Lewis Hamilton (também) não é santo nenhum!

A má-língua, a crítica mordaz, o palpite assente no ouvir dizer ou feito da verdade que a memória reteve meteu hoje uma folga.
Quer dizer, meteu no que concerne à insonsa da política caseira e à dolência ronceira do nosso Portugal. Este bocado de terra sonsa banhado pelo mar.
Dediquei, confesso, uma parte da tarde dominical a um estado de refastelamento no sofá a olhar para o ecrã enquanto lá pelas terras magiares o ronco poderoso dos motores abalava o silêncio.
Aquilo não puxava interesse porque cedo percebi que a marca das minhas preferências não ia ali fazer um brilharete.
E, entre uma ou outra pausa “roncal”, ainda dei comigo a pensar se teria sido mesmo necessário que a Federação Internacional do Automóvel (FIA) fizesse aquele pequeno favor a Lewis Hamilton.
Quer dizer, quando a FIA lava as mãos como Pilatos fez num caso esconso da mais rasteira espionagem, como pode intervir num caso ocorrido dentro da mesma equipa e onde, consta, a alegada vítima até terá sido o instigador e o actor maior da controvérsia?
Se fosse má-língua diria que o facto de Hamilton ser um novato, estar à frente do campeonato e ter a cor de pele que tem teriam sido o motivo. Fosse ao contrário e queria ver como era…
Aliás, penso que Hamilton (excelente piloto) nem precisa destes pequenos jeitos (assim como não também não precisa da velhacaria de se armar em vítima) para mostrar que Alonso poder ser bicampeão mas não é um piloto excepcional!

3 comentarios:

Tiago R Cardoso disse...

Concordo em algumas coisas, aquela da espionagem é uma delas, material secreto de uma marca ir parar a outra e não se passar nada, dá que pensar... Enganei-me, não dá que pensar é que o patrão era o Sr. Ron Dennis, já o "jeito"... O Sr. Alonso, já provou que é um grande piloto e que a sua arrogância está ao mesmo nível, basta lembrar o caso com o Filipe Massa no ultimo grande prémio e agora prejudicar de propósito o colega de equipe, basta ver a reacção do chefe da equipe do inglês, ir pedir satisfações ao chefe de equipe do espanhol, no final do treino, isto tudo dentro da mesma marca.

cuentosbrujos disse...

Me encanta tu pais, en mayo lisboa fue mi casa unos dias, vien enamorado de su luz, me traje buenas fotos, era facil por la luz que la inunda, he estado en coimbra y en lisboa, solo puedo hablar maravillas, y así lo hago, de Portugal

Bruno Pinto disse...

Amigo Quintino, tempos houve em que ver F1 e torcer pelo Ayrton Senna era como ver um jogo do FC Porto, tanta era a paixão que nutria pelo mais virtuoso piloto de sempre. Desde a sua trágica morte que a F1 não me interessa para nada...