Portáteis a 150,00€? Sim, mas não para todos!

Apostando no acesso generalizado dos jovens estudantes ao mundo da informática e à “web” o Governo iniciou, recentemente, um programa de distribuição à comunidade escolar de computadores portáteis a preços e condições alegadamente irrecusáveis.
Bem, não é à comunidade toda. Está-se a divulgar que é só para os alunos do 10º ano, embora haja quem preste a informação que é a todos os alunos que nos próximos três anos se possam vir a matricular naquele ano.

Um portátil a 150,00€ é uma proposta deveras interessante.
Há por aí quem afiance que alguns dos modelos oferecidos estavam na FNAC à venda por quatrocentos e poucos euros o que, segundo os detractores da iniciativa, resultaria num péssimo negócio para os aderentes, dado que teriam de fazer um contrato de adesão com uma das operadoras que fornecem o acesso à “net” por 3 anos suportando, no escalão mais elevado, custos de navegação entre os 17,50 e os 25,00€ mensais.
Qualquer coisa como 300,00€ ano.
Esqueceu-se quem lançou essa bojarda que, independentemente de tudo, com portátil a 150 ou a 400,00€, quem quisesse navegar teria sempre que suportar os custos de navegação.

Não é, pois, por aí que o gato vai às filhós.
Pode ir no prazo de adesão ou no facto de não se ter negociado com as operadoras pacotes maiores de navegação ou tarifas mais reduzidas.
Onde o gato vai mesmo às filhós é quando, numa rápida passagem pelo site da TMN dedicado ao assunto, se descortinam, entre outras, perguntas como esta (fresquinha pois era do dia 18 de Outubro):

É o seguinte: recebi uma mensagem da TMN a dizer que os códigos de activação para a inscrição já se encontram na secretaria da escola. O problema é que eu fui á secretaria da minha escola e eles disseram-me que ainda não sabem nada sobre isso! Gostava de saber, afinal, quando é que vêm os códigos de activação! Com os melhores cumprimentos”.

Outra mais antiga dava conta do seguinte:

Depois de vários contactos, quer para as Direcções Regionais de Educação, quer para a linha disponível no programa e-iniciativas, fiquei boquiaberto depois de me dizerem que os professores contratados não têm acesso a um computador portátil. Mas afinal existe xenofobia na educação. Tanto apregoam para o melhoramento do sistema escolar, mas não me parece que seja isso que esteja a acontecer. Lembrem-se que os professores do futuro e das novas tecnologias são os «míseros» professores contratados de hoje. Enfim... É tão triste ser professor hoje em dia”.

Quer dizer, haverá escolas que ainda não têm os códigos de activação?
Quer dizer, os professores contratados, para azar deles, também não têm direito a portátil?

Mas eles são professores ou não? São!
E não têm direito a portátil apesar do programa dizer que é para todos os professores? Não!

Mas a coisa não fica por aqui.
Na edição de Domingo do jornal “Público” uma mãe, na secção das cartas dos leitores, dava conta que aos alunos do ensino particular o acesso a esta iniciativa estava vedado.
Eu também posso afiançar por conhecimento próprio que o acesso dos alunos do sistema de ensino profissional (reconhecido e apoiado pelo Ministério da Educação) também está, para já, vedado ao tal portátil.
Assim como aos docentes deste sistema.

Quer dizer, dentro de um programa que pretende criar oportunidades de acesso a todos, possibilitar que, em muitos casos, os alunos dêem resposta às exigências dos professores que têm de pesquisar na “Internet” (não cuidando, muitas das vezes, em saberem se o aluno tem acesso ou não à mesma), e fomentar o contacto com as novas tecnologias, nem todos conseguem aceder ao mesmo.

Só pode ter sido lapso, mas também revela o quão atentos andam os mentores destas iniciativas. E o conhecimento que têm do País em que vivem.
Ou vão-nos querer convencer que o Ensino Particular e o Profissional funcionam à revelia do Ministério da Educação?
É ainda caso para perguntar onde anda a nossa Comunicação Social.
E as alegadas associações representativas dos sectores discriminados.

