Carpe Diem...

antonio disse...

Oh, Quint, eu não sei do que falas… eu fui a uma tertúlia onde se agitou todo o desassossego das nossas consciências, onde o mundo se dobrou e se abriu de espanto, onde ninfas com sotaque brasileiro se espraiaram na nossa mesa, imersas da nossa poesia. Um D. João qualquer, regressado das brumas da sua régia memória, nos premiou com um foral de tertúlia oficial do reino, do seu e do que temos por inventar.

E a glória final, foi eu ter encontrado o caminho de regresso ao hotel (psst.. não digas a ninguém que foi mérito do GPS…)

E depois leio do Josh:

E eram Texto antes de ser Gente.

E tudo foi dito.

quin[tarantino] disse...

Sniqper... sem palavras ... nunca pensei que fosse capaz de me deixar sem palavras ... veja lá ...

quin[tarantino] disse...

António Chama-lhe o que quiseres, tertúlia foralística, gente sem o ser antes de textualizar, gps sem Norte, nem Sul... sei apenas, que foi um imenso prazer!

Carol disse...

Olha, gostei deste texto. Não estava à espera de encontrar algo do género, mas nota-se, aqui, toda a tua sinceridade, honestidade e generosidade.
Leio-te desde o primeiro dia, como bem sabes e fi-lo sempre com prazer. Não pelos laços familiares, como muitos pensarão, mas porque gosto da tua escrita e gosto de conhecer outras perspectivas sobre os assuntos de que todos têm conhecimento, mas poucos terão entendimento.
Não tenho pejo em dizer que aprendi muito contigo, ao longo da vida, mas também com este blogue e com os seus diferentes escribas.
Não o considero monótono, não o considero pedante ou presunçoso.
Parabéns a ti, que iniciaste o projecto e que o deste a conhecer. Parabéns à equipa que se mostra, cada vez mais, activa, desperta, criativa e incomodativa.
Quando não se gosta, não se volta para ler o post seguinte e isso é que eu gostava de entender nalgumas pessoas...
Bjs e bom fim de semana para todos.

quin[tarantino] disse...

Carol Obrigado em nome dos outros. Quanto a alguns... enfim... penso que sabes...

bluegift disse...

Quint,

Tchim tchim para ti também! E para todos os que fazem e fizeram parte desta aventura!

quin[tarantino] disse...

Bluegift tchim, tchim, prosit, a santé, salut... sabes quem sim!

Tiago R. Cardoso disse...

Foi assim que se provou, que isto da blogosfera permite ir mais longe, não ficarmos atrás de um teclado a escrever, podemos ir mais longe.

Esta blogosfera é um reflexo também da sociedade onde tudo é trazido para dentro, problemas, invejas, mesquinhes, mas eu acredito em trazer para aqui alegria, o partilhar, o debate, o pensamento.

Eu conheci o cineasta aqui, com ele criei uma amizade, esta sem saber quem teclava do outro lado, acreditei e apostei que poderia-mos chegar longe, hoje é um amigo.

Conheci o Joshua e com ele uma escrita que me desafia, que me coloca perante um superar das minhas preguiçosas capacidades, compreendi na escrita dele as constantes emoções porque passa e transmite, tornei-me um fã.

Conheci o António, sempre com a sua afirmação mais provocadora, agora num momento mais criativo, no entanto também capaz de me lançar novos desafios, saber ler o que está escrito no meio daquilo que ele escreve.

Agradeço aos meus colegas de blogue, que todos os dias me ensinam mais e mais, aprendi muito com eles, posso dizer que aprendi a escrever.

LÍDIA, QUIN[TARANTINO], BLOND,
Obrigado.

Peter disse...

