Barulho? PCP e satélites! Aqui no Notas? Silêncio! E de ... classe

O estilo, a capacidade de afirmação e a elegância no trato são marcas distintivas de comportamentos. De comunicação. E de políticas.
Ontem, em Montemor-o-Velho, foi oficialmente apresentado um investimento de 64 milhões de euros, gerador de 200 postos de trabalho directos e destinado à produção de baterias de hidrogénio. Estes números estão sujeitos a rectificação. Por duas ordens de razão: pode a memória ter-me falhado ou as coisas na realidade virem a revelar-se menos cor-de-rosa, particularmente no que concerne aos postos de trabalho a criar.
Nas imediações um grupo de sindicalistas preparava uma recepção ao Primeiro-Ministro. Segundo um dirigente da FENPROF só lá estavam para entregar uma carta. Nunca percebi, confesso, esta mania de entregar cartas em mão.
Se é para isso, falem. Ou então mandem-nas via postal!
A GNR, zelosa, e certamente mediante ordens, mandou recuar a maralha e confiscou tarjas. E logo se ouviram gritos de “fascistas”, “25 de Abril sempre”, “fascismo nunca mais”.
O Primeiro-Ministro, num registo que já conhecemos noutros titulares do cargo, atirou-se ao PCP.
Eu, por exemplo, não me atiro a ninguém em particular.
Acho mal que, no caso da manifestação ter sido autorizada nos termos legais, tenham sido impedidos lá os sindicalistas de entregarem a carta.
Acho mal que, para se entregar uma carta, se tenha de ir em magote, com bandeiras e tarjas.
Acho mal que não se mandem as cartas via postal.
Acho mal que só se conheça um registo de protesto que assente a tecla no fascismo e no 25 de Abril, pois podiam lembrar-se do comunismo e da unicidade sindical que quiseram impor.
Mas, como vos dizia, tudo isto resulta da falta de classe e de estilo das partes envolvidas.
Basta ver que aqui mesmo, no “Notassoltasideiastontas”, se procedeu a uma contratação daquelas que no mercado futebolístico se dizem “de última hora”, sonante, de bastos requisitos e sem ponta de escarcéu. É verdade, a partir de ontem aqui neste blogue debita-se um Silêncio Culpado. Temos a certeza que será do agrado. Dos leitores e dos comentadores.

24 comentarios:

SILÊNCIO CULPADO disse...

No período conturbado que atravessamos é importante pôr os pontos nos ii em alguns aspectos e, digamos que, um ponto de ordem noutros. A revolta é legítima e a liberdade de manifestação tambèm. Porém, e sempre aprendi ao longo da minha vida, que a forma como fazemos as coisas determina quase sempre a sua aceitação. Podemos ter muita razão e perdê-la pela forma como a expressamos. Insultar publicamente um Primeiro-ministro, em frente a câmaras de televisão que mandam imagens para todo o mundo, é a todos os títulos reprovável.
Quanto à participação do Silêncio Culpado neste blogue deve-se ao facto de pretender reforçar a solidariedade entre aqueles que pugnam pela verdade e pela justiça e não ao facto de haver necessidade, por parte do Notas Soltas, Ideias Tontas, de ter mais um ajudante. O Notas Soltas não precisa disso. Tem uma personalidade e uma distintividade muito próprias, e que eu não quero de forma alguma diluir e a qualidade das suas postagens é indiscutível. Porém, em termos de traço de união de sensibilidades homólogas na blogosfera, nada é demais. Por isso aqui estou.

David Alves disse...

De certeza que o Silêncio Culpado não irá defraudar as expectativas de ninguém...

Quanto ao texto, a história de facto repete-se. Quer de um lado quer do outro...Mais do mesmo. Por isso é que as coisas vão ficando assim neste banho-maria...

Carol disse...

Depois de ver um manifestante a dizer, e passo a citar, «Srº Ministro, vá para o Técnico que o pariu!» não posso esperar grande coisa destas manifestações contra o Governo, nem daqueles que as promovem.
Os motivos da GNR não os sabemos, poderão ter sido legítimos ou não, mas uma manifestação verdadeiramente democrática, na minha opinião, pauta-se pelo civismo dos seus intervenientes. Não penso que o insulto fácil e palavras de ordem já gastas, sejam o caminho que o país deve seguir. E se esta é a alternativa que nos apresentam, não sei se a quero aceitar.