Já depois do remate final, mas procurando dar resposta aos pedidos que nos foram chegando, indica-se aqui o endereço onde poderão ter acesso aos documentos que configuram o que será o futuro da Europa:

http://www.consilium.europa.eu/cms3_fo/showPage.asp?id=1317&lang=pt&mode=g

Desde já aviso que só o projecto de Tratado são 152 páginas.
Entretenham-se, pois!

38 comentarios:

aryanalee disse...

Nem tenho palavras para comentar esta pseudo oferta dos nossos carolas.
Use e abuse das suas capacidades para escrever/delatar, estas incoerências de um país furibundo.
Um abraço

Carreira disse...

Também li o artigo do Público.
Já nada me espanta.
Propaganda...propaganda e mais propaganda.
Quando se vai espremer o sumo da fruta, parece que só temos banana.
Enfim...mais uma campanha, mais um gigante, como cantam os Da Weasel, com pés de barro.

7 Pecados Mortais disse...

Para não variar. Depois do que li posso acreditar, que daqui uns dias se fazem comboios e se esquecem de formar o maquinista. Criam-se as iniciativas e depois o resto? Nasce por nascer...é o país que temos!! Abraços.

R@Ser disse...

Olá meu querido amigo QuintMIB...não sei porque mas tua postagem me faz lembrar muito daqui(Brasil).
Por que será.
Bjim

ANTONIO DELGADO disse...

Já agora só para dar mais um dado sobre professores: e os do ensino superior também não tem direito a computador ... É só craneos entre os politicos.

Um abraço
António

al cardoso disse...

Um dos grandes males nossos e quase sempre comecar-nos a construir as casas pelo telhado!
E o que aparentemente o governo tem estado a fazer, entao nao deveria primeiro, facilitar toda a informacao as escolas e aos professores, depois e ai sim anunciar essse programas!

Um excelente reparo!

Um abraco d'Algodres.

missixty disse...

Isto não me admira nadinha! Como trabalho para o Estado, tenho oportunidade de constatar no dia a dia, uma data de incoerências. Coisas que dá vontade de bater com a cabeça na parede!Resumindo, estamos a precisar de pessoas competentes urgentemente!

Carol disse...

Ah, pois é! Isto é tudo muitolindo, mas quando chega a hora da verdade...
Obrigada pela dica sobre o Tratado de Lisboa. Não havia necessidade de ter tantas páginas...

Tiago R Cardoso disse...

Já se sabia que com uma grande campanha de marketing se consegue muita coisa, como diz o povo quando a esmola é grande o santo desconfia.
mais uma vez se revela que Portugal é o país do mas, temos sempre um mas. Parece que ultimamente é preciso fazer as coisas a toda a velocidade, é preciso mostrar serviço, nem que seja serviço desta qualidade.
onde anda a nossa comunicação social?
Entretida com multas a treinadores de futebol.
Eu pergunto é onde anda o voz do povo?
Será que estamos tão roucos que só batemos palmas?

sniqper ® disse...

Meu Caro Amigo,
Desde já lhe dou os parabéns pela sua clareza de textos e comentários. Quanto ao tema que aborda, eu simplesmente considero mais uma separação das águas, ou seja uns beneficiados ainda não entendi a razão, outros se querem um computador que comprem e ponto final.
Gostaria de perceber a razão, pela qual os professores e os alunos do 10ºano são contemplados com esta medida, sinceramente não entendo, ou será que não é mesmo para entender?
O maior mal deste país é ser habitado por portugueses, mas de diferentes raças, ou seja existem os que tanto reclamam e deveriam estar calados, ou seja a Função Pública, que vive num Portugal diferente dos restantes, com regalias únicas, depois existem os governantes e, desses nem falo, não por medo, mas sim por não valer a pena, tanto haveria para falar que dava para escrever um livro e dos bem volumosos, para finalizar existem os outros portugueses, que pagam impostos, claro, como os outros, espero eu, mas que não são beneficiados por medidas diferentes, limitam-se a comer os restos que sobram e cara feliz é o que devem ter, senão ainda são uns ingratos.
Como tal, direi por palavras que não são minhas, mas que definem tudo...
A razão do problema é o problema.

quintarantino disse...

Caro amigo Sniqper, registo com agrado o seu comentário mas permito-me discordar de si num pequeno pormenor.