Este é um blog que me habituei a ler. Por vezes comento, intervenho, outras limito-me a lê-lo.
Naquele que partilho com a "bluegift" e o "ANT" não temos um rumo definido. Escrevemos sobre o que nos apetece e quando nos apetece.
Nem sempre me apetece. Plageando Baudelaire, digo que estou ou ando, com o "spleen". Agora ando.
Tenho dúvidas, como sucedeu outro dia:
" não escrever sobre coisa nenhuma"
ou "não escrever sobre coisa alguma"?
Penso que a segunda redacção é a correcta, mas os meus conhecimentos de Informática são limitados e não estive para apagar o publicado e voltar a escrevê-lo.
São pormenores…
Tal como escreves acima, também no n/blog os comentários são livres. Estão abertos aos anónimos e aos que criticam.
O conceito de "comentário" banalizou-se e quase que se limita ao "Gostei muito. Abraços/beijinhos".
Compreendo, não há tempo. Já não compreendo é a agressividade expressa em certos comentários.
Esses, pura e simplesmente apago-os.

Abraço.

quin[tarantino] disse...

Tiago Podes ir longe. Basta quereres. Grato pela amizade.

quin[tarantino] disse...

Peter Creia que é com sincero prazer que aqui o recebemos. Eu, pelo menos, é assim.
E quando não vem, a gente interroga-se.
Penso que isso diz tudo.

Fa menor disse...

Muito bem!
Dever ser uma sensação maravilhosa quando os amigos sem rosto o passam a ter!...

Kalinka disse...

Ora pois, deve ter sido um belo repasto...encontros assim também eu gosto!!!
E se falaram de Moçambique, de África...eu gostaria de ter estado presente, é a minha terra.

...E assim se passou um jantar que acabou eram três da madrugada!...QUE BELEZA!!!

Bom fim de semana.

rouxinol de Bernardim disse...

Eu sei, a culpa é de Baco, essa divina criatura que tolda as meninges aos mais sóbrios, aos mais inspirados, aos mais lúcidos.

A culpa é de Baco!

Quanta bacorada às vezes inunda a blogosfera como um tsunami, como um cumulonimbo carregado de electricidade estática, como ventosidades anímicas de pacóvios alucinados pelo elixir mais viciante!

É triste ver aonde chega a pesporrência, o autoconvencimento doentio impregnado de narcisismo ébrio até ao âmago, diria mais, até ao tutano.

E os danos colaterais depois chegam, sem controlo, sem remorsos, sem um resquício de vergonha na cara, de dignidade, de ética.

Os vinhos da ira são ingeridos até mais não se poder, até encharcar, até extravasar e ultrapassar o limiar da decência, surgindo as disfunções mais inverosímeis, as perfomances mais levianas, as distorções mais chocantes.

Vós, que tendes do civismo a exacta medida, que usais da verbe a justa e correcta dose, que martelais com a marreta do cinismo no vosso já tão amarrotado ego, mereceis a comiseração de quem, humilde e sensatamente, vos aconselha a meter a mão (enlameada pela maledicência medíocre e invejosa) na consciência viperina.

Sabeis, alguém vo-lo disse, o que é a Má-Fé?!

Então, olhai ao espelho!!!

Maria P. disse...

Quint.
tu já me conheces e sabes que sou de poucas palavras, mas também sabes como aprecio este espaço que ultrapassa em muito o conceito de "mais um blogue". Assim se aqui pudesse deixar uma imagem , seria a de um LONGO CAMINHO rodeado de ÁRVORES DE TRONCOS FORTES, esta a imagem do Notas Soltas e Ideias (nada) Tontas!

Aquele abraço*
Maria

antonio disse...

Acho que tivemos todos assim... sem penas, implumes!

Bruno Pinto disse...

Um blog não é mais do que fazermos algo que adoramos fazer - escrever. Se a isso se juntar a possibilidade de cultivar a amizade, como parece ser o caso, então não há dúvida de que vale(u) a pena. Que seja para continuar.

Pata Negra disse...

Eh pá! "Prontos"! Jantaram! São boms os quatro! Gosto deste blog! É dos blogs que mais me consolam! Substitui-me o DN, o Público, o JN e é muito mais que isso! Continuemos...
Um abraço solto e tonto

quin[tarantino] disse...

Fá Menor Acredita: é! Sempre imensamente apreciada a tua presença.

quin[tarantino] disse...

Kalinka Falou-se. E da vizinha África do Sul. Aparece mais. Talvez numa próxima até uma marrabenta se ouça.

quin[tarantino] disse...

