E é só na Figueira da Foz que se assina de cruz?

Na Figueira da Foz o executivo camarário viu-se na contingência de pedir à Inspecção-Geral da Administração do Território (IGAT) que proceda a uma inspecção ao seu Departamento de Urbanismo depois de o director deste ter afirmado que havia processos que eram assinados por si de cruz.
Pessoalmente, não tenho dúvidas que assim seja.
Só quem não conhecer as infindáveis remissões do Regime Jurídico de Urbanização e Edificação para outros diplomas legais, as intermináveis exigências que o legislador formula, às quais se junta muitas vezes uma sucessão anacrónico de pedidos por parte dos serviços é que poderá não admitir que assim seja. Estou em condições de garantir que existem processos de loteamento que atingem as 10, 15, 20 pastas à vontade. Ora, entre plantas disto e daquilo, alçados e cópias de instrumentos de gestão territorial em vigor, mais as informações dos técnicos, os despachos, os seguros caução, os requerimentos e afins, cada uma dessas pastas pode ter as suas 100 páginas.
Se tudo aquilo tramitar em papel, digam se até não se compreende que o dito director assine de cruz baseado apenas na informação técnica que lhe é prestada?
O problema estará em saber se este assinar de cruz resulta desta galopante “burocracite aguda” que gera uma espiral de documentos que só visto ou se há ali mãozinha amiga a despachar o que é do amigalhaço numa penada e a apertar o torniquete ao desconhecido… A ser assim…
Vamos aguardar a ver o que dali sai.

8 comentarios:

Euzinha disse...

Ops... nem a cruz o safa.
Esperemos para ver.
Beijo
E.

Tiago R Cardoso disse...

Eu tenho a certeza que não é só na Figueira da Foz, conheço casos em que não é de cruz, mas sim de olhos fechados, numa cidade aqui perto, é extremamente fácil construir aberrações de muitos andares, em sítios que não lembram a ninguém, espaços verdes, o que é isso ?, mesmo no único local, que devia ser unicamente verde, o betão já começa a ganhar terreno, infelizmente 20 anos no poder camarário dá nesta coisas, pior é que a própria oposição também faz parte do jogo.
Quando lá volto, cidade onde cresci muitas vezes tenho dificuldade de reconhecer a cidade, felizmente não me posso queixar de onde agora vivo.

adrianeites disse...

a ser assim será uma treta.. mais uma... que já não nos causará surpresa,,

c's

o guardião disse...

Infelizmente há muito quem assine de cruz neste país. As tais licenças na hora, registos na hora, empresas na hora, são coisas muito bonitas, mas dão origem a falcatruas. Ao contrário desses processos "expeditos" temos os altamente burocráticos que demoram uma eternidade e se tornam demasiado complicados. Os planos directores municipais e os planos de ordenamento vão sendo alterados ao sabor de vontades e interesses, pelo que cada caso passa a ser um caso, e aí quem tem unhas (peso) toca guitarra.
O planeamento falha e depois temos uma sequência de complicações, atrasos e burocracia que só atrapalham.
Cumps

C Valente disse...

Quanta mais papelada melhor, mais confunde, e por vezes são as Camaras a exigirem, como é normal só cria problemas para quem honestamente quer analizara questão, e a corrupção. favoritismo etc, não está só a nivel de cúpulas, quanto mais papel melhor até para justificar atrasos, è este o sistema que temos
Saudações amigas

antonio disse...

Disseste de Cruz? Deve ser um caso de fé...

SIMPLESMENTE.... C disse...

burocracia e mais burocracias....
:)
abraçinhos Quintino

damularussa disse...

Pois é, não tem duvidas o Quintino, e eu tenho muito poucas sobre isso.

Cumprimentos