E que se reporta à generalização que faz da Função Pública.
As regalias que existiam, alguma excessivas, foram-se. Foram-se, meu amigo.

Aqui este seu amigo trabalha numa autarquia local.
De há sete anos a esta parte, progressão na carreira igual a zero!!!!
A ganhar menos que colegas, com as mesmas funções, na Administração Centar mas em corpos ditos especiais.
Ágora, se quiserem, mobilidade. Coisa assim do género, este gajo não é dos nossos, vamos tramá-lo. Foi isto que disse Medina Carreira. Eu já o sabia, mas Medina é Medina!

Impostos? Pagos e em dia. Não tenho por onde fugir, e se calhar nem quero. É que os tipos quando apertam, apertam aqueles que não têm por onde escapar. Falta aqui um cêntimo, vamos tramar o gajo.

Por isso, eu peço desculpa, mas não posso concordar inteiramente consigo quando se reporta de forma universal à Função Pública.

Aliás, que diabo, não há um único professor, um médico, um enfermeiro, alguém na Função Pública, de quem você possa dizer "este atendeu-me como devia", "ensinou-me como devia", "marcou-me"?

SILÊNCIO CULPADO disse...

Estamos em época de logro e demagogia e nunca houve tanta técnica refinada para os pôr em prática.
Todas estas medidas emblemáticas escondem a inoperância, o desespero e a falta de capacidades de governação (esta e as anteriores) quando não escondem outros interesses. Procura-se publicitar medidas que, pelas restrições e constrangimentos, têm efeitos muito reduzidos. Esta dos computadores é muito boa e ainda bem que é aqui denunciada. Mas eu vejo-a como, por exemplo, o complemento de reforma dos idosos. A maioria fica fora. Sabem por quê? Porque têm que apresentar um comprovativo em como os filhos os não podem sustentar. Alguns preferem passar mal a pedir aos filhos. Questões de orgulho e dignidade. O pobre também tem disso e até mais que os outros.
A oferta dos computadores até talvez ainda dê lucro. Prejuízo duvido que dê. É que, como bem demonstra o Quintarantino, há muitas formas de o ir buscar.

JOY disse...

Boas Quintarantino,

Como diz o povo na sua imensa sabedoria "- Quando a Esmola é muita o pobre desconfia " e tem razão de de ter lido o teu postgosta va de perceber o porquê de só os alunos do 10º ano terem acesso a esta iniciativa ,porquê os alunos das institições particulares e as escolas profissionais não são contempladas,e depois a falácia dos preços dos computadores,que não é nada de extraordinário visto que ao comprar não sei quantas mil unidades consegue que o preço seja subestancialmente mais barato, mas depois os utilizadores pagam o acesso á internet mais caro da Europa, conclui-se portanto que aquilo que parecia uma boa iniciativa ,não passa de propaganda politica .

UM Abraço

JOY

Laurentina disse...

Ahahahahahahahahahahah , este tipo de coisas só mesmo aos incautos é que acontece !!!
Quint meu amigo passo a explicar as minhas gargalhadas , não são pelo post em si mas pelas partes copiadas do site da TMN ...é verdade ,pura e seria só quem não está no sector não se dá conta das barbaries que todos os dias acontecem nas escolas e que só se resolvem se se vier denunciar para a TV .É uma vergonha NACIONAL.UMA FRAUDE .
Até conto mais, existe um centro de formação de professores que teve direito, sem pedir nada de nada, só porque o director tem um certo prestígio no M.E. devido às "bentraculas e problemas que mostra a todos diariamente" bem como a outros malabarismos contabilisticos que la produz reduzindo custos e outras merdas ...como eu dizia teve direito a 15 desses portateis para dar de "regalo" a 15 amigalhaços que nem professores são, nunca o foram sequerrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr.

Denunciar?! Claro que sim ...mas como para pulha , pulha e meio é o exemplo que vem de cima eu estou sentada à espera do momento chave!!!
Porque vai haver momento chave e como o que vai acontecer comigo até vai ser publico ...só estou a aguardar a chegada das datas.E depois tunga é o vomitar do verbo .

Beijão grande

NINHO DE CUCO disse...

