É uma "luso" ponte com toda a certeza...

Recentemente, uma das pessoas que faz o obséquio de espreitar os escritos que por aqui vou semeando perguntava-me, em jeito de crítica, porque é que não apontava também as virtudes das coisas, dos acontecimentos, das pessoas e do que escrevia em vez de me concentrar apenas no negativo.
Como na altura dei a resposta que tinha por conveniente, encerrei o assunto. E assim permanecerá. Só puxo o assunto para tentar demonstrar que, face a certas coisas, é virtualmente impossível deixar de falar mal. De dar razão ao que se escreveu na descrição deste espaço.
Portanto, e como está na hora do veneno, não é que em 1994, com direito a decreto-lei e tudo, alguém se lembrou de garantir que uma empresa ficasse com o exclusivo de todas as pontes construídas futuramente a Sul de uma que entretanto se construiu?
E não é que, em 2000, ano em que se reviu o acordo entre o Estado e essa empresa ninguém parece ter reparado na tal cláusula?
E que agora, quando se fala numa nova travessia rodoviária, alguém se lembrou de dizer que ou a nova ponte é para a dita empresa ou então o Estado paga com língua de palmo as viaturas que deixem de passar na ponte antiga?
Confuso?
Deixem lá. Se eu lhes disser que em 1994 o Primeiro-Ministro era Cavaco Silva, em 2000 António Guterres, que a ponte antiga é a Vasco da Gama, a nova ponte tem a ver com o novo aeroporto e o TGV, que o ministro das Obras Públicas em 1994 é hoje presidente do Conselho de Administração da empresa com o exclusivo das pontes, e que essa pessoa se chama Ferreira do Amaral, vocês o que mais querem que lhes diga? Como? Ah, o nome da empresa? Lusopontes. Mas tudo isto é certamente um enorme mal-entendido e que será oportunamente explicado.

23 comentarios:

Mia - Castelo da Mia disse...

Querido amigo
É verdade que dizer bem, é tão importante como contestar. Só que o que está bem, bem está. E tu muito bem fazes em chamar a atenção do que está mal. Pois só assim com criticas construtivas o que está mal poderá ser melhorado.
Se caso não melhorar, pelo menos, que, para quem passa um pouco ao lado, que sinceramente era o meu caso e desde que te leio, estou muito mais alerta ao que se passa com aqueles que nos governam, e que deveriam ser um exemplo e não motivo de criticas constantes, como é tão habitual na nossa imprensa
Um beijinho de alguém que de politica é um zero à esquerda, mas se começa a interessar, e mais vale tarde do que nunca.
Mia.

Lampejo disse...

Quint,


Este teu espaço é um céu aberto.

Contigo faço jus ao veneno.

(a)braços...:)

Fa menor disse...

Mal entendido... sim!!!! bota mal entendido nisso, pois!

O "veneno" não vai fazer mudar nada, podes estar certo, mas ao menos desabafa-se!

Continua!

Zé Povinho disse...

Não é preciso explicar, eu só queria mesmo era entender.
Abraço do Zé

Tiago R Cardoso disse...

Comecei à poucos dias a fazer uma colecção, para o miúdo, dos cromos do futebol e estão sempre a sair-me os mesmos cromos, ao ler este post fiquei com uma sensação "deja vu".
Será que ninguém tem por ai cromos novos, para colocar na caderneta da politica nacional ?

DS disse...

Será que é engano meu? Os dirigentes de um povo não deveriam estar ao serviço do mesmo? Será que eles se esqueceram da definição da palavra democracia?

antonio disse...

Realmente uma coincidência... e eu a pensar que tinha sido só com o Pina Moura!

E depois os direitos adquiridos da Lusoponte são superiores aos meus como trabalhador por conta de outrém! Lá se vai a livre concorrência! O mercado global! E toda uma série de bons princípios que se aplicam a mim...

antonio disse...

Quint, obrigado pela correcção lá no meu sítio, tinha trocado os Amarais!

NINHO DE CUCO disse...

Sabes muito Quint e ainda bem que esclareces. Para entorpecer a nossa cornadura já temos a propaganda do governo.

Joshua disse...

És o verdadeiro Quentin Tarentino da blogosfera.

Tiago R Cardoso disse...

Esta foi boa.

migvic disse...

Isto só acaba quando as pessoas começarem a responder judicialmente por erros de administração pública.

Quint disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Quint disse...

E com esta é que o Joshua me deixou de cara à banda!

o guardião disse...

