Chega-lhes, Arnaut. Tu dá-lhes!

Ouso roubar trabalho alheio. Mas não posso resistir.
Senhoras e senhores, passo a citar directamente António Arnaut, fundador do PS e do Serviço Nacional de Saúde (entrevista de Miguel Carvalho, publicada na “Visão” desta semana):

“O PS está a perder a alma e identidade…”
“(…) não está à altura da sua responsabilidade…”
“Um socialista não pode decidir apenas por razões economicistas”.

“A renovação é uma lei da vida, mas muitos dos que mandam nos partidos não viveram nem estudaram o passado”
“Noto falta de cultura cívica. É gente sem reflexão sobre os comportamentos, a arte, a literatura e a história do nosso povo. (…) Muitos deles não têm uma ideia para Portugal, não conhecem o País. Vivem do imediatismo, da conquista do poder. (…) Esta geração vale-se mais da astúcia do que da seriedade. E aprendeu os ensinamentos de Maquiavel”

“Os bajuladores existem. Você habitua um cão e ele está-lhe sempre à perna. Mesmo que lhe bata! O cacique, por outro lado, já tem de ser alimentado de outra maneira. Precisa de umas iguarias e quer manter a máquina e o aparelho a funcionar.”
“Algumas pessoas acomodam-se, querem manter os seus lugares e tendem a bajular o chefe”.

“Um país sem humor não tem futuro. Um tipo com cultura tem humor! Basta ter lido o Eça”.

É preciso transcrever mais?
Pessoalmente, penso que a carapuça serve a qualquer um. Do PP ao BE.

2 comentarios:

Tiago R Cardoso disse...

Infelizmente muitos começam a olhar para o futuro com muito pouco humor.

damularussa disse...

Garantidamente, haverá quem a vai enterrar até às orelhas (hihih)
Estou consigo neste País de cinzentões, mas com esperança que deixe de o ser.

Cumprimentos