Que a administração pública tinha que apanhar uma reforma valente parece que ninguém tem dúvidas mas... alto aí e pára o baile. Há muitas formas de o fazer e estes ataques histéricos a funcionários públicos e professores chegam a ser pornográficos. Estou àvontade porque nunca fui funcionária pública. Agora não considero que sejam estes trabalhadores o responsáveis por tudo e o bode expiatório para todos os males.
Relativamente aos computadores, acho muito bem que se denunciem estas e outras situações já que não páram de querer deitar poeira para os olhos do Zé Povinho. Não acredito que não haja negócio escondido por detrás ou contrapartidas que coloquem esta oferta a custo zero. Mas mesmo assim é feita com restrições, de forma discriminada, como se fosse objecto de um esforço acrescido de uma governação com preocupações sociais.
Haja pachorra!

Laurentina disse...

CONCORDO COM O "NINHO DE CUCOS" QUANDO SE EXALTA PELA HESTERIA SEM RAZÃO DOS ATAQUES AOS FUNCIONARIOS PUBLICOS E PROFESSORES ...HAJA UM POUCO DE SANIDADE MENTAL .
COM ESTES SELVAGENS QUE NOS DESGOVERNAM TODA A SOCIEDADE CIVIL TEM LEVADO NAS BARBAS MAS OS FUNCIONARIOS PUBLICOS E PRINCIPALMENTE OS PROFESSORES ...HAJA DEUS .
EXISTEM MUITAS E HONRROSAS EXCEPÇÕES .
FIQUEM BEM

adrianeites disse...

é obrigatório assinar o serviço de internet.. certo?

nãos epode apenas optar pela compra da maquina?

Joshua disse...

Tarantino, cada vez me cheira mais a que o que o Governo fez foi puro marketing mas de uma natureza tripla: em vez de se promover abertamente e à Pescanova, promove encobertamente TMN e ficam todos amigos e contentes.

Depois é pedir de mais justiça e celeridade nestas coisas.

Tatantino, outra coisa e a respeito do volume de postas a que me tenho dedicado no meu PALAVROSSAVRVS REX: olha, estou com pedal, estou com pica, que se há-de fazer? Tanto o pedal como a pica, duas palavras para dizer a mesma coisa, são directamente proporcionais à falta de trabalho e à falta de dinheiro.

Estou a pensar em divulgar o meu nib, sei lá, para donativos de um cêntimo que ajudem à compra do leite aqui para casa e para urgência de antidepressivos.

Escrever põe-me high. «Because I was high! Because I was high! Because I was high!»

Zé Povinho disse...

Claro que não pode ficar com o portátil sem contratar por três anos o serviço de internet, porque é precisamente aí que as operadoras ganham uns cobres. Um engodo para uma negociata para as operadoras e grande espaço publicitário do governo.
Abraço do Zé

Crítica e denúncia disse...

Amigo Quintarantino, muito feliz venho participar a você que seu blog e você são membros fundadores do projeto S.O.S Miséria. Façamos uma corrente dandos as mãos e colocando todo o nosso carinho neste trabalho. Parabens ! Preciso urgente do teu email. Com beijinho de Alda.

sniqper ® disse...

Meu Caro,
Desde sempre, e faz parte da história que as regalias da função pública eram diferentes ou estou louco?
O meu ataque histérico, como alguém fez menção de mencionar, não existe, falo de uma classe, como tal os que de consciência tranquila andam nela, o silêncio é a melhor defesa, o histerismo talvez seja prova de algumas culpazitas no percurso profissional, mas claro isso não é da minha conta.
Quanto a terem perdido regalias, os outros portugueses também as perderam e, disso somos todos culpados, quem cala consente e depois é aguentar e calar.
Quem de algum modo pensa e, acho que até estou a dar confiança a mais a certas pessoas, mas por si direi que sou a favor de um sistema único, como tal deveriamos escolher o melhor, seja ele qual for, mas claro, com os governantes que temos, acho que não preciso de dizer mais nada...

Alma Nova disse...

