O recado de César para Sócrates significa o quê?

Carlos César e Alberto João Jardim, dos governos regionais dos Açores e Madeira, respectivamente, encontraram-se para aquilo que, à primeira vista, parece ter sido uma animada sessão de trabalho.
Confesso que não prestei muita atenção à coisa, tirando as risadas e as palmadas, e ainda algo que poderá significar que, afinal, o PS ainda mexe.
Carlos César, o homem responsável por desalojar o PSD dos Açores, referiu, meio a sério, meio a brincar, que o País andava a ser governado por terceiras linhas. Falou em directores-gerais e, pasme-se, ministros.
Lestas, as televisões (pelo menos a SIC) apressaram-se a procurar reacções a Sócrates que, aparentemente confuso ou agastado, se escusava ou refugiava em banalidades.
Pode ter sido um deslize, um piropo destinado a amansar Jardim ou um sinal de incomodidade. Não sei.
O que sei é que para José Sócrates será, certamente, muito diferente ter de aturar as críticas da blogosfera, os manuéis alegres e as rosetas do PS, os quais, parafraseando o Tiago do “comfixadores”, são dos tais intelectuais que abominam o povo, e estas alfinetadas de Carlos César.
A incomodidade revelada demonstrou-o. Começa, aliás, a ser flagrante a propensão governativa para só cuidar de responder àquilo que é sempre a rolar por aí fora sem problema de maior.
E agora com a guerra (desnecessária, digo eu que sou agnóstico) da assistência espiritual nos hospitais, é bem capaz de começar a estar a preparar o seu Waterloo!

18 comentarios:

SILÊNCIO CULPADO disse...

A crise de valores faz-se sentir em todos os quadrantes da vida política e social. Só assim se compreende tanta alfinetada. Eu sou da geração que tinha como valores a solidariedade para com os grupos de pertença fossem eles familiares ou ideológicos. Acho má formação criticar publicamente aqueles com quem partilhámos interesses, ideias e afectos. Nunca contaria, para nada deste mundo, com pessoas que passam pelos intervalos da chuva para conseguir os seus objectivos, ou que fogem do barco quando este começa a meter água. O problema, no meu modesto entender, prende-se com o facto de termos chegado, neste país, a um ponto de rotura que exige o início de um novo ciclo. Não se trata propriamente de uma questão ideológica mas de uma questão moral que abrange vários domínios. O PS e o PSD levam as alternâncias a atribuir um ao outro a culpa do estado a que o país chegou. Ora isto exige uma vassourada completa que leve os ditos partidos mais os seus acólitos.
E agora um despropósito que depois explico: sabes o que é Pera Manca?

Joshua disse...

A Política que se faz em Portugal, Tarantino, ainda pertence ao perído da Pedra Lascada: em vez de toda a gente unir esforços para desenvolver esta choldra, criar riqueza, pôr em prática as melhores ideias venham de onde vierem, o que fazem, mal se vêem eleitos, é preparar a reeleição e desresponsabilizar-se. A isso se consagram com toda a mente e com todo o ser.

O País anda nesse carrossel há décadas e ainda não compareceu gente com sentido das prioridades, capaz de descer da ambição de só fazerem parte da história de Porugal à ambição de darem aos portugueses um motivo de orgulho por terem um país próspero, organizado e que não ostraciza os seus activos humanos nem se volta contra eles por causa de um filho da puta de um défice qualquer. Nem a França nem a Alemanha, passe a abissal diferença, se amesquinharam perante filho da puta de défice nenhum porque se centraram nos aspectos dinâmicos da economia e não nas compensações de carácter megatributário, como se fez em Portugal e nada mais.

Assim também nós, Tarantino.

Quanto a César, simplesmente deu a Sócrates o que é de Sócrates: um embaraçoso recado oportuno, o qual, diversamente da nossa Silêncio Culpado, não leio como traição ou deslealdade. E o recado é que será insularmente mais solidário com a Madeira e com quem a governa que partidariamente mais solidário com o Partido e quem o chefia.

Eu gostei. Fica tudo mais animado, fora da animação pegada que se espera de Menezes. Também gostei porque compensou a minha depressão mal fui consultar a lista de professores do meu grupo, supostamente a colocar desde o dia 28: era uma lista vazia.

Vou fazer o meu melhor para dar luta a toda a política sacana.
Vou dar o meu melhor para afiar o meu verbo, mas sei que nem sempre evitarei enlouquecer a minha palavra e reptilizá-la: antes de mais, sou Poeta desde as vísceras, um Signo Peixes, e por isso mesmo destinado a um agudo sentido do sofrimento, a um enorme convívio com o produto da sensibilidade que é a Arte.

Abraço
(Desculpa andar a escrever na tua tasca como um Mouro, desculpas?)

joshua

Tiago R Cardoso disse...

pelo que vi tratou-se de uma reunião de noivos, como ele disseram que andaram 12 anos a namorar, presume-se que a seguir será o casamento. Surpreendentemente o Sr. César enviou uns recados ao PM, o que se deve perguntar é qual o significado da mensagem, teria sido no calor da paixão ou teria sido algo mais profundo.
Só falta os Açores irem pelo mesmo caminha da Madeira, mas se calhar Portugal merece mais um Jardim.

Um Momento disse...

Tiago!!!
O que dizes??
Olha as nossas flores que já são poucas:P
Bom dia :)))
(*)

Carol disse...