Carol disse...

Que o Silêncio Culpado se faça ouvir, alto e bom som, são os meus desejos. Gosto da forma como escreve e partilha os seus pontos de vista.

7 Pecados Mortais disse...

Amigo Quintarantino, aceito tudo o que disses, mas em tom irónico eu comento, e se a tal carta que referes se extravia? Quanto à parceria com Silêncio Culpado transcrevo o que deixei no blogue do Silêncio C. -- Conforme me deste os Parabéns por fazer parceria com "Valores Portugueses" o mesmo faço, dizendo que a União é perfeita e faz a Força. Todos os blogues têm a sua marca, nascença, mas é de enaltecer sempre a junção de valores fundamentais. Já vi que o blogue é bom, mas mais uma "pitada" de qualidade a acrescentar não faz mal a ninguém, antes pelo contrário, enriquece o verdadeiro valor do bom gosto e de quem sabe comentar. E quem mais não do que tu para participar neste maravilhoso mundo. Aquele abraço, beijo pecador.---Meu amigo, é uma estreia a minha presença, mas vou voltar.

Lampejo disse...

Quin,

Palavras escritas-e lidas com presença.

Quanto à parceira:

É assim mesmo quando estamos felizes as coisas bonitas
estão em maior número, mesmo que seja uma só.

Parabéns aos dois!

(a)braços e boa sorte no teu blog :)

Um Momento disse...

Ora muito bom dia:))))
Já volto daqui a umas horas, para colocar a minha leitura em dia:))
Agora queria que passases no meu Momentos(http://somomentos.blogspot.com/)pois tenho lá uns miminhos ( todos eles) que te quero ofertar.
Não os postei no Pensamentos pois lá é assim mais "secretozinho":))
Portanto gostava imenso que os aceitasses, postar/atribuir ou não é de tua livre vontade :)))
Deixo um beijo com carinho e Amizade
Dia muito lindo ...e até já
( já volto para te dedicar o tempo que me mereces, com atenção)
:)))
(*)

Crítica e denúncia disse...

Vim conhecer as Ideas soltas e dar os parabens ao amigo silêncio Culpado que veio dar seu toque de inteligência juntada ao autor das Ideas...bom, isto vai resultar em algo muito especial, creio eu !
Parabéns aos dois e vamos em frente. Grande abraço duplicado de Alda Inacio

Fa menor disse...

Não venho comentar o post...

Ah, ah!!! Mas agora vou-me vingar!... no meu estaminé...

Espreita!...lol

migvic disse...

Já reparei nessa contratação. Por segundos pensei serem a mesma pessoa, tu e o silêncio.

Relativamente as cartas entregues em mão, se a moda pega, o homem têm, doravante, andar com um carteiro atrás.

Quanto ao teu comentário, sabias que os meus filhos são gémeos?

adrianeites disse...

socrates é um produto que usa sempre a mesma estratégia de mercado..

os consumidores é que já não querem muito mais...

Joshua disse...

O que eu gostava mesmo é que nem sequer houvesse fundamento para protestos por haver amplos consensos e a sensação de justiça praticada.

Não existem: e eu protesto em silêncio inocente todos os dias, blogando, escrevendo como um doido, sem fim de semana e sem feriados, ó Tarantino, completamente absorvido a tentar crescer e certamente desabafando.

Não é o espectáculo de rua o que resolve Portugal nem é com invectivas gastas nem é dando pancada no PC. A honestidade e a boa fé é que faltam por toda a parte.

Só com uma democracia mais participada ou, como eu gosto de dizer, mais comparticipada é que tudo nos será possível.

O que é bom é bom. O que é mau é mau. Tenho críticas e tenho ressalvas a fazer quando considero a acção governativa, mas a verdade é que o espírito de este governo tem sido negro e confrontativo.