Meus Caros, vamos olhar para as coisas de olhos abertos e chamá-las pelos nomes. Esta "promoção" dos portáteis é apenas mais uma de tantas outras manobras para calar a boca a muitos e fazer com empresas que cobraram dinheiro indevidamente "paguem por isso", não deixando evidentemente, de acabar com lucros maiores ainda, uma vez que neste "pacote" vem incluída um acesso à internet de péssima qualidade e a obrigatoriedade de a "consumir" por um período de 36 meses. Porquê aos professores poderão perguntar também. Ora bem, não será difícil de perceber que, mais uma vez, o "calar a boca"...ou tentar adoçá-la com um rebuçado algo amargo mais uma vez é a razão. Pergunto eu? em vez destas manobras não seria de bom tom, pelo menos, obrigar as empresas devedoras a pagar a cada um dos seus credores as dívidas que têm, nem que seja de 1 cêntimo apenas?! Não seria assim que a justiça e a clareza funcionaria?! Edesde já lhes digo que, por mero acaso, até pertenço a esta famigerada "classe".

adrianeites disse...

ze povinho.. era o que previa..

pensava eu que pudesse haver uma réstea de bom senso..

3 anos é muita coisa... 1Gb de trafego é muito pouco..... hum.. as merdas do costume...

António de Almeida disse...

-Neste caso nem posso criticar muito a fidelização, é óbvio que os computadores a 150 Euro estão a ser vendidos abaixo do preço, afinal o que pretendem? Baixo preço, sem compromisso? Fazem contratos de fidelização com as mesmas operadoras para adquirirem um telemóvel, e acham 3 anos exagerado para um portátil? Se o estimarem, o que é uma obrigação para quem o adquire com subsídios do estado, logo com o meu dinheiro, comparticipado por uma operadora que espera ver o seu retorno com 3 anos de ligação á net, parece-me justo. Se pretendem ficar com um computador, supostamente para usufruir de banda larga, e depois quisessem um tarifário pré-pago, que carregariam quando desse jeito, e pretendessem utilizar o computador para uns joguitos, um conselho, comprem um a preço de mercado! Estes são uma aposta na educação, e na mobilidade de comunicação da população estudante. Aproveitem!

António de Almeida disse...

-Complemento, é obviamente lamentável que as funcionalidades não sejam exploradas, e que se coloque em práctica uma iniciativa destas, e a mesma esbarre na burocracia. Seja lá de quem for a culpa.

quintarantino disse...

Sniqper, tenho a certeza que o epíteto de histerismo não era para si. Basta ler.
No mais, meu caro amigo, quando lhe repliquei era só para inquirir determinadas coisas.
Pelos vistos nem a sua professora da primária o que conseguiu comover, mas vejo com satisfação que parece considerar que a uniformização devia ser feita por cima e não empurrando todos para o patamar de baixo.
Continue a aparecer.

Carol disse...

Isto há coisas do diabo! Então, não é que hoje estive a almoçar com colegas professoras e, de facto, verifiquei que esta campanha de marketing não passa disso mesmo.
De facto, todas elas têm direito ao dito portátil, mas nenhuma tinha ainda as tais chaves de activação. Ora, como dizia alguém, esta é uma benesse para o ensino mas, se as aulas começaram há quase dois meses, algo está mal, não?
Quanto aos alunos, também não vejo grande vantagem. Tenho um centro de explicações e os alunos de 10º que tenho ou já têm net e portátil ou, então, não estão interessados em obrigações contratuais de 36 meses.E compreende-se quando muitos têm pais que recebem o ordenado mínimo, com prestações de casa que levam quase 50% do orçamento familiar... O que resta, meus amigos, mal dá para a alimentação e o resto quanto mais para a internet!
Quanto a si, Sniper, posso-lhe dizer que o problema não está na função pública. Está naqueles que cometem os abusos, naqueles que procuram sempre uma forma de passar por cima dos outros e esses estão em todo o lado. São os donos de restaurantes que não pagam horas extraordinárias, nem os feriados e folgas que não dão aos funcionários; são aqueles que dão explicações em qualquer lado e não declaram o que ganham; são os que fogem aos impostos; são os que não pagam os empréstimos porque o papá fundou o banco, and so on, and so on...

ALEX disse...