Maria P És enorme. Parece que sempre nos falamos por imagens!

quin[tarantino] disse...

Bruno Sempre apreciados os teus esparos comentários. És um escriba de primeira água.

quin[tarantino] disse...

Pata Negra Majestade, reverentemente nos curvamos ante vossa figura real. Ainda bem que aprecias!

Erotic Spirit disse...

Ahhh so this is a general nuisance?! ... going through the some thing... more or less. People sending me emails... writing posts about me (like they r experts on me!)commenting my comments on other blogs... it is frustating but I'll be honest my friend glad to know I'm alone ...sorry :)

quin[tarantino] disse...

Erotic Spirit My friend, the world is really full of people who just love to mess with other people´s life. I'm glad to see you around.

NuNo_R disse...

Espero que o que li não seja um epilogo deste espaço de debate e saudavel conversação...

Para mim, é um dos melhore blogues portugueses. lamento é que até na blogosfera os lobis abundem e não se dê a devida publicidade a quem a merece.
Neste caso, os meus Amigos!


abr...prof...

Um Momento disse...

Sorrio, ao jantar ao companheirismo, á amizade e ás tuas palavras
Continua , pois embora não te comente sempre( ando assim últimamente, pois o tempo parece que encurtou de vez) sabes que desde sempre te gostei de ler ainda não estavam cá os amigos que agora este espaço partilham contigo
Da minha parte apenas te digo sinceramente:
Muitos Parabéns!!!

(*)

quin[tarantino] disse...

nuno_r Meu caro professor, pode parecer um epílogo, mas não é. Nuem podia ser quando temos leitores e comentadores como o amigo. Mesmo que você fosse o único, persistiria.
Isto foi apenas um interlúdio para poder mostrar a alguns que é possível... continuar!

quin[tarantino] disse...

um momento ... e eu não sei da tua sólida presença e confiante amizade? sempre grato ...

Blondewithaphd disse...

Great reading you... as always!

quin[tarantino] disse...

Blondewithaphd Am I glad to see you back!

Erotic Spirit disse...

My dear I visit daily, but sometimes the discussion is above my understanding... remember I do not live in Portugal :) but you have contributed much to my reeducation eh eh I can now hold a conversation with my dad after the RTPI news


:) thanks
kisses to all of u

quin[tarantino] disse...

Erotic Spirit Glad we are helping you being able to discuss about Portugal. And that you read us.

damularussa disse...

quin[tarantino] ou quintarantino (com ou sem chavetas tal como as marias que há muitas, e algumas não se confundem nunca, por serem inconfundiveis, logo continuarás sem chavetas (pra mim).

Quintarantino, caro companheiro de blogagens e Amigo

Leio-te desde sempre e desde sempre te disse não comentar politiquices, se é que ao teu blog se pode chamar politico em vez de social. Não sou como a maioria dos teus leitores o é (outros tentam ser) uma expert na matéria, mas tenho opinião, obviamente.

Consigo até distinguir o bem do mal e o azul do preto, (aposto que alguns conotarão o preto com racismo, de tão “expert”


Comentava-te, mas não quero que alguns dos teus“experts “ corram o risco de me chamar fascista ou quiçá comunista ou mesmo… sei lá…o que lhes der na gana.
Porque aqui se opina, mas se a opinião diverge das demais, cai o Carmo e a Trindade ai..ai..ai.. eu não comento!

Somos todos livres de pensar, e até de pensar que somos livres, mas ai de quem manifeste essa liberdade !! Enfim, tudo isto para te dizer que, não comento mas leio e sim, podes contar comigo… pró que der e vier!

E se eventualmente algum dos “tais experts” tiver o a simpatia de pensar mimar-me sobre este singelíssimo comentário, para que conste, não obterá de mim nem uma letra, logo será inglório o esforço.

Um enorme bem haja a ti e brindo à amizade que vos une e que originou a queda de barreiras virtuais proporcionando-vos um belo repasto.

Grande abraço

quin[tarantino] disse...

Da Mula Russa Demorou, mas sempre disse...