No desemprego batemos Espanha, o pior é o resto!

Mais um bocadinho e estaremos lá.
Lá é o primeiro lugar num campeonato onde a disputa mais ardente se faz para os lugares de baixo.
É verdade, aqui estar no pelotão da frente, por incrível que pareça, significa estar nos lugares da cauda.
Quanto mais para cima, pior.
Mas o tipo está a debitar sobre o quê, interrogam-se já alguns dos meus assíduos leitores.
Ora, do facto de pela primeira vez em duas décadas estarmos à frente de Espanha.
Custou-nos muito, foi quase o cumprimento da promessa de Churchill de sangue, suor e lágrimas, mas chegámos lá.
Em Julho tínhamos a taxa de desemprego nuns modestos 7,5%, mas num ápice, num mês apenas, subimos 1,2% elevado a fasquia para os 8,3%.
Tomai que é para aprenderdes, podíamos gritar a plenos pulmões.
Foi por uma unha negra, por uns míseros 0,3% mas ficamos à frente.
E foi ainda por uma unha negra que não superámos a Grécia (aqueles 0,1% a mais) e a França (0,3% a mais que Portugal), mas até ao fim do ano vamos lá.
E com um jeitinho ainda arranjámos maneira de superar os 9,1% da Polónia e os 11,1% da Eslováquia.
Quê? Queiram os leitores perdoar-me, mas tenha ali a minha cara-metade a chamar-me… Quê? Que foi, que estás para aí dizer?
Ó diabo, tens razão…
Vocês desculpem lá, foi a emoção do momento. Entusiasmei-me e nem me apercebi que estava a falar do desemprego.
Um flagelo social que a todos deveria preocupar, mas que a avaliar pela reacção do nosso habitualmente prolixo ministro da Economia, Manuel Pinho, pouco mais merecerão que silêncio da sua parte.

18 comentarios:

Quintarantino disse...

Afinal, há razões para optimismo.
Acabo de ver o ministro Vieira da Silva (na RTPN) a salientar que estamos em divergência com a União Europeia, mas que importante é realçar a estabilização.
Tem razão, muita até.
Estabilizamos em tudo (ou quase) para baixo. Por isso no desemprego só estamos a ser coerentes.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Olha Quintarantino tu deixa lá o Manuel Pinho que prometeu construir 10 barragens para... (suponho que para armazenar a água que ele mete).
Relativamente ao desemprego há muito que ultrapassámos todos os países. Nunca ouviste dizer que a estatística é como um biquini (mostra coisas interessantes mas esconde o essencial)?

Quintarantino disse...

Mas ó amiga, o essencial deve estar assim recatado para nos podermos põr a adivinhar... no biquino, claro... que quanto ao Pinho...

Zé Povinho disse...

O desemprego aumenta e nós já quase conseguimos superar todos os outros, POR RAZÕES ÓBVIAS.
Diabo, estava mesmo desejoso de utilizar esta frase tão em voga, na boca dos nosso políticos. É óbvio que eles são uns inaptos, mas isso é outra conversa.
Abraço do Zé

Tiago R Cardoso disse...

Quando ouço noticias deste calibre fico bastante satisfeito, só prova que, conforme dissestes somos os maiores, se não somos estamos a caminho. A perspectiva governamental vai ser a historia do copo meio vazio ou meio cheio.

antonio disse...

Acima de tudo não existe alternativa e o défice está controlado! Do que é que vocês se queixam? Ingratos!

adrianeites disse...

em sintonia com o guardião...

estamos fod... com o desemprego..

Tiago disse...

Nunca fomos um país rico, é um facto! Mas ao menos há 6 ou 7 anos tinhamos um dos níveis de desemprego mais baixo! Agora... até nessa estatística má estamos à frente! Nem quero pensar onde vamos parar!

Márcio disse...

Confesso que dei umas boas gargalhadas com este seu texto... acho nem era para menos!
Bem... a verdade, é que eu vejo pessoas a rejeitarem empregos, e nos jornais uma lista "Procura-se Trabalhadores"! E se calhar, é aqui que reside o principal problema do português... não quer trabalhar, quer arranjar empregos!
No entanto acredito que iremos atingir os objectivos propostos do governo (ou pelo menos, ficar muito próximos).

NINHO DE CUCO disse...

O desemprego é das maiores catástrofes sociais pois não tem implicações apenas económicas, tem implicações de realização pessoal muito profundas. Recordo-me de me terem contado que numa das empresas da margem sul que despediu um grande número de trabalhadores, esses trabalhadores despedidos não disseram aos vizinhos e a outras pessoas que não tinham trabalho. Saíam todos os dias de casa, à mesma hora, e sentavam-se à porta da empresa só regressando a casa ao final do dia.

CARLA disse...