Este é um bom espaço de opinião onde se encontram diferentes sensibilidades e todos se respeitam.
Assim aprende-se.

Simplesmente...Joana disse...

Nada melhor que termos o noss proprio bichinho.... pelo menos nao sofro o risco de que mo venham tirar...
é o sistema que temos.... nao sabem fazer tudo direitinho e certinho.... :s

Beijooo

Até já!**

Alma Nova disse...

Meu caro antónio de almeida, os portateis a 150€ aparecem, não pela bondade das operadoras, mas apenas porque as mesmas cobraram custos indevidos aos seus utilizadores e, como forma de pagamento dessa dívida, o governo elaborou este acordo com elas, sem deixar de precaver, como não podia deixar de ser, os seus respectivos e "tão justos" lucros. Não são subsídios do estado, que saem tanto do seu como do meu bolso, que estão a pagar esta "aposta na educação" que, a propósito, me parece bastante injusta na forma como discrimina quer estudantes quer professores, já para não falar de que deixa de lado todos os outros portugueses que têm tanto direito à cultura e à informatização como estes dois grupos.

antonio disse...

Santa ingenuidade!

Ficam surpreendidos? Eu não. Não seria de esperar outra coisa. A última vez que Sócrates me enganou, foi quando anunciou o complemetno de reforma para os reformados com mais de 80 anos. Lembram-se?

Nietzsche e Carrilho lado a lado? Eu metia o Pacheco a meio.

Vieira Calado disse...

Pó prós olhos, como de costume...
Boa noite.

sniqper ® disse...

Caro Quintarantino...
Claro que terei todo o gosto em frequentar espaços como o seu, onde se fala e discute assuntos de interesse nacional, mas desde já agradeço a sua atenção pelo convite.
Quanto a comoções meu caro, são como as emoções, turvam o pensamento, são excessos, ao contrário de sentimentos que equilibram a balança da justiça social.
Em relação a um sistema único, é claro que só posso aceitar melhorar, nunca o facilitismo do nosso governo em resolver as questões tirando o pouco que já resta ao portugueses.
Em relação ao que li sobre fidelização, gigas de trafego e similares, é hilariante, a cegueira ou falta de informação de certas pessoas é de tal ordem que deixo como exemplo o seguinte:
Em relação ao país com a taxa mais baixa em comunicações fixas, a Suécia, nós os "ingratos" em certas bocas só pagamos mais 93% por cento que eles, pouco não é...
Será que quando se fala de Internet, se subscreve um serviço, se paga uma velocidade de uploads e downloads as empresas cumprem? Não, não cumprem, fazem o que entendem e ainda lhes sobra tempo, basta ligar ir ao site da http://speedmeter.fccn.pt/?accao=speedmeter1 e ver com olhos de ver a velocidade real, depois as desculpas dadas são pura demagogia.
Um giga de trafego é muito? Será? Quando todo o trafego ou quase a totalidade é internacional, realmente, quem assim fala bem melhor seria ir até ao Google, passo a publicidade, ler, que faz sempre falta para aprender e, então depois se calhar não falaria do mesmo modo.
Para terminar o que já está longo, o meu comentário, direi... Será que ainda ninguém pensou que tamanha bondade das operadoras e respectivas marcas de computadores, não será para "desencalhar" material que estava parado faz tempo, isto no caso dos portáteis, e no das operadores de conquistar sem esforço de mercado uns milhares de aderentes?
Mas quando será o dia em que abrimos os olhos, acho que nunca...

Fernanda e Poemas disse...

Olá, passei para deixar-te um beijinho de boa noite.
Fernandinha

Lampejo disse...

Quin,


Seria bom se fosse verdade a questão dos portáteis, p´ra que as escolas, professores e alunos pudessem conhecer o outro lado mundo.

(a)braços

antonio disse...

Lampejo, e acima de tudo tu estás desse lado.

Fernanda e Poemas disse...

Olá Amigo deixei uma explicação no meu blogue das fotos.
por favor queira ler.
Muitos beijinhos,
Fernandinha

Dalaila disse...

Sim, a questão da internet obrigatória....
e porque só para professores???... e só alunos do 10º ano...???

Não consigo comentar o que não é real no mundo.... é incrivel, mais uma vez