Mais um Jardim?! Tirem-me deste filme!! Não acredito em mudanças tão repentinas. As pessoas não andam 12 anos quase à chapada, para depois esquecerem tudo e viverem felizes para sempre. Não acredito em contos de fadas. Portugal precisa de muito mais do que Césares e Jardins. Portugal merece mais!
Infelizmente, não vislumbro quem, como já disse o Joshua, esteja disposto a descer do pedestal da ambição pessoal para lutar pelo país e pelos seus interesses. Já perdi a fé...

Quintarantino disse...

Aqui cada um escreve o que lhe apetecer e o quantio lhe apetecer. Por isso, ó Joshua podes escrever o quanto te apetecer.
Afinal, as tascas para que servem senão para se desabafar e dar dois dedos de prosa entre dois copos?
Lá quanto à história de mais um Jardim, não sei para quê... nós não precisamos de nenhum...

JOY disse...

Dando voz a sabedoria popular que diz "Namoro Demorado,Casamento Amaldiçoado"questiono-me qual será a intenção do César de depois de 12 anos á cabeçada com o ditador da Madeira de repente aparecer de aliança no dedo.Que é incomodo para o Sócrates ninguém tem duvidas ,mas será só isso ?

JOY

Fa menor disse...

Quint...
sorry, o tempo anda-me a atraiçoar...
só leio na diagonal, não dá pra deixar comentário decente...
mas desejo um bom fim-de-semana alargado

Fa

Laurentina disse...

E Viva o País do Folclore Permanente...

Será que vai começar a animar a coisa?!

Beijão grande

O Guardião disse...

Afinal parece que a atenção e o controlo de Sócrates começa a afrouxar em relação ao partido, e já não são só os habituais a dar alfinetadas, mas outras vozes internas que surgem de onde menos se espera. É um começo.
Cumps

CARLA disse...

Politica,politica...sinceramente é tudo igual para mim.
Dessa vez só vou deixar meus famosos abracinhos.

Lampejo disse...

Quin,


Então vivamos as ilusões políticas como flores e jardins.
E eles? Vivem de projetos ou se alto projetando e valores destorcidos.

P.S.: Você é poético nos teus comentários e escreves tão bem, gostaria de ler mais coisas tuas.
Quem sabe um poema?
Desculpe é só uma sugestão.

(A)braços....:)

DS disse...

Gostei muito do texto de solidariedade para com o povo birmanês. A maior luta é aquela que se faz sem armas, aquela pela qual marcham todos os homens de paz. Uma luta desigual perante a força bruta, perante a indiferença. Mas que merece continuar até ao fim, até ao último sopro de esperança.

SILÊNCIO CULPADO disse...

QUINT
Obrigada pelas palavras que acho que não mereço. A forma como escrevo actualmente tem tudo a ver com a Pera Manca. A Pera Manca alterou profundamente a minha forma de olhar o funcionamento dos Institutos e Empresas Públicas e a ética (ou falta dela de vários actores políticos). Fui quadro/chefia num organismo estatal onde a alta direcção ia ao estrangeiro, em viagens de serviço nas 2ªfeiras de carnaval (por ex), onde se pagava pelo fundo de maneio compras pessoais nas free shops etc. Houve tempos em que acreditei que estas más práticas tinham mais a ver com a falta de carácter das pessoas que com o polvo que mais tarde vim a descobrir. O mais alto superior hierárquico do Instituto onde eu estava meteu, em contas da empresa, um almoço no Tivoli Terrace, 3 pessoas cerca de 600 € sendo que 300€ diziam respeito a 2 Peras Mancas. A factura chamou-me a atenção exactamente por isso. Nunca tinha ouvido falar que 2 peras(mancas ou não) pudéssem atingir tal valor. (Depois é que me deram uma explicação sobre o que se tratava.) Achando inadmissível que, numa empresa deficitária sustentada pelos contribuintes fossem legitimados comportamentos tão indignos, decidi actuar. Falei com altas instâncias, inclusive com o ministro da tutela.Outras pessoas me apoiaram. Resultado: o alto dirigente,que era do PSD, mas que tinha uma ligação forte a um alto dirigente do PS aguentou Guterres, teve um afastamento temporário com Barroso, voltou a ser recuperado com Santana e, actualmente, está no auge da sua actuação e das suas funções. A mim ninguém me contradisse, todos respeitaram a minha opinião, acharam que eu tinha razão mas trataram de me fazer a vida negra. Tiraram-me funcionários leais e experientes em troca de outros que não prestavam, demoravam tempo a aprovar os orçamentos para a minha área, etc e tal. E como a minha dignidade não tem preço, negociei a saída e bati com a porta. Felizmente a minha sobrevivência não dependia da continuidade naquelas funções. Estes fulanos do poder e dos partidos do poder já não sabem o que é ética há muito tempo.Por isso eu não acredito nas demarcações do Sr.César nem do Sr.Jardim nem destes homens e mulheres da ribalta. Quando não lhes dão o que querem fazem barulho mas, com a maior das facilidades, viram a casaca se lhes interessar. É preciso que tomemos consciência. E é para a formação dessa consciência que eu contribuo contando isto. (Não sei responder rss, mal sei alimentar o blogue. Quis copiar o post (é post?) dos deficientes e não consegui fazê-lo como deve ser. É que havia coisas que eu tinha quem me fizesse e agora é que estou a tentar aprender).

Quintarantino disse...

Você, minha cara, não se cale. Nem deixe de persistir.

Márcio disse...

Isto só me faz rir, às gargalhadas! Acho que deveriam fazer buscas à casa do César... estou desconfiado que há lá prendas muitas suspeitas!

Quintarantino disse...

Ui, que é que tu sabes que nós não sabemos? Conta... conta...

Márcio disse...

Sabe que cada um tem as suas fontes... ;D É só uma sugestão... mas eu não disse nada LOL