Eles tratam-nos da Saúde cá com uma pinta!

Confirmando uma suspeita antiga e que já aqui aflorei anteriormente, constata-se agora que existem medicamentos de venda livre que estão a sair da fábrica com o dobro do preços por unidade do que em 2005.
Paradoxalmente, os preços sofreram este aumento galopante desde que o mercado foi liberalizado.
Portanto, e conforme dizia, confirma-se a minha suspeita que devemos ser o único país onde as regras da economia de mercado sofrem de perigosas distorções e onde a liberalização resulta sempre nisto: parece que se juntam todos, combinam entre si os preços e depois põem-nos à venda!
Mas as novidades no sector não se ficam por aqui já que existem hospitais, centros de saúde e sub-regiões que estão a dispensar os seus funcionários contratados a termo.
De acordo com o “Diário Económico” marcham 3.000 enfermeiros e 180 médicos.
O Ministério da Saúde garante que este pessoal contratado a termo “serve para cumprir necessidades excepcionais dos serviços e agora vão acabar, porque o Governo pretende reduzir a precariedade” no sector.
Ah, afinal, tudo está bem quando acaba bem.
O Governo não nos quer matar à míngua de assistência médica ou lavando as mãos como Pilatos lá na questão dos preços, quer, isso sim, acabar com os precários no Saúde.

1 comentarios:

antonio disse...

Precisamos urgentemente de autoridades que estejam ao serviço do país!

É claro que para isso não podemos votar nos Carmonas! O voto tem que afirmar de forma clara que o crime não compensa!