Certamente que estão a ser moralizadas muitas dimensões de Portugal que eram passíveis de abusos e aproveitamentos, mas globalmente falando, há uma larga maioria a ser comprimida entre o nada e o abismo.

Com a Silêncio Culpado estão reforçados a qualidade e continuidade da tua pertinência tarantina.

Abraço

Márcio disse...

Em relação às cartas acho que sim... tem razão!

Tiago R Cardoso disse...

Tomara o carteiro que passa lá por casa fizesse tanto barulho como os senhores manifestantes e eu não tinha de andar atrás dele para devolver as cartas erradas que entrega.

Infelizmente o sindicalismo actual perdeu a sua independência, quando vemos os seus lideres ou representantes evolvidos com actividades de partidos, pomos em causa os seus objectivos.

Diga-se que a contratação da silencio culpado se trata de uma grande aquisição.

NINHO DE CUCO disse...

Um texto de grande categoria Quintarantino é só isso que te sei dizer e, exactamente por isso nada mais tenho a acrescentar. Quanto à contratação do Silêncio Culpado é uma prova de liberdade, de respeito e de força. É isso que é ser livre.

Leena disse...

Hello Quint :)
I came here by your linked name and
put AltaVista to translate your text, BUT . . .:))
Of course, I understood something, but perhaps I am not able to very clever discussion by this translation.
But thank you for taking your time and commenting on my blog!
Have a happy week!

In English:
ncio! E of... classroom The style, the capacity of affirmation and the elegance in the treatment are distinctive marks of behaviors. Of communication. E of politics. Yesterday, in Montemor-o-Velho, officially an investment of 64 million euros was presented, generator of 200 ranks of work direct and destined to the production of hydrogen batteries. These numbers are citizens the rectificação. For two orders of reason: the memory can have me failed or the things in the reality capsize to show less rose, particularly in that it concerns to the work ranks to create. In the immediacy a group of syndicalists prepared a reception to Primeiro-Ministro. As a controller of the FENPROF only was there for delivering a letter. I perceived, never I confess, this craze to deliver letters in hand. If it is for this, speak. Or then they order them by postcard! The GNR, zealous, and certainly by means of orders, ordered to withdraw maralha and confiscated tarjas. E shouts of "fascists" had soon heard, "25 of April always", "fascism never more". Primeiro-Ministro, in a register that already we know noutros titular of the position, shot it the PCP. I, for example, do not shoot myself to nobody in particular. I find badly that, in the case of the manifestation to have been authorized in the legal terms, the syndicalists to deliver the letter there have been hindered. I badly find that, to deliver a letter, if it has to go in magote, with flags and tarjas. I find badly that the letters are not ordered saw postcard. I find badly that only if it knows a protest register that seats the keyboard key in the fascism and the 25 of April, therefore could remember the communism and the syndical unicity that had wanted to impose. But, as it said you, everything this results of the lack of classroom and style of the involved parts. It is enough to see that here exactly, in the "Notassoltasideiastontas", if it proceeded to a act of contract from those that in the football market if say "of last hour", sounding, of requisite bastos and without tip of it escarcéu. It is truth, from yesterday in this blogue debits a Guilty Silence here. We have the certainty that it will be of the affability. Of the readers and the commentators.

