"Asneadas" da nossa polítiquice

“Há dois anos e meio os portugueses julgavam que o Primeiro-Ministro era invencível e que o Governo estava para durar. Dois anos e meio depois muita coisa mudou”, disse Marques Mendes lá para Castelo de Vide.
E tem toda a razão. Toda. Aliás, deve ser por isso que lidera todas as sondagens!
Acenou ainda à Nação com um cerrado ataque por causa da carga fiscal. A Nação, embevecida, agradeceu. E recordou que no Governo nada do que agora exige, fez!
“Os socialistas estão a transformar o Fisco num fundamentalismo, cobram, notificam, multam, voltam a cobrar todo o que é possível” criticou Paulo Portas.
Pois é… Paulo Portas podia era ter dito ainda que se a máquina funciona assim também é em parte por causa de um certo Paulo Macedo que foi para o Fisco quando o crítico estava no Governo. Quer dizer, o PS limitou-se a aproveitar a boleia…
“Tem mais medo do socialismo do que um gato de água fria” acusou Louça, referindo-se a Sócrates.
Consta por aí que ainda houve quem o conseguisse ouvir murmurar “… mas quem me dera que ele ainda um dia precisasse cá do Francisco…”.
Jerónimo de Sousa, fino, guardou-se para o próximo fim-de-semana. De qualquer maneira, sempre nos garantiu que na Festa do Avante não há cá FARC´s nem meias FARC´s…
E o Governo? Não faço a mínima e assim é que estamos bem.

12 comentarios:

Euzinha disse...

E assim continuaremos...

Belas citações lá no ao fim do dia.
Um bom começo de trabalho
Beijinho
E.

o guardião disse...

Mais do mesmo, com as habituais cambalhotas discursivas, mas sem nada de novo para apresentar.
Precisamos de políticos diferentes, para que a Política (com P grande) esteja ao serviço dos portugueses.
Cumps

SILÊNCIO CULPADO disse...

Os partidos são "revolucionários" quando estão na oposição. Quando passam a partidos de poder toca a fazerem o que antes criticavam. Os portugueses descrêm, não vão votar e deixam que tudo role exactamente na mesma. Qualquer dia o partido vencedor vai para o poder com 20% dos votos que, mesmo assim, lhe dão a maioria absoluta porque 70% não votarão. É importante por isso despertar a consciência colectiva para os reais problemas que se abatem sobre a maioria da população. E sobre a liberdade de espressão consagrada na nossa constituição, e que mereceu um comentário da tua parte no meu sítio, vou confessar-te o seguinte: escrevo às vezes pequenos textos e artigos de opinião para jornais e revistas. São sempre publicados. Um dia escrevi um artigo em que transcrevia o artigo 36 da Constituição e... não me publicaram. Escrevi outro artigo diferente para outro media e voltei a transcrever o artigo 36 e...também não publicaram. Experimentei a comentar alguns on-line e transcrever o tal artigo e....nada.Claro que ninguém assume que foi por isso. Assim criei o "silêncio culpado" em que o artigo 36 estará logo à cabeça enquanto o blogue existir. Como vês há um longo caminho a percorrer. Mas há quem queira percorrer e isso é gratificante.

SIMPLESMENTE.... C disse...

Estamos todos ferrados..haha..
abracinhos...

Ema Norte disse...

:)Grande música...

SIMPLESMENTE.... C disse...

abracinhos..

Tiago R Cardoso disse...

Concordo em geral, com o amigo Quintino, atenção eu disse em geral, mas notei que hoje acordou um pouco rosa, já tinha notado no teu comentário no meu blogue.

quintino disse...

Tiago, penso ter sido perfeitamente claro desde o início deste projecto que "mon couer balance à la gauche...".
Procuro, isso sim, ser imparcial nas análises que faço.
Admito que nem sempre o consiga, mas...

quintino disse...

... e no resto remeto para o comentário do nosso amigo comum "silêncioculpado".
Aquilo que o PSD hoje promete, nunca cumpriu quando lá esteve.
E o CDS/PP?
Factos são factos, evidências são evidências.

antonio disse...

Estes rapazes só se assustam se virem o partido comunista a subir nas votações. Não digo que o PC seja a solução, mas o que não é bom para toda esta escumalha, na medida certa, parece-me bom para mim. Se é que me faço entender...

C Valente disse...

Conversa de politico, é conversa da treta, uns quando estão no poleiro, nada fazem o que deviam ter feito, quando na oposição tudo serve para critica, e andamos nisto e quem se lixa é o mexilhão.
Quem nos acode, já não é D. Sebastião, nem os que cá estão
saudações amigas

Joshua disse...

A valsa Oposição / Governo tem sido dançada de modo semelhante ao longo dos anos. Há porém algo de novo neste Poder: uma dureza que nunca se auto-explica; uma crueldade que nunca se consegue explicar.

O Pluralismo sem emprego, sem recursos, soterrado pela máquina de soterramento mediática dominada pelo Governo baixa a cabeça e vai capitulando. O Poder encarrega-se de produzir uma verdade asséptica: «vai doer a quem estiver mais por baixo» e «nunca mais o doa a quem doer porque de outra maneira doer-nos-ia sobretudo a nós políticos».

Abraço, Quintino.