O Brasil tem 7,6 milhões de desempregados segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio de 1999 (PNAD-1999). Ele fica em terceiro lugar em número de desempregados no mundo. Acima dele estão a Índia, com quase 40 milhões, e a Rússia com 9,1 milhões.
Não sei onde iremos parar...Mas espero que tudo melhore.
abracinhos

SILÊNCIO CULPADO disse...

QUINT
Só pensas no Pinho. Ando desconfiada que estás a magicar produzir um filme de humor e que queres convidar o homem para actor principal. Olha que era um êxito de bilheteira garantido e em época de crise...
Não, o que está escondido não tem a ver com Sua Excelência o Ministro Manuel Pinho. O que está escondido, pela estatística, são os valores reais do desemprego que são bem superiores aos apresentados visto haver todo um conjunto de situações que não são contempladas no conceito de "desempregado".
(Deixei-te umas palavritas no meu blogue).

Joshua disse...

Habituámo-nos em Portugal a ver na taxa de desemprego do país vizinho um daqueles problemas tão longíquos como indesejáveis.

Agora que ultrapassamos a Espanha nesse particular e em mais nenhum outro, percebe-se que alguma coisa não está mesmo nada bem por cá: o Fisco do ex-Paulo Macedo cruza os dados e aperta o gasganete a quem está mais que de rastos, aos pequenos, às famílias endividadas e falidas, esmagadas de spred e do caralho (não cruza dados com os blindados ficheiros dos Bancos que acoitam tão comprometedora informação sobre hipotecas, escrituras manipuladas a seu favor, lacunares e mentirosas com as quais os Bancos eram coniventes e promotores da Evasão Fiscal por parte das construtoras, por que será?) instituindo muitas injustiças.

Ouve-se falar de cortes e mais cortes, cortes sem costura, por todo lado. Suprimem-se serviços essenciais, fecham-se escolas, falem médias empresas. Dezenas de mulheres e homens vêem-se, num ápice, numa queda livre desesperante.

E isto apesar do quanto os nossos governantes se vergam perante os regimes mais petro-suínos e -humano-brutais.

No tempo de Cavaco, em que sobretudo se falava o economês, sentia-se mais imaginação para captar o investimento estrangeiro em certa altura pelo menos... Hoje...

Por cá, anda-se a garimpar os trocos dos nossos bolsos até que deseperemos, certamente.

Estou desempregado, Taratino, e é uma coisa cíclica tipo ano sim, ano não. Tenho tido tempo para meditar e muitas vezes para me revoltar perante as desigualdades abissais que se cavam em todos os sentidos no nosso país.

Agarrei-me ao meu blogue como a projecto-tábua de salvação perante a inconstância de tudo, quer criando, espumando de raiva, quer pedindo clique-apoio, solidariedade limpa e barata para quem queira ajudar.

Antes sentia-me isolado, desconhecido e só no meu sítio. Hoje, contigo, com tantos e bons amigos que todos os dias faço e me fazem a mim, começo a ter esperança porque estamos todos unidos.

A ironia de isto é que eu é fui encontrado quando mais procurava amigos e comunhão de luta, fui encontrado por ti, fui encontrado pelo Tiago para, juntos, fazermos esta luta que é blogar por verdade todos os dias.

Aquele Abraço

O Guardião disse...

Obviamente, demitia essa corja!
Para que falamos do Pinho, se outros que cometem menos gaffes no discurso, também nos lixam a força toda? Este socialismo, mais liberal do que a social democracia que temos por cá, faz-nos a cama e o pessoal tarda em abrir os olhos. Mais grave ainda, não vejo nenhuma oposição credível e os partidos mais parecem albergues espanhóis. Por lá só andam tipos à procura de tacho, haverá excepções, mas nunca tropecei com nenhuma.
Cumps

JOY disse...

Carissimo amigo Quintarantino ou muito me engano ou o atrasado mental do Vieira da Silva será o mais que certo próximo desempregado , vai uma aposta ?

JOY

C Valente disse...

Amigo está tudo bem???? para os deputados e governantes, falm do desemprego como numeros esquecem-se das pessoas
saudações amigas

Mia - Castelo da Mia disse...

eu fartei-me de ler...aprender ... este texto..só ainda não tinha comentado.... nem imaginam o que me comove saber que alguém está desempregado. Já vivi muitas situações dessas devido ao trabalho que executo, e é arrepiante, mesmo graças a Deus, não o sentindo na pele.
Fiquei deveras comovida com o testemunho do Joshua, só espero que a vida dele melhore e encontre definitivamente um emprego.
Um grande beijinho de esperança a todos os desempregados
Mia

Um Momento disse...

Uma realidade do dia a dia...
Cada vez para pior...
daqui a pouco... em tudo
Bom dia
(*)