Käännä uudelleen
ncio! E de ... classe O estilo, a capacidade de afirmação e a elegância no trato são marcas distintivas de comportamentos. De comunicação. E de políticas. Ontem, em Montemor-o-Velho, foi oficialmente apresentado um investimento de 64 milhões de euros, gerador de 200 postos de trabalho directos e destinado à produção de baterias de hidrogénio. Estes números estão sujeitos a rectificação. Por duas ordens de razão: pode a memória ter-me falhado ou as coisas na realidade virem a revelar-se menos cor-de-rosa, particularmente no que concerne aos postos de trabalho a criar. Nas imediações um grupo de sindicalistas preparava uma recepção ao Primeiro-Ministro. Segundo um dirigente da FENPROF só lá estavam para entregar uma carta. Nunca percebi, confesso, esta mania de entregar cartas em mão. Se é para isso, falem. Ou então mandem-nas via postal! A GNR, zelosa, e certamente mediante ordens, mandou recuar a maralha e confiscou tarjas. E logo se ouviram gritos de “fascistas”, “25 de Abril sempre”, “fascismo nunca mais”. O Primeiro-Ministro, num registo que já conhecemos noutros titulares do cargo, atirou-se ao PCP. Eu, por exemplo, não me atiro a ninguém em particular. Acho mal que, no caso da manifestação ter sido autorizada nos termos legais, tenham sido impedidos lá os sindicalistas de entregarem a carta. Acho mal que, para se entregar uma carta, se tenha de ir em magote, com bandeiras e tarjas. Acho mal que não se mandem as cartas via postal. Acho mal que só se conheça um registo de protesto que assente a tecla no fascismo e no 25 de Abril, pois podiam lembrar-se do comunismo e da unicidade sindical que quiseram impor. Mas, como vos dizia, tudo isto resulta da falta de classe e de estilo das partes envolvidas. Basta ver que aqui mesmo, no “Notassoltasideiastontas”, se procedeu a uma contratação daquelas que no mercado futebolístico se dizem “de última hora”, sonante, de bastos requisitos e sem ponta de escarcéu. É verdade, a partir de ontem aqui neste blogue debita-se um Silêncio Culpado. Temos a certeza que será do agrado. Dos leitores e dos comentadores."

Jasmim disse...

Bem o título do blog é cativante. o texto espectacular.

NÓMADA disse...

Relativamente à manifestação concordo plenamente com o conteúdo do texto que, alás, tem grande qualidade.
Quanto à parceria acho muito interessante porque também eu contratei os 7 Pecados Mortais, sem o conhecer para além do blogue, e a experiência tem sido muito gratificante. Cada pessoa acrescenta sempre algo e ajuda-nos a ver sob prismas diferentes o que é muito bom.

Crítico disse...

Em relação ao conteúdo do post abtenho-me de comentar. Sempre a mesma coisa. Será que alguém ainda suporta estas duas entidades? Governo e Sindicatos.
Quanto à contratação sonante, essa sim merece destaque em letras garrafais.
Cumprimentos.

C Valente disse...

Nada evoluiu as cassetes s�o as mesmas, e isto tanto para sindicalistas como para o 1�ministro parecia um rebobinar:
As mesmas palavras as mesmas tarjas, as mesmas acusa�es triste pa�s, o tempo parou .
Sauda�es amigas

O Guardião disse...

Eu penso que a manifestação é um direito para se exercer com civismo. Quanto às cartas, concordo em princípio, mas na prática ou se extraviam e ficam sem resposta, ou então vem a treta do "estamos a analisar" ou "foi remetido às entidades competentes".
Quanto às contratações, são de peso. Será que não há mais nenhuma na manga? Isto agora parece uma federação... eheheh
Cumps

Bruno Pinto disse...

Sobre este post, subscrevo por completo o primeiro comentário produzido nesta caixa. E concordo que até para fazer um protesto, sempre legítimo, é preciso uma dose de classe e outra de estilo.

João Rato disse...

O poder da televisão não pode servir apenas ao poder. Por isso, é natural que, mesmo em bicos de pés, os que contestam o poder, tentem de formas mais ou menos inteligentes a luz das câmaras.
E ao que parece a coisa resultou, o Sócrates alinhou na ratoeira de atirar com a velha culpa dos papões comunistas.
Embora aceitando as formas esgotadas das lutas e das acções sindicais, não posso deixar de realçar a forma desajeitada das respostas e das acções do Primeiro.
Afinal de contas, quem tem técnicos de estratégia, de imagem e de marketing ao seu serviço é o governo. Esperava-se que utilizassem melhor os dinheiros públicos.
Um abraço sindical

Um Momento disse...

Realmente..
Ás vezes uma carta registada com aviso de recepção resolveria tanta coisa...
Mas por vezes essa mesma carta é recebida e "pousada" na secretária pois vale o "esquecimento"
Enfim , sempre um" prego de dois bicos"
Muito boas vinhas ao Silêncio Culpado, e que no seu silêncio a mim não me culpe:)))))))))
(brinco)
Beijinho
(*)