Falar mal dos monopólios? Caro Quintino, isso só é permitido quando os monopólios são controlados pelo Estado. A iniciativa privada é sempre apoiada pelos governantes portugueses, que só por mera coincidência, vão depois repousar os ossos, (ou serão ócios?) nas mesmas empresas, que por acaso, ganharam concursos referentes a grandes negócios onde, também por acaso pontua a assinatura dos ditos. É mera coincidência, amigo, e garanto-lhe, que direitos sobre uma parte do território, como no caso vertente, são apenas mais uma coincidência, lamentável é certo, mas da inteira responsabilidade da senhora da limpeza.
Cumps

SILÊNCIO CULPADO disse...

QUINT
Acabo de atribuir-te, no meu blogue, o prémio "VISITANTE" que se destina a distinguir, pela assiduidade e qualidade, os melhores comentaristas. Nada do que se faça tem valor se não for lido e compreendido. Tu tens sido dos melhores contributos enriquecendo os diferentes espaços de opinião com visões, críticas e conhecimentos profundos das matérias.És uma mais valia na blogosfera e eu orgulho-me de te ter como visitante até porque considero que "ideias e acção" não estão em desuso, antes pelo contrário, terão cada vez mais razão de existir face a um mundo estagnado de valores e fértil em injustiças. A exposição das tuas ideias nos diferentes espaços já são uma força e acredito que todos juntos faremos a diferença. Gostaria que continuásses a corrente do prémio VISITANTE de forma a incentivar a crítica e a leitura das postagens.
Um abraço

Laurentina disse...

Olha mas afinal ainda não te deste conta que o 25 ja la vai ha muito?!
Vê la se tens mas é cuidadinho cu a lingua quinda vais pó olho da rua ...
Ainda hoje em conversa com uma amiga no meio da rua ,eu chamava ao Socretino... " esse gajo é um grande filho de um comboio de p...s", alguém ia a passar e muito indignado me disse olhe la se não lhe cai nada em cima sua estupida ...

Eheheheheheheheh, e não é que imediatamente me cagou uma pomba na cabeça , ahahahahahahah fiquei lixada porra.

Mas vou continuar a insultá-lo e a criticar a corja deste desgoverno de parasitas.

beijão grande

João Rato disse...

É só coincidências, sempre os mesmos nomes e apelidos, no governo, nos bancos, nas empresas públicas, nas grandes empresas, nos negócios de monta, nas televisões, nos portões das grandes mansões, na imprensa cor de rosa, laranja, cinzenta...
É só coincidências...

Carol disse...

Não sejas assim! Olha que não foi para andares sempre a falar mal das pessoas que a nossa mãezinha te educou! Parece impossível... que não tenham percebido que, sem ti e os teus posts, a malta andava à nora. Eu, pelo menos, começei a estar muito mais atenta e a perceber algumas nuances da política nacional.

Carol disse...

E, Joshua, grande elogio esse!

SIMPLESMENTE.... C disse...

Quint,dá-lhe homem bom de de briga!!
abracinhos lindinho...

missixty disse...

Como disse alguém que foi ao meu blog, não somos melhores que Àfrica, a única coisa em que diferimos, é que nos encontramos no Continente Europeu!Creio que há mais corrupção hoje em dia que antes do 25 de Abril,mas o pior DE TUDO, é que dantes só o povo era pobre, agora é o povo e o Estado! Pelos menos ainda tinhamos os cofres cheios e agora nem vintém!TÁ TUDO FOD.....!!!!
Desculpa lá a linguagem, eu até nem costumo usar palavras tão grosseiras para me expressar, mas penso que o assunto em causa é merecedor!
Só falaste no Talking Heads, mas vi mais afinidades, Bowie, Prince, etc!Musica brasileira sou sincera, tenho uma certa fobia, dela e deles! Temos aqui em Portugal 60 mil mulheres brasileiras a prostituirem-se e a arruinar ainda mais os bolsos dos desgraçados portugueses...que são burros todos os dias!

beijos miss

SILÊNCIO CULPADO disse...

A crítica quando bem fundamentada poderá servir para duas coisas úteis: uma a de alertar as consciências adormecidas e outra a de proceder a correcções que possa haver lugar. Como não podemos corrigir os senhores que estão no cimo do poder e que cada vez se distanciam mais do Portugal profundo, temos que criticar para que as vicissitudes do sistema apareçam tal como são.
Relativamente aos lóbis instalados eu andei lá por perto quando trabalhava por conta de outrém e tive que sair para não pactuar. O Quint tem razão mas nunca se consegue provar nada e quando se consegue mandam-nos meter a viola no saco e fazem desaparecer as provas e arranjam aliados contra nós. Todos os meus colegas que quiseram ser transparentes foram lixados.